Confira três criptomoedas para ficar de olho em julho de 2019

Bitcoin até pode ajudar, mas algumas altcoins já possuem a sua própria onda de valorização.

-

Siga no
Em julho três criptomoedas devem subir
Anúncio

O mercado sinaliza que julho poderá acompanhar o desempenho dos outros meses em 2019. Caso isso aconteça, várias criptomoedas devem experimentar uma onda de valorização novamente. Começando pelo bitcoin, um aumento expressivo poderá ser observado em três altcoins nas próximas semanas.

O preço do bitcoin deverá renovar a sua máxima em 2019 em breve. Isso deverá acontecer assim como aconteceu em meses anteriores. Desde o início do ano o preço do bitcoin cresceu vertiginosamente. Com esse movimento, as altcoins também ganharam espaço. Confira três criptomoedas que podem chamar a atenção do mercado em julho:

Monero (XMR)

O Monero (XMR) é uma criptomoeda diferente da maioria dos projetos do mercado. Essa altcoin aposta em transações anônimas para um público diversificado no mercado de criptomoedas. Com um mercado aquecido, o preço da Monero (XMR) pode subir significativamente em julho.

Anúncio

Desde 2019 o preço da Monero (XMR) se valorizou em cerca de 175%. Essa variação compreende o preço da criptomoeda em 14 de janeiro quando o Monero (XMR) estava sendo cotada em US$ 43,47 e o final de junho. Há poucos dias atrás o preço do Monero (XMR) chegou a ser cotado em US$ 119,02.

Com este desempenho nos últimos meses, sobretudo em junho, o Monero (XMR) poderá vivenciar uma onda de valorização neste mês. Atualmente a criptomoeda está sendo cotada em US$ 87,10 nesta quarta-feira (3). Por outro lado, o Monero (XMR) já registrou em sua máxima histórica cerca de US$ 500 no mercado de criptomoedas. Este valor é cinco vezes maior do que a cotação atual do Monero (XMR).

Preço do Monero em 2019

Litecoin (LTC)

A Litecoin (LTC) não deve ser jamais subestimada pelo mercado. Há alguns dias atrás essa altcoin subia no mercado enquanto praticamente todas as demais criptomoedas caíam. Julho poderá ser promissor para a Litecoin (LTC) em diversos aspectos. Além de pegar “carona” em uma possível onda de valorização do bitcoin (BTC), a Litecoin (LTC) deve vivenciar sua própria subida no mercado.

Recentemente a Litecoin (LTC) viu seu preço aumentar após o tão esperado halving acontecer. Assim como supostamente o preço do bitcoin vive uma ascensão no mercado pelo halving, o mesmo parece acontecer com a Litecoin (LTC).

A quarta maior criptomoeda do mercado viu seu preço explodir recentemente. No último dia (22) a Litecoin (LTC) chegou a ser cotada acima de US$ 140. Um valor bem mais alto do que o preço que a Litecoin (LTC) chegou a valer em janeiro de 2019. No início daquele mês, uma Litecoin (LTC) era cotada por volta de US$ 30. Por outro lado, a Litecoin (LTC) já chegou a valer cerca de US$ 385 em sua máxima histórica. Isso demonstra que a criptomoeda pode crescer ainda mais no mercado.

Gráfico cotação Litecoin

Binance Coin (BNB)

A Binance Coin (BNB) pode ser a outra grande aposta entre as altcoins para julho. Essa criptomoeda teve um ganho expressivo e está entre as melhores valorizações acumuladas registradas ao longo de 2019 no mercado de criptomoedas. E alguns fatores podem fazer o preço da Binance Coin (BNB) aumentar em breve.

Desde janeiro de 2019 parte das unidades da Binance Coin (BNB) estão sendo completamente descartadas. O processo conhecido como “queima” de criptomoedas faz parte de um plano de valorização para a Binance Coin (BNB). A proposta da empresa por trás dessa altcoin é reduzir drasticamente o número total de Binance Coin (BNB) presente no mercado. Essa queima acontecerá trimestralmente, até que o número de Binance Coin (BNB) no mercado agrade aos planos da exchange Binance.

Esse movimento de “queima” poderá colocar a Binance Coin (BNB) entre as maiores valorizações de julho. Desde o início de 2019 a Binance Coin (BNB) viu seu preço explodir no mercado. Naquele mês a criptomoeda base da exchange Binance chegou a ser cotada por volta de US$ 6. Sete meses depois e o preço desta altcoin está cerca de 450% mais alto. 

Atualmente o preço da Binance Coin (BNB) está sendo cotado por volta de US$ 32,50. No final de junho a Binance Coin (BNB) chegou a ser cotada acima de US$ 37. Tendo em visto o preço baixo que a Binance Coin (BNB) tinha no início do ano e sua atividade de “queima” de criptomoedas, essa altcoin pode ver seu preço continuar a subir no mercado.

Preço da Binance Coin

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Paulo Carvalho
Paulo Carvalho
Jornalista em trânsito, escritor por acidente e apaixonado por criptomoedas. Entusiasta do mercado, ouviu falar em Bitcoin em 2013, mas era que nem caviar, "nunca vi, nem comi, só ouço falar".

Leia mais

Rede social Twitter e Bitcoin (Blockchain)

Blockchain é o futuro do Twitter, afirma Jack Dorsey

O CEO do Twitter, Jack Dorsey, participou nessa sexta-feira (25) do Oslo Freedom Forum 2020. Durante a conversa, Jack deixou claro que a tecnologia...
DeFi pode ser scam?

DeFi Leaks denuncia golpe, investidor pode ter perdido 10 mil DAI

Uma pessoa que detinha pelo menos 10 mil moedas DAI pode ter perdido tudo. Depois que um novo golpe foi denunciado pelo DeFi Leaks,...
Corretora de Bitcoin e criptomoedas Binance

Site da Binance é banido na Rússia

Nesta última quinta-feira, 24, o site da Binance (maior corretora de criptomoedas do mundo) foi bloqueado e colocado na em uma lista negra da...

Últimas notícias

DeFi Leaks denuncia golpe, investidor pode ter perdido 10 mil DAI

Uma pessoa que detinha pelo menos 10 mil moedas DAI pode ter perdido tudo. Depois que um novo golpe foi denunciado pelo DeFi Leaks,...

Site da Binance é banido na Rússia

Nesta última quinta-feira, 24, o site da Binance (maior corretora de criptomoedas do mundo) foi bloqueado e colocado na em uma lista negra da...

Spotify, Epic Games e Tinder se unem contra Apple

Um grupo de empresas está se reunindo contra a App Store, pois sua política tem sido considerada injusta. Dessa forma, empresas como Spotify, Tinder...