Vacina do coronavírus destaca blockchain no mundo

Principal desafio dos profissionais de saúde é levar vacina o mais rápido possível para toda a população.

Siga no
Bitcoin BTC e Novo Coronavírus (COVID) Blockchain
Bitcoin e COVID-19 - Reprodução/Pixabay

A vacina do novo coronavírus segue sendo o “pote de ouro” em 2020, e destaca a tecnologia blockchain no mundo. Isso porque, o desafio mais complexo para os profissionais de saúde segue sendo a imunização em larga escala.

A população mundial aguarda as definições para amenizar os efeitos da COVID-19. A doença que chegou no final de 2019, em princípio na China, causou confusão em 2020. Uma das medidas para combater a doença tem sido o isolamento social, feita de maneira sem precedentes na história da humanidade.

Vários países têm adotado medidas semelhantes, com o mundo cada vez mais globalizado. O combate ao COVID-19, inclusive, terá que ser feito de maneira global. Dessa forma, o uso das tecnologias serão fundamentais no enfrentamento da doença.

A vacina do novo coronavírus deverá destacar o uso da tecnologia blockchain

A tecnologia blockchain foi inventada de fato no início da década de 90. Contudo, essa aplicação ganhou o público com a chegada do Bitcoin, em 2009. A maior moeda digital utiliza a blockchain para registrar todas as transações realizadas em sua rede.

Com o passar dos anos, a tecnologia blockchain ganhou mais usabilidade. Além de registrar transações das criptomoedas, pode ser utilizada para registrar qualquer informação. Com a crescente adoção da tecnologia por governos e empresas, a blockchain pode ser a solução para um grande problema atual.

Isso porque, o novo coronavírus arrasa a economia e saúde muitos países, que aguardam por uma vacina. Contudo, mesmo que a vacina chegue hoje, não há garantias que ela chegue para todos, e na velocidade necessária.

De acordo com a Época Negócios, a missão de vacinar a população é um grande desafio. Mesmo com a vacina criada, os profissionais de saúde deveriam imunizar os 7 bilhões de pessoas o mais rápido possível. Dessa forma, a vacina deveria ser produzida em larga escala e chegar nos países sem falhas na cadeia de distribuição.

A tecnologia blockchain deverá ser utilizada para conseguir realizar a tarefa sem falhas. Ao registrar dados e garantir sua imutabilidade, a blockchain poderia diminuir o tempo necessário para a imunização em massa.

Poliomelite demorou 10 anos para ser imunizada em toda a Índia, blockchain pode ajudar na redução do tempo

Os desafios de levar a vacina contra a COVID-19 para todos os países são grandes. Um caso que chama atenção foi o da imunização contra a Poliomelite na Índia, em 1995. Por lá, levou mais de uma década para imunizar 100% das crianças com menos de cinco anos.

O caso é um dos que destaca a importância de imunizar rápido a COVID-19, utilizando todos os recursos tecnológicos disponíveis para ajudar. O transporte das vacinas, por exemplo, poderia ser melhor acompanhado com a blockchain.

Outro ponto que destaca o uso da blockchain no controle da vacina do coronavírus é o consenso. Como todos os dados são transparentes, o mundo poderá garantir que a vacina chegue de acordo com a necessidade e não por quem pode pagar por ela. Essa garantia de integridade e segurança dos dados poderia ser certificada com uso da tecnologia inaugurada pelo Bitcoin.

Para garantir que a tecnologia ajude quando a vacina surgir, a startup StaTwig já começou a testar uma aplicação. A empresa, que foi apoiada pela Unicef, também é parceira da Ethereum Classic Labs.

Essa ferramenta é uma das que deverá garantir que a vacina chegue com confiança em todo o mundo. Por fim, além do Bitcoin, esse poderia ser o maior caso de uso da tecnologia blockchain.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Departamento de Tesouro dos Estados Unidos

Departamento do Tesouro dos EUA quer ferramenta para rastrear Bitcoin

A agência dos Estados Unidos responsável pela implementação de sanções contra empresas, parte do Departamento do Tesouro, quer uma ferramenta capaz de rastrear o...
Polícia investiga negócio de criptomoedas no ES

Corretora cripto é alvo de operação policial por fraude bilionária

A polícia da Coreia do Sul realizou uma operação em diversos escritórios de uma corretora de criptomoedas após a empresa ter sido acusada de ser...
Criptomoeda Ethereum mãe do DeFi

Banco Central dos EUA elogia Ethereum e inovação com DeFi

O Banco Central dos Estados Unidos de St. Louis publicou um artigo elogiando as inovações da plataforma Ethereum. Ao criar aplicações bancárias com tokens,...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias