Venezuela lança Bolsa de Valores descentralizada com DeFi

Iniciativa vem dias após a regulamentação do setor de mineração no país.

Siga no
Bolívar venezuelano e Bitcoin na Venezuela
Bolívar venezuelano e Bitcoin
Anúncio

A Venezuela lançou nos últimos dias a criação de uma plataforma DeFi no país para a produção de uma nova Bolsa de Valores descentralizada. Com isso, a negociação até de ações poderá ser feita em um ambiente baseado na tecnologia da Ethereum.

A algum tempo a Venezuela tem se dedicado ao setor de criptomoedas, criando regras e tentando encontrar espaços nesse ambiente. Por lá, a Sunacrip é a entidade que regulamenta o setor de criptomoedas.

Contudo, a nova Bolsa de Valores Descentralizada será de responsabilidade da Sunaval. A Superintendência Nacional de Valores Mobiliários, espécie de CVM da Venezuela, é que comanda a nova iniciativa.

Venezuela toma a frente mundial e lança primeira Bolsa de Valores descentralizada estatal, usando até o DeFi

Anúncio

O novo plano ambicioso da Venezuela passa diretamente pela tecnologia das criptomoedas. Isso porque, ao lançar a primeira Bolsa de Valores descentralizada, criada por um estado, a Venezuela inova para seus investidores.

De acordo com uma publicação na Gaceta Oficial na última terça (29), a Venezuela pretende abrir o mercado para qualquer um interessado. Poderão ser negociadas ações, títulos de dívida, moedas fiduciárias, criptomoedas, títulos públicos e até derivativos (opções e futuros).

Além disso, a nova Bolsa de Valores descentralizada permitirá a empresas realizar até seu IPO. A custódia dos ativos também será possível, assim como a transferência, negociação e liquidação.

“Esta plataforma permite que o processo de custódia dos títulos seja individual, blindado e público, com um sistema de negociação disponível 24 horas por dia e 7 dias por semana que garante transparência, segurança, rapidez, fiabilidade, rastreabilidade e menor custo das operações”, afirma a publicação da Gaceta Oficial

A bolsa de valores será baseada na tecnologia da criptomoeda Ethereum, listando tokens.

Projeto estava sendo construído há meses em segredo

A nova bolsa de valores descentralizada da Venezuela estava em construção já há alguns meses. O executivo responsável pela bolsa, Manuel Aaron Fajardo García, confirmou essa informação em seu Instagram nos últimos dias.

View this post on Instagram

Punto de Partida

A post shared by Pi Exchange (@picripto) on

A nova bolsa de valores descentralizada da Venezuela, primeira do tipo no mundo, deverá ter taxa de 0% em negociações de moedas fiduciárias. No entanto, para negociações de ativos alternativos será de 0,1%.

A esperança é que a nova bolsa ajude a financiar atividades na Venezuela, com acesso universal. Vale o destaque que a bolsa de valores será criada por contratos inteligentes em Ethereum. De acordo com o manual da plataforma, fica claro que esta solução é um projeto DeFi, sendo o primeiro estatal já visto.

Este projeto foi anunciado em um momento em que a Venezuela aumenta o tom contra os EUA. O país considera que as sanções impostas pelos Estados Unidos são ilegais e tem buscado mecanismos para fugir do embargo.

Venezuela está se transformando em principal país das criptomoedas para fugir de sanções dos EUA?

A Venezuela vive uma crise política com os Estados Unidos, que impõe sanções aos líderes do governo de Nicolás Maduro. Além disso, os EUA colocaram literalmente a cabeça dos líderes a prêmio, com recompensas altas para quem capturar os líderes.

Contudo, para driblar os EUA, a Venezuela criou a primeira criptomoeda estatal, a Petro. Lastreada em petróleo, essa criptomoeda tem sido incentivada pelo governo local para uso em comércios.

Além disso, nos últimos dias, a Venezuela fechou uma parceria com a Blockstream. Desse modo, pôde lançar o primeiro satélite de Bitcoin para que sua população tenha acesso a essa tecnologia. Com esse satélite a população da Venezuela consegue realizar transações com Bitcoin até sem internet.

Tanto o lançamento do satélite quanto da primeira bolsa de valores descentralizada vem dias após a Venezuela regulamentar o setor de mineração de Bitcoin. Com a criação de um pool nacional, essa iniciativa também foi pioneira por um país.

Por fim, fica claro que ao utilizar as criptomoedas e sua tecnologia, a Venezuela espera fazer parte novamente do sistema financeiro mundial. Contudo, dessa vez sem a possibilidade de sofrer sanções dos EUA, pois as criptomoedas são incensuráveis.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Político processa prefeito, mas não consegue provar alegação: “Deveria ter usado blockchain”, diz juiz

Um suposto caso de propaganda eleitoral antecipada foi parar na Justiça do Ceará. A denúncia, no entanto, ainda não foi provada. Um registro em...
paydiamong

STJ nega liberdade de divulgadores de pirâmide

Dois ex-líderes de uma pirâmide financeira entraram com habeas corpus contra uma decisão proferida neste ano pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. Na...
Criptomoeda stablecoin Tether USDT XAUT EURT CNHT

Criptomoeda valoriza 300% em 2020 e supera Bitcoin

Segundo um estudo recente, uma criptomoeda que cresce 300% o número de adoção a sua tecnologia já supera o Bitcoin e Ethereum. Este caso...

Últimas notícias

STJ nega liberdade de divulgadores de pirâmide

Dois ex-líderes de uma pirâmide financeira entraram com habeas corpus contra uma decisão proferida neste ano pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. Na...

Criptomoeda valoriza 300% em 2020 e supera Bitcoin

Segundo um estudo recente, uma criptomoeda que cresce 300% o número de adoção a sua tecnologia já supera o Bitcoin e Ethereum. Este caso...

“Falta de clareza sobre quem criou o Bitcoin é preocupante” Diz CEO da Mastercard

Um dos principais pontos que os defensores do Bitcoin argumentam é que a moeda pode ser utilizada como uma forma de incentivar a inclusão...