Venezuela manda desligar todas as mineradoras de Bitcoin do país

A medida de desligar mineradoras de criptomoedas visa aliviar a pressão sobre o sistema elétrico e melhorar a distribuição de energia para a população.

O Ministério do Poder Popular de Energia Elétrica (MPPEE) da Venezuela anunciou uma medida para controlar a demanda energética no país: o desligamento de todas as mineradoras de criptomoedas do Sistema Elétrico Nacional (SEN). A decisão foi comunicada na última sexta-feira (17) através da conta oficial do ministério no Instagram.

“O objetivo é desconectar do SEN todas as mineradoras de criptomoedas no país, evitando o alto impacto na demanda, o que permite continuar oferecendo um serviço eficiente e confiável a todo o povo venezuelano”, declarou o MPPEE.

A decisão surge após a apreensão de cerca de 2.000 máquinas de mineração de criptomoedas em Maracay, no estado de Aragua, a aproximadamente 120 quilômetros ao sudoeste de Caracas, e faz parte de uma operação mais ampla contra a corrupção, que começou no ano passado e resultou na prisão de dezenas de funcionários da Petróleos de Venezuela (PDVSA), da Superintendência Nacional de Criptoativos (Sunacrip) e de outras instituições estatais.

Venezuela manda desligar mineradoras de Bitcoin

Desde o ano passado, a Sunacrip está sob controle de uma junta reestruturadora após a prisão do superintendente Joselit Ramírez, ligado ao ex-ministro de Petróleo e ex-presidente da PDVSA, Tareck El Aissami.

Ele foi preso no mês passado e imputado pelos crimes de traição à pátria, apropriação de patrimônio público, uso de relações ou influências, legitimação de capitais e associação criminosa.

Rafael Lacava, governador do estado de Carabobo, apoiou a medida afirmando que as mineradoras de criptomoedas consomem uma grande quantidade de megawatts, resultando em racionamentos elétricos.

“Se você, vizinho, conhece uma casa que minera criptomoedas, diga à pessoa para desligá-la ou informe às autoridades. Quando a luz é cortada para que alguém ganhe dinheiro, você fica sem serviço elétrico”, declarou Lacava.

A crise elétrica na Venezuela se arrasta desde 2009, agravando-se em 2019 com apagões que deixaram várias cidades sem eletricidade por até sete dias. As constantes falhas no serviço têm prejudicado a qualidade de vida dos cidadãos e a economia do país.

Especialistas apontam a falta de manutenção e investimento no sistema como as principais causas da crise, enquanto o governo atribui parte dos problemas a atos de sabotagem e promete modernizar a rede elétrica estatal.

O Observatório Venezuelano de Conflitividade Social (OVCS) registrou 219 protestos no primeiro trimestre deste ano devido aos frequentes e prolongados cortes elétricos.

A medida de desligar mineradoras de criptomoedas visa aliviar a pressão sobre o sistema elétrico e melhorar a distribuição de energia para a população.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de criptomoedas do mercado ganhe até 100 USDT em cashback. Cadastre-se

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Leia mais sobre:
Vinicius Golveia
Vinicius Golveia
Formado em sistema da informação pela PUC-RJ e Pós-graduado em Jornalismo Digital. Conhece o Bitcoin desde 2014, atuando como desenvolvedor de blockchain em diversas empresas. Atualmente escreve para o Livecoins sobre assuntos de criptomoedas. Gosta de cultura POP / Geek. Se não estiver escrevendo notícias relevantes, provavelmente está assistindo alguma série.

Últimas notícias

Últimas notícias