Vitalik Buterin para exchanges centralizadas: “Queimem no inferno”

Siga no
Vitalik Buterin
Vitalik Buterin

Durante o evento TechCrunch Sessions Blockchain, em Zug, na Suíça, Vitalik Buterin, criador do Ethereum, disse que não vê futuro para as exchanges centralizadas e que todas elas deveriam “Queimar no inferno”.

Ethereum é a segunda criptomoeda com maior valor de mercado de acordo com dados do Coin Market Cap.

Vitalik assim como várias pessoas do mercado de criptomoedas não tem sido grandes fãs dos negócios centralizados.

Em seus recentes comentários ele tem como alvo as exchanges centralizadas e disse com categoria que elas deveriam queimar no inferno.

O comentário Vitalik para exchanges centralizadas foi o seguinte:

“Eu definitivamente espero que as exchanges centralizadas queimem no inferno, o tanto quanto possível”. Vitalik Buterin

Sua fúria era relacionada ao controle e aos lucros que as exchanges tiveram em cima de projetos ou empresa que queriam ter seus tokens listados:

 

“Não há razão para alguns projetos precisarem pagar de US $ 10 a US $ 15 milhões em taxas de listagem para permitir que as pessoas negociem seus tokens em exchanges centralizadas”.

Segundo Vitalik, as exchanges centralizadas existem porque servem de interface entre o mundo fiduciário e as criptomoedas. “E o mundo fiat só tem gateways centralizados”, disse ele.

Buterin prefere exchanges que permitem trocas de criptomoedas por outras criptomoedas, já que já existem vantagens claras do ponto de vista do usuário.

Por exemplo, não é necessário se inscrever ou fazer login. O usuário pode enviar dinheiro para uma carteira e definir um endereço de saída.

Dessa forma, as exchanges atuam apenas como túneis de entrada / saída, movimentando tokens de um endereço para outro em duas criptomoedasmoedas diferentes.

Vitalik, comentou sobre vários tópicos durante a entrevista com Jon Evans. Ele foi inesperadamente estável e disse muitas vezes que todos têm necessidades diferentes e é difícil viver em um mundo onde tudo é centralizado ou descentralizado.

Embora possivelmente referindo-se à Bitmain, a empresa de mineração chinesa que está se aproximando de 51% da taxa de hash da rede, Buterin compartilhou suas preocupações em relação à enchente de Sichuan que está potencialmente afetando as operações de mineração por lá.

Ele também mencionou que a fundação Ethereum trabalha muito duro para manter a descentralização, mas enfrenta um grande desafio, especialmente no que diz respeito à autenticação do usuário.

“Um dos grandes desafios a superar para tornar o Ethereum verdadeiramente descentralizado se resume à autenticação do usuário. Claro, é possível gerar uma chave privada e uma chave pública para gerenciar sua carteira você mesmo. Enviando ETH é tudo sobre como assinar uma transação, então não é tão complicado. Mas o que acontece se você perder as chaves? O que acontece se você perder sua senha? “Se todos os métodos de autenticação do usuário falharem, será difícil alcançar a adoção do mainstream”.

Buterin também falou sobre blockchains privados e outros projetos inspirados pela Ethereum.

Ele disse que era um estado triste que muitos desses projetos acabaram não indo muito longe e também alguns acabaram não sendo descentralizados.

Vitalik tem algumas opiniões fortes, mas razoáveis sobre o modo como as coisas estão se formando no espaço de criptoeconomia.

Sua paixão e visão parecem inigualáveis ​​quando suas visões trazem pontos que são menos pensados.

Abaixo você pode ver a entrevista completa:

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Sourcecoingape
Leia mais sobre:
Mateus Nuneshttps://livecoins.com.br
Analista de Sistemas, entusiasta de criptomoedas e blockchain. Tradutor do site Bitcoin.org Sugestão de pauta: mateus@livecoins.com.br
Mão segurando picolé laranja, cor do Bitcoin

Homem compra picolé com Bitcoin em El Salvador em menos de 15 segundos

Um homem gravou um vídeo em El Salvador comprando um simples picolé com Bitcoin, a compra não demorou 15 segundos para ser completada. A...
Roberto Campos Neto, presidente do BCB no Brasil

Presidente do Banco Central do Brasil pede cautela com Bitcoin

O presidente do Banco Central do Brasil (BCB) pediu que as pessoas tenham cautela com o Bitcoin. Reunindo especialistas do setor financeiro brasileiro para...
Imagem: ShutterStock

Fundadores de corretora de Bitcoin desaparecem com R$ 17 bilhões de clientes

Dois irmãos na África do Sul podem ser responsáveis pelo maior golpe Ponzi envolvendo o Bitcoin já aplicado no país. O nome da empresa...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias