Ultrapassamos 1 milhão de clientes de criptomoedas no Brasil, diz CEO do Mercado Livre

Empresa dá passos para tornar as criptomoedas um setor de maior adoção no Brasil.

Marca do Mercado Livre - Reprodução
Marca do Mercado Livre - Reprodução

Buscando aumentar sua base de clientes, o CEO do Mercado Livre, Marcos Galperin comemorou uma marca com criptomoedas atingida no Brasil nos últimos dias.

Fundador e CEO da empresa, Marcos já demonstrou em várias ocasiões seu entusiasmo com o mercado de criptomoedas. E uma das ações que mais comprovam seu entendimento sobre o mercado foi revelada em 2021.

Na ocasião, o Mercado Livre, empresa listada na bolsa de valores dos Estados Unidos, divulgou para a SEC que havia comprado Bitcoin para seu tesouro. Ou seja, a empresa com seu CEO e diretores acreditam que essa moeda digital é uma boa reserva de valor.

Com grandes operações principalmente no Brasil, Argentina e México, o Mercado Livre se desponta como uma das maiores empresas da América Latina, com vários serviços oferecidos para seus clientes.

“Já ultrapassamos 1 milhão de clientes de criptomoedas no Brasil”, diz Marcos Galperin, CEO do Mercado Livre

A chegada do Mercado Livre ao mercado de criptomoedas, contudo, não aconteceu imediatamente após a empresa investir em Bitcoin como reserva de valor.

Isso porque, após a compra a empresa não comentou mais sobre o assunto, até que declarou que iria lançar uma opção para compra e venda de criptomoedas por meio do aplicativo do Mercado Pago. Essa atividade começou em dezembro de 2021, ou seja, 4 meses atrás.

E com a chegada da possibilidade de comprar Bitcoin, Ethereum ou Dolar Paxos pelo aplicativo, muitos brasileiros correram para experimentar o setor, com mais de 1 milhão de clientes já utilizando o serviço. Nos últimos dias, o CEO do Mercado Pago, Túlio Oliveira, destacou que isso democratiza os investimentos no país.

Mas na última quinta-feira (17), Marcos Galperin, o CEO do Mercado Livre, tirou um tempo para destacar a evolução das criptomoedas em seu aplicativo, disponível ainda apenas no Brasil.

“Já ultrapassamos um milhão de pessoas que compraram criptomoedas no Brasil após três meses de lançamento dessa funcionalidade em nosso app Mercado Pago”.

Vale lembrar que o Mercado Pago é a maior fintech do grupo e processa pagamentos além de permitir investimentos. Como a maior base de clientes está no Brasil, a compra e venda de criptomoedas começou neste país, devendo ser expandida para outros com o tempo.

Publicidade forte para as criptomoedas

Mas ver as criptomoedas no Mercado Pago não está sendo uma experiência interessante apenas para clientes da instituição. Como é uma grande marca e com forte presença em vários meios de comunicação, a publicidade tem sido forte para mostrar as criptomoedas.

Um internauta enviou ao Livecoins uma imagem da uma propaganda vinculada pelo Mercado Pago sobre criptomoedas até no Encontro com Fátima Bernardes, um dos principais da Rede Globo nas manhãs.

Mercado Pago fez propaganda de criptomoedas em programa da Fátima Bernardes, na Rede Globo
Mercado Pago fez propaganda de criptomoedas em programa da Fátima Bernardes, na Rede Globo /Imagem enviada ao Livecoins

E além de invadir a televisão, o Mercado Pago também tem feito publicações patrocinadas sobre o assunto em redes sociais, o que mostra que as criptomoedas estão certamente ficando mais famosas com a empresa no Brasil.

Vale lembrar que esses são os primeiros quatro meses da empresa no mercado, então é esperado por clientes que opções de depósitos e saques com criptomoedas sejam liberadas com o tempo, assim como seja liberada a compra no Mercado Livre com essas moedas, algo que a empresa ainda não confirmou se irá habilitar.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias