Alerta: Na TV, empresa oferece rendimento de 1,5% ao dia com investimento em Bitcoin

Suspeita de pirâmide financeira

Siga no

A empresa “Investimento Bitcoin”, de origem portuguesa, vem anunciando, em horário nobre, na Band e na Record, que traz lucros de 1,5% ao dia para seus investidores.

Por mês, ela oferece opções com rendimento fixo de até 45% ao mês, desde que o investidor deixe seu dinheiro 300 dias investido.

Capa do site da Investimento Bitcoin
Capa do site da Investimento Bitcoin. Print feito em 17 de junho de 2019.

Não é a primeira vez que a empresa investe em marketing massivo no mercado brasileiro. Como noticiou o Livecoins em abril deste ano, a empresa já vinha divulgando seus investimentos no portal IG, nos mesmos moldes que foram parar na TV.

Suspeita de pirâmide financeira

Junto das empresas KingForex e IntaForex, a Investimento Bitcoin foi denunciada à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) no início de junho, por suposta prática de pirâmide financeira, segundo informações do site Cointelegraph.

Uma vez tendo recebido a denúncia, a CVM não possui prazo certo para dar uma resposta. Porém, não é difícil que venha daí uma decisão negativa para a Investimento Bitcoin, já que uma série de características da empresa são idênticas a outras de empresas recentemente enquadradas pela comissão.

“Crime contra a economia popular”

Chamado oficialmente de “crime contra a economia popular”, os esquemas de pirâmide se caracterizam por sempre oferecem rendimentos muito atrativos para seus clientes, em geral muito acima da realidade do mercado.

Sem dúvida, 45% ao mês é mais do que a maioria dos traders consegue obter com criptomoedas no Brasil. Junte-se a isso que a empresa oferece esse rendimento como “fixo”, ou seja, seria um lucro garantido. Só para efeito de comparação, o Tesouro Direto, considerado a renda fixa mais segura do mercado, em sua mais lucrativa modalidade, está pagando 7,91%, isso ao ano!

Outra característica de pirâmides financeiras usada pela empresa é o uso de marketing de multinível para captação de novos clientes. Só recordando, esse tipo de marketing se caracteriza por conceder benefícios ou uma porcentagem de lucros para os participantes que trazem novos membros para a plataforma.

No caso das pirâmides, o que acontece é que cada novo investidor que chega vai engordando o caixa da empresa. Esse dinheiro que vai entrando serve então para pagar as retiradas iniciais dos investidores que, sacando seus lucros iniciais, passam a acreditar ainda mais nas plataformas e a atrair mais gente.

O problema é que, em geral, as pirâmides não aplicam o dinheiro do cliente corretamente e, muitas vezes, sequer o aplicam. Dessa forma, alguns meses depois de iniciado o negócio, a pirâmide deixa de ter o dinheiro para pagar seus investidores e em geral abre falência, deixando seus clientes sem sequer poder sacar o dinheiro investido.

“Não somos pirâmide”

Já resguardados das críticas, os administradores da Investimento Bitcoin garantem que não são uma pirâmide. É o que se lê neste trecho abaixo, retirado do site da empresa:

“[…] nossos Principais Rendimentos são de nossas Operações Financeiras (Opções Binárias e Forex) e não do Cadastro de Novos Investidores ao Negócio, o que Isenta a Possibilidade de Comparação da InvestimentoBitcoin.com com Ponzi, Pirâmide Financeira ou qualquer outra Atividade Semelhante.”

Ilegalidade 2

O texto acima destaca uma questão importante: caso a Investimento Bitcoin não seja considerada uma pirâmide, sua atuação declarada com o mercado Forex também tem sido considerada ilegal pela CVM.

Inclusive, este foi o motivo de a CVM proibir no Brasil recentemente as atividades de outra empresa, a Liteforex, de continuar captando clientes no Brasil.

Como explicou a CVM em comunicação oficial, esse mercado envolve “pares de moedas estrangeiras” e “taxas de câmbio”. Por isso, essas operações seriam contratos derivativos e, consequentemente, valores mobiliários. Sendo assim, trata-se de um serviço cuja oferta depende de registro junto à CVM.

Próximos passos

Como dito, não há prazo para a CVM tomar qualquer atitude quanto à Investimento Bitcoin. Mas isso nem é o mais sério.

Infelizmente, como temos visto no caso da Unick Forex, o fato de uma empresa ser notificada pela CVM quanto a atuar sem registro é um processo que leva anos até ter um resultado final. A Unick Forex mesmo foi notificada pela primeira vez em março de 2018 e até hoje segue captando clientes.

Evidentemente, havendo provas robustas, a CVM aciona o Ministério Público que, por sua vez, investiga mais um pouco e aciona então a Justiça.

O caso é que muitas pirâmides são rápidas e, em poucos meses podem juntar dinheiro de muita gente e fugir rapidamente do mapa.

Fica a torcida para esse não ser o caso da Investimento Bitcoin, que afirma estar presente já em mais de 30 países e ter mais de 120 mil investidores.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Sui Teixeira
Sui Teixeira é jornalista desde 2001, formada pela USP. Trabalha ainda como produtora de jingles, é programadora amadora e entusiasta de ciência e tecnologia.

Criptomoedas mais populares atualmente são de jogos

De acordo com medidores de popularidade de criptomoedas, uma nova tendência parece estar começando dentro do mercado de criptomoedas: a popularização dos ativos ligadas...

Sob pressão regulatória, maior corretora de Bitcoin do mundo decide limitar saques de novos...

A Binance, maior corretora de criptomoedas do mundo, sempre teve uma postura não muito rígida em relação as regras de KYC (identificação de clientes)...
Movimentos de baleias em gráfico do Bitcoin

Baleias compraram 170 mil bitcoins nas últimas cinco semanas

Um recente estudo publicado pela Santiment revelou que as baleias (grandes detentores) compraram 170 mil bitcoins nas últimas cinco semanas, avaliados em cerca de...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias