ANBIMA diz que criptomoedas e ações estão na mira de Geração Z

Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais produziu estudo sobre o investimento por pessoas dessa geração.

Jovem investidor de criptomoedas
Jovem investidor de criptomoedas

A Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA), disse em um recente estudo que a Geração Z está mais aberta aos riscos de mercado, mirando investimentos em criptomoedas e ações como parte de seus portfólios.

A Geração Z é aquela considerada por pessoas que nasceram entre 1990 e 2010, que possuem então entre 12 e 32 anos em 2022.

No estudo, a ANBIMA procurou conhecer melhor o perfil desses investidores, como onde buscam informações para investir, entre outras mais. Ao todo, participaram do levantamento Raio X do Investidor o total de 5.878 pessoas.

ANBIMA diz que Geração Z é a mais disposta a investir em criptomoedas e ações

Em sua quinta edição, a pesquisa Raio X do Investidor, realizada pela ANBIMA em parceria com o Datafolha, entrevistou vários investidores em novembro de 2021, com os dados agora sendo divulgados a público.

As pessoas pertencem à classe A/B, C e D/E, com 16 anos ou mais e em todas as cinco regiões do Brasil. Segundo a ANBIMA, o levantamento tem uma margem de erro de um ponto percentual, para mais ou menos, no nível de confiança de 95%.

Dos 5.878 entrevistados, 5.604 pessoas declararam conhecer algum tipo de investimentos, sendo que 1.761 já investidora e outros 1.522 que procuram informações sobre o tema.

Chamou atenção para Marcelo Billi, superintendente de Comunicação, Certificação e Educação de Investidores da ANBIMA, ficou claro que os mais jovens consideram correr mais riscos, inclusive com criptomoedas.

Outro traço importante é o fato de os investidores mais jovens estarem arriscando e experimentando mais, tendo um interesse muito grande, por exemplo, em criptomoedas. Ter uma carteira um pouco mais arriscada faz sentido quando se é jovem: você tem o tempo a seu favor. O que precisamos sempre lembrar é que isso faz sentido dentro de uma carteira diversificada, sem estar exposto só a um risco específico e com um portfólio que esteja adequado aos seus objetivos.

Mas o que chama atenção na característica da Geração Z no levantamento da ANBIMA não é apenas sobre as criptomoedas, mas também sobre deixar o dinheiro em casa/no colchão. Isso pode refletir que essa geração tem uma maior desconfiança nas instituições financeiras tradicionais que demais gerações.

Investidores da Geração Z são os que mais investem em criptomoedas e guardam dinheiro em casa
Investidores da Geração Z são os que mais investem em criptomoedas e guardam dinheiro em casa. ANBIMA

Geração Z busca informações de investimentos em meios digitais

Billi destacou que os dados mostram que a Geração Z gosta muito de canais digitais para buscar informações, principalmente no YouTube.

“Os dados sobre o acesso a canais digitais da Geração Z mostram realmente um ponto de inflexão, com um número muito mais significativo do que as demais gerações aderindo aos canais digitais para buscar informações, decidir como e onde aplicar e implementar essa decisão.”

Onde as gerações buscam informações sobre investimentos, segundo ANBIMA
Onde as gerações buscam informações sobre investimentos, segundo ANBIMA

Quando questionados sobre conhecimentos em instituições financeiras tradicionais, a Geração Z também se mostrou mais conhecedora de bancos digitais, aqueles que não possuem agências.

Esses dados então revelam que as pessoas dessa faixa etária podem estar mais dispostas a correr riscos com seus investimentos e mais antenadas em oportunidades digitais.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias