Após ONU declarar guerra às criptomoedas, OMT quer conhecer iniciativas

Braço da ONU de Turismo espera trabalhar com empresas de criptomoedas.

Computador acessando a Organização Mundial do Turismo
Computador acessando a Organização Mundial do Turismo

A Organização Mundial do Turismo (OMT) quer conhecer iniciativas com criptomoedas, NFTs, entre outros mais, mesmo após a ONU declarar guerra às moedas digitais descentralizadas.

Nos últimos dias, a Organização das Nações Unidas, a ONU, declarou uma guerra contra às criptomoedas, chamando atenção em todo o mundo.

Ao afirmar que nem tudo que reluz é ouro, um relatório divulgado pela agência pede que governos proíbam anúncios sobre o Bitcoin, maior moeda digital pública.

Além disso, o vasto material pede que as carteiras de criptomoedas sejam melhor controladas, assim como impostos sejam aumentados para quem trabalha com essas moedas que não passam pelo controle estatal.

A preocupação do principal órgão de comércio da ONU, a UNCTAD é que moedas como o bitcoin coloquem em risco a soberania monetária, devendo ser rapidamente regulado.

OMT contrária ONU e quer conhecer novidades

Enquanto o setor ligado ao comércio e desenvolvimento da ONU quer acabar com as criptomoedas, o setor de Turismo da organização mundial espera ir de encontro a um possível banimento.

Isso porque, a agência oficial de Turismo da ONU, a OMT, quer conhecer os sistemas de criptomoedas em seu famoso evento “UNWTO Awake Tourism Challenge“.

Com inscrições abertas para todo o mundo até o dia 15 de outubro, o evento espera ajudar o mundo a desenvolver um turismo sustentável e resiliente. Dessa forma, foram lançadas seis vertentes de interesse, que são Educação, Tecnologia, Comunidades Locais, Empoderamento Feminino, Sustentabilidade e Economia Verde.

Assim, as empresas concorrem para apresentar suas soluções de base tecnológica e, se ganharem, passam a fazer parte do ecossistema de inovação em turismo da ONU.

Chama atenção que a OMT diz serem bem-vindos na categoria “Tecnologia do Turismo para o Bem”, as soluções criadas com “Inteligência Artificial, criptomoedas, blockchain, metaverso e NFTs“.

Ou seja, enquanto um braço da ONU quer lançar guerra contra a inovação, outro espera aproveitar as vantagens que a tecnologia oferece para criar um ambiente de geração de emprego e renda através do turismo em todo o mundo.

De acordo com o Ministério do Turismo no Brasil, a última edição viu uma startup brasileira ser vencedora em uma das categorias, empresa que mudou sua sede para Madri (Espanha) e cresce seu negócio.

Criptomoedas permitem transações instantâneas de qualquer local

Uma das barreiras ao turismo mundial é justamente o câmbio, que deve ser uma área de estudo a parte para quem deseja conhecer outras regiões pelo planeta.

Contudo, com as criptomoedas o assunto se torna mais fácil, visto que é possível transportar quantias de modo fácil nesses sistemas e consumir com elas, sem a necessidade de conversões de câmbio.

É claro que o turismo está atento a essa realidade, e no Brasil, a praia de Jericoacoara é um exemplo de que as empresas locais já aceitam Bitcoin como meio de pagamento, facilitando o consumo para clientes.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias