Argentina restringe compra de dólares, medida pode fortalecer Bitcoin no país

Siga no
Bitcoin (BTC e Blockchain) na Bandeira da Argentina
Bitcoin na Bandeira da Argentina

O banco central da Argentina impôs restrições à compra de dólares americanos (USD), em um esforço para dar fôlego a sua moeda em queda, o peso argentino.

Agora, os argentinos estão limitados a compras de US $ 10.000 por mês, de acordo com um comunicado publicado pelo banco central no domingo. Qualquer quantia além do limite exigirá permissão especial.

Além disso, os exportadores são obrigados a liquidar seus ganhos em divisas no mercado local dentro de um prazo de cinco dias. E nenhuma empresa poderá acumular dólares americanos.

Essas medidas visam “manter a estabilidade do câmbio”, disse o banco central.

No mês passado, o peso argentino afundou mais de 30% em relação ao dólar americano, pois o presidente do país, Mauricio Macri, perdeu as eleições primárias. Ações e títulos locais também sofreram um grave acidente.

Argentina em crise, preço do Bitcoin sobe

Como reportado pelo Livecoins em agosto, o preço do Bitcoin está sendo negociado por preços acima da média mundial na Argentina, a população que procura uma maior estabilidade econômica, recorre ao Bitcoin que não é controlado pelo governo. Como a procura é alta, e a oferta é limitada, o preço da moeda digital tende a subir.

De acordo com o site coindance, o volume de bitcoins negociados na Argentina começou a subir em julho, atingindo um pico de US $ 15 milhões e US $ 12 milhões em Agosto. Com essa recente restrição aos fluxos financeiros, investidores e empresas estarão procurando métodos alternativos de movimentar dinheiro e o Bitcoin pode ser a resposta para seus problemas.

“Compre Bitcoin” diz especialista

A demanda por Bitcoin na Argentina, que é um ativo digital, deve aumentar ainda mais, alguns suspeitam. “Compre Bitcoin”, twittou Preston Byrne, advogado especializado em criptomoedas, após a notícia.

Dados de volumes mostram que os argentinos negociam mais Bitcoins na Localbitcoins que em corretoras de criptomoedas, uma tendência que pode continuar se as circunstâncias seguirem as da Venezuela.

Os problemas econômicos da Argentina podem não coincidir com os da Venezuela, mas os defensores do Bitcoin pareciam antecipar a crise meses antes.

O investidor bilionário Tim Draper chegou a se reunir com o presidente do país no início deste ano para apostar no Bitcoin superando a moeda do país. Draper pediu ao presidente da Argentina para legalizar o Bitcoin para melhorar a economia, adotando o Bitcoin como sua nova moeda oficial do estado.

Leia mais sobre:
Mateus Nunes
Mateus Nuneshttps://livecoins.com.br
Analista de Sistemas, entusiasta de criptomoedas e blockchain. Tradutor do site Bitcoin.org Sugestão de pauta: mateus@livecoins.com.br

Fox Business confunde Bitcoin e entrevista apoiador do Bitcoin SV

A Fox Business entrevistou ontem Jimmy Nguyen, um apoiador da criptomoeda Bitcoin SV (BSV), uma cópia de uma outra cópia do bitcoin que se...

“Ninguém vai banir o Bitcoin”, diz diretor do Dep. do Tesouro dos EUA

Brian Brooks, o diretor do Gabinete Controlador da Moeda (em inglês, Office of the Comptroller of the Currency - OCC) comentou sobre os rumores de...
PayPal App

PayPal: “Criptomoedas precisam de regulação”

Para o CEO do PayPal, Dan Schulman, o mercado de criptomoedas precisa trabalhar em estreita colaboração com reguladores para ter uma "chance de sobrevivência"....

Últimas notícias

“Ninguém vai banir o Bitcoin”, diz diretor do Dep. do Tesouro dos EUA

Brian Brooks, o diretor do Gabinete Controlador da Moeda (em inglês, Office of the Comptroller of the Currency - OCC) comentou sobre os rumores de...

PayPal: “Criptomoedas precisam de regulação”

Para o CEO do PayPal, Dan Schulman, o mercado de criptomoedas precisa trabalhar em estreita colaboração com reguladores para ter uma "chance de sobrevivência"....

Crimes financeiros crescem no Brasil, diz CVM

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) apontou em um relatório que o número de crimes financeiros no país aumentou. Apenas em 2020, pelo menos...