Banco Mundial se recusa a ajudar El Salvador implementar Bitcoin

Segundo a organização, eles não vão ajudar El Salvador por causa das preocupações com a transparência do Bitcoin e seu impacto ambiental.

Siga no

Anunciar que o Bitcoin será uma moeda de curso legal no país é apenas o primeiro passo para que El Salvador consiga realmente usar a criptomoeda. Ainda há um caminho longo para a implementação do ativo digital. Para ajudar com isso, o presidente de El Salvador pediu ajuda do Banco Mundial, que se recusou a dar apoio direto ao país em relação a essa mudança financeira. 

Como relatado pelo Reuters, o Banco Mundial disse que não poderá ajudar El Salvador com a implementação do Bitcoin em seu sistema financeiro. O pedido de apoio foi feito pelo Ministro das Finanças Alejandro Zelaya com o intuito de conseguir implementar a criptomoeda junto com o dólar, que o país adotou desde 2001.

No entanto, segundo a organização, eles não vão ajudar El Salvador por causa das preocupações com a transparência do Bitcoin e seu impacto ambiental.

“Enquanto o governo de El Salvador nos pediu assistência com o Bitcoin, isso é algo que o Banco Mundial não pode oferecer suporte, dado os problemas de transparência e preocupações ambientais.”

O Banco Mundial tem um papel importante em diferentes países em desenvolvimento, ajudando com empréstimos e apoio estrutural para o sistema financeiro. No entanto, como qualquer outro banco, ele tem muitos motivos para não querer apoiar o uso do Bitcoin por um país, afinal, o Bitcoin tira o poder dos bancos (incluindo o Banco Mundial).

O desafio de implementar o Bitcoin será ainda maior para El Salvador, já que a implementação da moeda digital não é algo tão fácil, principalmente para um país que está enfrentando muitas outras dificuldades.

No entanto, o Banco Mundial não foi a única instituição para quem o governo de El Salvador pediu ajuda com a missão de implementar o Bitcoin. De acordo com Zelaya, o Ministério de Finanças também pediu ajuda ao Fundo Monetário Internacional (FMI), afirmando que as negociações “foram um sucesso”.

Essa informação parece um pouco contraditória com o que o FMI afirmou recentemente, alegando que a adoção da moeda digital por El Salvador levantava diferentes preocupações para o setor financeiro. 

De acordo com a Reuters, o FMI não responde aos pedidos de comentário sobre as recentes informações compartilhadas por Zelaya.

Sem a ajuda dessas instituições, a implementação de uma nova moeda legal (digital ou não) se torna um desafio para qualquer país. Mas observar essa situação desenrolar pode ser um ótimo campo de testes para a descentralização do Bitcoin e justamente o quanto ele pode existir como moeda longe de certas instituições.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.

O Ethos de um Bitcoinheiro

Desde que eu caí na toca do coelho, algo sempre chamou a minha atenção: como os bitcoinheiros possuem um ethos próprio bastante particular. Primeiro,...
Moedas físicas de Bitcoin em várias cores

Fundo de Investimentos em Cingapura anuncia compra de Bitcoin “físico”

Um fundo de investimentos baseado em Cingapura anunciou uma nova compra de Bitcoin "físico", o que causou surpresa no mercado local. O setor financeiro tradicional...
Jogador do Flamengo Gabriel Barbosa

Token do Flamengo despenca após derrota para o Palmeiras na Libertadores

Nas últimas 24 horas, o fan token do Flamengo despencou mais de 27%, após o clube ser derrotado pelo Palmeiras na final da Copa...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias