Reino Unido faz alerta para instituições que querem adotar criptomoedas

Conforme o Bitcoin, outras criptomoedas e seus casos de uso estão se desenvolvendo a ritmo acelerado e atraindo cada vez mais usuários, tanto governos quanto instituições financeiras precisam tomar atitudes a respeito.

O Banco da Inglaterra, conhecido como o Banco Central do Reino Unido, emitiu um alerta para instituições financeiras que pensam em trabalhar com criptomoedas. O aviso foi feito através do estudo “Estabilidade Financeira em Foco: O setor corporativo e a estabilidade financeira do Reino Unido“, em tradução livre.

Segundo a nota, embora o Comitê de Política Financeira acredite que as criptomoedas apresentem um risco limitado ao sistema financeiro do Reino Unido, é preciso criar uma regulação urgentmente.

As opiniões globais parecem estar longe chegar a um consenso em relação as criptomoedas. Enquanto vemos notícias de adoção, também vemos de diferentes tipos de regulamentação e também de proibições.

Bancos não querem ficar para trás

Um estudo recente apontou que 55 dos 100 maiores bancos do mundo já estão trabalhando com Bitcoin e/ou tecnologias ligadas a ele, no caso a blockchain.

Esta porcentagem poderia ser ainda maior, visto que muitos destes bancos que não estão acompanhando esta evolução são chineses e o seu governo não permite que eles trabalhem com criptomoedas.

Já o Banco Central do Reino Unido parece estar preocupado com o rápido desenvolvimento das criptomoedas. Em sua nota, o banco expressa que é necessário acompanhar as criptomoedas de perto, regulando o setor para que elas não se tornem um problema no futuro.

“Criptoativos e os mercados e serviços associados continuam crescendo e se desenvolvendo rapidamente. Esses ativos estão se tornando cada vez mais integrados ao sistema financeiro. O Comitê de Política Financeira (FPC) julga que os riscos diretos para a estabilidade do sistema financeiro do Reino Unido por conta dos criptoativos são, atualmente, limitados. No entanto, as estruturas regulatórias e de aplicação da lei, tanto doméstica quanto globalmente, precisam acompanhar os desenvolvimentos nesses mercados de rápido crescimento, a fim de gerenciar os riscos e manter uma confiança e integridade mais amplas no sistema financeiro.”

Além disso, o Banco da Inglaterra também chama a atenção das instituições financeiras, destacando em negrito que elas sejam cautelosas ao adotar as criptomoedas.

“O Comitê de Política Financeira (FPC) continuará prestando atenção aos desenvolvimentos, incluindo a relação entre criptoativos e o sistema financeiro do Reino Unido e, assim, procurar garantir resiliência aos riscos sistêmicos que podem surgir de novos desenvolvimentos nos mercados de criptoativos. O FPC considera que as instituições financeiras devem ter uma abordagem cautelosa e prudente em qualquer adoção desses ativos.”

O mundo ainda não alcançou consenso

Conforme o Bitcoin, outras criptomoedas e seus casos de uso estão se desenvolvendo a ritmo acelerado e atraindo cada vez mais usuários, tanto governos quanto instituições financeiras precisam tomar atitudes a respeito.

O ponto é que não há um consenso global, enquanto um país adota o Bitcoin, outro o bane. E da mesma forma, enquanto um banco começa a trabalhar com a custódia de BTC, outro alega que ele é uma ameaça a economia local.

Além disso, outros casos de uso como o setor de DeFi, de rápida transformação, e stablecoins são outro desafio para instituições que desejam e precisam acompanhar seu desenvolvimento. Dividindo ainda mais as opiniões conforme é difícil encontrar uma definição única para múltiplos projetos que embora parecidos, podem trabalhar de forma bem diferente.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Henrique Kalashnikov
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias