BC dos EUA afirma que regulação das criptomoedas é para proteger leigos

Em outras palavras, o governo não fornece educação financeira e, para remediar a situação, agora deseja impôr restrições a investimentos. Sendo assim, as pessoas comuns não só perderão oportunidades como também nunca ganharão experiência, continuando dependentes do Estado.

Símbolo do Banco Central dos EUA (Federal Reserve) em nota de dólar.
Símbolo do Banco Central dos EUA (Federal Reserve) em nota de dólar.

Para Christopher Waller, governador do Banco Central dos EUA (Federal Reserve), a regulação das criptomoedas servirá para proteger investidores leigos. Sua fala ocorreu nesta sexta-feira (3) em conferência na Suíça.

“A principal questão na regulamentação dos cripto-ativos não é como proteger cripto-investidores experientes; é como proteger o resto de nós.”

Sua justificativa é que o grande público não só é incapaz de comprar criptomoedas por conta própria como também não possui conhecimento sobre questões de segurança, como armazenagem de chaves privadas.

Solução do Banco Central dos EUA é simples: proibir

Citando a possibilidade de algumas pessoas perderem dinheiro por falta de conhecimento, o governador do Banco Central dos EUA aponta que o melhor caminho é simplesmente proibir que as pessoas usem tais serviços.

“Novos usuários de varejo, por definição, não têm experiência em cripto,” argumenta Christopher Waller do Fed. “Eles não sabem como comprar um cripto-ativo de forma independente, como obter e proteger uma chave privada, como realizar negociações em um protocolo DeFi ou como escrever um contrato inteligente.”

“Eles precisam de ajuda […], exchanges, carteiras e outros intermediários estão dispostos a fornecê-la. Mas, embora os intermediários possam ajudar a monitorar e gerenciar riscos, eles não podem eliminá-los. Em um mercado tão volátil, qualquer usuário ainda tem uma chance significativa de perder seu dinheiro.”

Em outras palavras, o governo não fornece educação financeira e, para remediar a situação, agora deseja impôr restrições a investimentos. Sendo assim, as pessoas comuns não só perderão oportunidades como também nunca ganharão experiência, continuando dependentes do Estado.

Novamente, um dos pontos citados foi o colapso da Terra (LUNA) e da stablecoin TerraUSD (UST), provável estopim para uma regulação global e mais severa.

“Vimos isso apenas algumas semanas atrás com o que só pode ser descrito como uma “corrida” no ecossistema Terra.”

Curiosamente, estas duas criptomoedas também deram prejuízos a grandes players, como o investidor Mike Novogratz e até mesmo a gigante Binance, que perdeu bilhões de reais investidos. Portanto, as criptomoedas punem a todos, não apenas os leigos, e o mesmo acontece no mercado de ações.

Criptomoedas estão evoluindo sozinhas

Durante o início do Bitcoin, tudo era mais difícil. Pessoas precisavam sincronizar toda sua blockchain para usar uma carteira, salvar chaves privadas gigantes e cheias de caracteres aleatórios.

Contudo, os anos se passaram e a indústria começou a criar soluções, como carteiras leves (SPV) e com design amigável. Além disso, as extensas chaves privadas foram substituídas por frases-semente, geralmente com 12 palavras, facilitando seu manuseio.

Tais exemplos vão além, incluindo diversos materiais de aprendizagem criados muitas vezes de graça. Contudo, isso já é o bastante para mostrar que a própria indústria está mais preocupada com seus usuários do que governos.

Por fim, é difícil acreditar que as manobras de Bancos Centrais estejam relacionadas a segurança dos usuários. Ao que tudo indica, estes apenas querem continuar com seu controle sobre as massas.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Henrique Kalashnikov
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias