Banco Central Europeu culpa criptomoedas pela inflação e faz alerta de crash

Já no relatório desta quarta-feira (17), o BCE emitiu um alerta sobre risco de correção nos mercados imobiliários de criptomoedas. Mostrando-se preocupado com seus cidadãos, ou melhor, com a possiblidade de seus cidadãos protegerem seu poder de compra ao migrar para ativos como o Bitcoin.

BCE Euro Europa Banco Central Europeu Eurotower
Eurotower/ECB

Através de um relatório publicado nesta quarta-feira (17), o Banco Central Europeu (BCE) fez menção a crescente demanda por criptomoedas, considerando-o como um mercado arriscado, assim como o setor imobiliário.

No relatório, o Banco Central Europeu (BCE) listou as criptomoedas que, segundo ele, podem agravar possíveis desacelerações do mercado financeiro se os planos de recuperação econômica.

Já em outra nota publicada nesta terça-feira (16), o BCE afirma que a alta inflação atual está sendo causada apenas pelo preço da energia e da rápida reabertura da economia, afetada pela pandemia.

Estes relatórios são, no mínimo, uma afronta a inteligência do cidadão. Não é à toa que o Bitcoin está sendo cada vez mais procurado como uma forma de proteção contra a inflação. Afinal, as moedas fiduciárias, embora estáveis no curto prazo, tem um único futuro que é perder cada vez mais o seu poder de compra.

A culpa da inflação

Em um relatório anterior, intitulado “Por que a inflação está tão alta atualmente” e publicado nesta terça-feira (13), o Banco Central Europeu joga a culpa nos altos preços da energia e na reabertura rápida da economia.

De acordo com o BCE, os investidores buscam caminhos de investimento que prometem rendimentos significativamente mais elevados, devido à queda nas taxas de juros e ao aumento da inflação. Essa tendência, de acordo com o banco, levou ao aumento da atividade de investimento em segmentos de mercado como criptomoedas.

“A inflação está alta hoje porque esteve muito baixa no ano passado”

Como esperado, em nenhum momento o Banco assume a culpa pela introdução desenfreada de mais dinheiro no mercado. Já na semana, a Bloomberg publicou um artigo destacando que o Bitcoin apresentou deflação de 99,996% nos últimos 10 anos.

Também não é consciência que o preço do bitcoin está subindo conforme outras economias gigantes, como dos EUA, apresentam recordes de inflação, níveis não vistos há décadas.

Visto que o BCE citou o custo da energia, também é bom ficar de olho na mineração. Logo eles vão jogar a culpa nessa atividade, alegando que a mesma está causando inflação.

Risco de correção nas criptomoedas

Já no relatório desta quarta-feira (17), o BCE emitiu um alerta sobre risco de correção nos mercados imobiliários de criptomoedas. Mostrando-se preocupado com seus cidadãos, ou melhor, com a possiblidade de seus cidadãos protegerem seu poder de compra ao migrar para ativos como o Bitcoin.

“O risco de correção de preços aumentou em alguns mercados imobiliários e financeiros. […] Os segmentos mais arriscados dos mercados financeiros globais têm experimentado uma demanda crescente dos investidores, com aumento do interesse em novas classes de ativos, como cripto-ativos.”, aponta o relatório do BCE

Por ser um mercado aberto, sem sofrer influência de governos, flutuações de preço já são comuns no Bitcoin, e outras criptomoedas, elas existem há mais de dez anos. Não há nada de anormal aqui.

Apesar destes riscos, obviamente as pessoas estão preferindo se expor um ativo que tenha uma emissão controlada de novas moedas. E essa é uma necessidade tão grande justamente pois nenhum governo consegue oferecer tal política monetária, todos estão imprimindo dinheiro ad infinitum.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Henrique Kalashnikov
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias