Bitcoin não será um meio de troca global, diz Charlie Munger

Munger sempre foi um crítico do Bitcoin. Ele chamou a moeda digital de "uma insanidade total" em novembro de 2017.

Siga no
Charlie Munger, vice-presidente da Berkshire Hathaway e parceiro de negócios de longa data de Warren Buffett.
Charlie Munger, vice-presidente da Berkshire Hathaway e parceiro de negócios de longa data de Warren Buffett.

Charlie Munger, parceiro de longa data do veterano investidor Warren Buffett e crítico do Bitcoin, atacou mais uma vez a criptomoeda. Durante uma entrevista na reunião anual de acionistas do Daily Journal, o executivo descartou as chances do Bitcoin de se tornar um meio de troca.

“Não acho que o bitcoin acabará sendo um meio de troca para o mundo. É muito volátil para servir bem como meio de troca”, disse ele.

Munger, de 97 anos, é vice-presidente da Berkshire Hathaway, empresa de Warren Buffett. Ele disse também que não consegue decidir o que é pior: “Bitcoin a US $ 50 mil ou Tesla a US $ 1 trilhão.”

“Não consigo decidir a ordem de precedência entre uma pulga e um piolho.” disse ele, “Sinto o mesmo em relação a essas escolhas”, e acrescentou: “Não sei o que é pior”.

Munger afirmou que o Bitcoin o lembra do comentário de Oscar Wilde sobre a caça à raposa, “a busca do intratável pelo indizível”.

Em seu comentário mais “pró” Bitcoin de todos os tempos, Munger disse que o ativo é como um “substituto artificial do ouro”, mas ele nunca compraria nenhum dos dois.

Bitcoin é realmente uma espécie de substituto artificial do ouro e, como eu nunca compro ouro, nunca compro Bitcoin. Eu recomendo que outras pessoas sigam minha prática.”

Charlie Munger

Munger sempre foi um crítico do Bitcoin. Ele chamou a moeda digital deuma insanidade total em novembro de 2017. Já em 2018, em entrevista à CNBC, ele se referiu ao Bitcoin e outras criptomoedas como “bolhas”.

Munger foi perguntado agora se o Bitcoin poderia ser uma ameaça competitiva aos bancos americanos. Ele respondeu que não sabe qual o futuro dos bancos, mas afirmou que o Bitcoin não se tornará um meio de troca global.

“Não sei exatamente qual é o futuro dos bancos e não acho que sei como o sistema de pagamentos irá evoluir. Eu realmente acho que um banco administrado corretamente é um grande contribuinte para a civilização e que os bancos centrais do mundo gostam de controlar seu próprio sistema bancário e seu próprio suprimento de dinheiro . Portanto, não acho que o Bitcoin acabará sendo um meio de troca para o mundo.”

Você pode assistir a entrevista completa no vídeo abaixo:

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Livecoins
Livecoins é um portal de blockchain e criptoeconomia focado em notícias, artigos, análises, dicas e tutoriais.
Homem segurando criptomoedas em mão

Secretários de Macaé são acusados de enriquecimento ilícito e investimentos “elevados” em criptomoedas

Alguns secretários municipais de Macaé foram acusados em redes sociais de obter enriquecimento ilícito e negociar criptomoedas, obtendo para si vantagens indevidas. A negociação de...
Homem jogando dinheiro para cima bilionários do Bitcoin

Usuário compra bitcoin por 11 mil dólares durante flash crash da Binance

Durante uma queda repentina nos preços de várias moedas na Binance americana, onde o Bitcoin chegou a ser negociado por 8.200 dólares por menos...

Bitcoin atingiu novo recorde histórico, o que mudou na rede?

OÉ importante manter a conjuntura Macro clara, e para isso, os indicadores cíclicos continuam atualizar a cada dia que passa junto com o preço...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias