Bitcoin valoriza R$ 3.000 em 24 horas e se aproxima de US $11.000

Siga no

Na semana passada o bitcoin enfrentou uma queda que levou a moeda digital para abaixo do suporte importante de US $ 10.000. Mas nesta terça-feira (3) – dia do trabalho nos EUA e o Canadá – a criptomoeda teve uma forte recuperação, subindo mais de 8%.

O sentimento do mercado está mudando muito rapidamente. Se há quatro dias o preço do bitcoin caminhava rumo ao nível de US $ 9.000 pela primeira vez desde junho, agora, parece que os touros estão de volta.

No momento da redação desta matéria, o bitcoin está sendo cotado a US $10.667, alta de 8% de acordo com dados do coin market cap. E um analista acredita que a alta da moeda digital não vai parar tão cedo.

Na segunda-feira (2), o analista publicou um artigo no site NewsBTC sobre a alta esperada do bitcoin.

Este analista e muitos outros notaram, que o recente movimento de preço do Bitcoin se assemelhava ao que foi visto no final de 2018, quando a moeda digital caiu abaixo de US $ 4.000 e fez muitos investidores concluírem que o grande momento da criptomoeda havia chegado. Isso quer dizer que, caso a história se repita, o bitcoin ainda vai subir. O que significa que a ação histórica de preço do Bitcoin se esgotará nesse período menor, o BTC atingirá US $ 11.500 na próxima semana. Esse fractal, que é um padrão inferior de inversão de movimento e rotação (BARR), implica cerca de 10% de alta em relação ao preço atual de ~US $ 10.600.

Podemos esperar que o nível mencionado de US $ 11.500 seja difícil, principalmente porque a linha média móvel significativa de 50 dias, juntamente com a linha de tendência descendente, que começou a se formar quando o Bitcoin registrou sua alta de 2019 em US $ 13.880. Os dois criam uma área de resistência muito forte. E depois de uma boa olhada, podemos ter um pouco de alívio.

“Alta do Bitcoin se correlaciona com o yuan chinês”

Um trader de criptomoedas popular no Twitter, apontou que, pela enésima vez desde o início da guerra comercial entre os EUA e a China, o Bitcoin subiu à medida que o dólar americano se fortalecia contra o yuan chinês.

Ele afirma que isso provavelmente não é uma coincidência, especialmente considerando o motivo de repetição do bitcoin aumentando em meio à evolução da guerra comercial.

Basta olhar para a imagem abaixo, que mostra que quando o Yuan começou a entrar em colapso em meio à implementação de novas tarifas, o Bitcoin subiu.

Apesar dessa clara correlação, Peter Schiff, um popular touro do ouro, criticou a narrativa de que o Bitcoin é um porto seguro viável. Em um tweet publicado ontem, ele escreveu que a recente alta não é um sinal de que a criptomoeda é beneficiada por ser uma “compra de refúgio [semelhante] ao ouro”.

Em vez disso, Schiff argumentou que o Bitcoin está sendo comprado por “especuladores”, apostando que os investidores estão procurando uma reserva de valor.

Mas, como publicado anteriormente pelo Livecoins, a guerra comércial entre duas das maiores economias do mundo inevitavelmente aumentará o preço do Bitcoin.

De acordo com Hans, um pesquisador da Ikigai Capital Management, essa nova fase da guerra comercial só será boa para o Bitcoin. Em um tópico publicado no Twitter, o analista de criptomoedas argumentou que, para combater o efeito econômico negativo dessas tarifas, o Banco Popular da China deve desvalorizar sua moeda.

Hans afirma que “essa inflação eleva o preço de TODOS os ativos, mas especialmente aqueles que são escassos, como commodities, ouro e Bitcoin”.

Bitcoin continuará em alta de acordo com analistas

Embora este rali pareça já estar diminuindo, alguns esperam que o momento de alta do Bitcoin persista. Conversando com a Bloomberg na semana passada, Mike Novogratz, da Galaxy Digital, disse que as instituições estão finalmente começando a entrar no jogo de criptomoedas e, portanto, aumentarão o preço do Bitcoin.

Como muitos outros do setor, ele acredita que essa classe de investidores trará níveis monumentais de capital para esse espaço, superando todos os investidores de varejo que vieram antes deles. Em entrevistas anteriores, o ex-parceiro da Goldman Sachs explicou que as instituições provavelmente elevariam o Bitcoin a US $ 20.000, potencialmente até o final do ano:

“Não vou vender da próxima vez que chegarmos a US $ 14.000. Na segunda vez que atingimos esse nível, pode haver uma mudança para US $ 20.000. Não espero que isso aconteça nas próximas semanas: não espero que seja no meio ou no final do quarto trimestre. Mas a próxima onda virá quando as instituições entrarem, e você verá o Bitcoin atingir US $ 20.000 ou mais.”

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Mateus Nuneshttps://livecoins.com.br
Fundador do Livecoins. Analista de Sistemas, entusiasta de criptomoedas e blockchain. Tradutor do site Bitcoin.org
CVM versus Coinbene corretora no Brasil

Corretora de criptomoedas anuncia fim de atividades no Brasil

A corretora global de criptomoedas Coinbene anunciou nesta segunda-feira (18) o fim de suas atividades no Brasil, devido a razões políticas "conhecidas". Está é segunda...
Martelo da Justiça e Bitcoin em destaque

Safra pede bloqueio de criptos em corretoras para cobrar dívida de posto de gasolina

O Banco Safra poderá pedir o bloqueio de criptomoedas em corretoras em um caso que envolve uma rede de postos em São Paulo que...

Primeiro ETF de Bitcoin nos EUA estreia nesta terça-feira

Embora muitos apontassem que o ETF da Valkyrie seria o primeiro a ser aprovado, a ProShares saiu na frente desta largada. Segundo a empresa,...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias