Bitcoin volta a subir após divulgação dos dados de inflação dos EUA

Segundo os dados divulgados pelo BLS nesta quarta-feira (15), o custo da alimentação nos EUA não apresentou alterações no mês de abril, ficando em 2,2% no ano. De qualquer forma, o custo de outros bens e serviços continua pesando no bolso dos americanos.

Negociado a US$ 66.000, o Bitcoin opera em alta diária de 6% nesta quarta-feira (15). O motivo por trás da alta foi a divulgação dos dados de inflação dos EUA, que apresentou uma porcentagem abaixo da esperada pelo mercado.

Segundo dados do BLS (Bureau of Labor Statistics), o Índice de Preços ao Consumidor subiu 0,3% em abril, chegando a 3,4% no ano. Antes disso, em fevereiro e março, os aumentos foram de 0,4% em cada mês.

Portanto, embora o Fed ainda esteja longe de sua meta anual de 2%, o mercado melhorou suas previsões sobre cortes nos juros para esse ano. Segundo a ferramenta FedWatch do CME, as probabilidades de cortes aumentaram após a divulgação dos dados da inflação.

Mercado reage à divulgação dos dados de inflação dos EUA e fica ainda mais confiante sobre três cortes nos juros ainda em 2024. Fonte: CME FedWatch Tool.
Mercado reage à divulgação dos dados de inflação dos EUA e fica ainda mais confiante sobre três cortes nos juros ainda em 2024. Fonte: CME FedWatch Tool.

Por que a inflação americana afeta o preço do Bitcoin?

Em suma, sempre que a inflação sobe, o Banco Central tenta controlá-la através do aumento da taxa de juros. Como consequência, a economia fica mais parada, com menos empregos disponíveis e menos dinheiro em circulação. Além disso, investimentos considerados muito seguros, como títulos do Tesouro, ficam mais atraentes.

Sendo assim, tanto o Bitcoin quanto outros ativos são pressionados por essa política monetária mais apertada, já que há menos investidores considerando esses investimentos variáveis enquanto o dólar se fortalece.

Portanto, o Bitcoin subiu hoje por conta dessa antecipação, já que os dados da inflação americana vieram mais baixos do que o esperado. S&P500, índice que reúne as 500 maiores empresas dos EUA, também opera em alta nesta quarta, assim como o ouro.

Embora não seja uma ciência exata, investidores usam essas projeções para ficar à frente dos outros. Afinal, se você sabe que há uma grande chance da economia estar mais solta no final do ano, você não esperará até o ‘momento da ação’ para tomar posições.

Como estão os dados de inflação dos EUA de abril?

Segundo os dados divulgados pelo BLS nesta quarta-feira (15), o custo da alimentação nos EUA não apresentou alterações no mês de abril, ficando em 2,2% no ano. De qualquer forma, o custo de outros bens e serviços continua pesando no bolso dos americanos.

Os principais vilões são moradia e serviços de transporte, ficando em 5,3% e 11,2%, respectivamente, ao ano. A energia também voltou a subir nos últimos meses, 1,1% em abril, principalmente por conta dos combustíveis (2,8% no mês passado).

Dados de inflação dos EUA de 2024. Fonte: BLS/Reprodução.
Dados de inflação dos EUA de 2024. Fonte: BLS/Reprodução.

Dado que o preço desses bens e serviços também é afetado por outros fatores, além da lambança que o Fed fez em 2020, é possível que Jerome Powell e sua equipe já estejam contentes com os números e comecem a tirar o pé do freio nas próximas reuniões.

Por fim, investidores também estão de olho nas eleições presidenciais dos EUA. Isso porque a indústria parece estar cansada do governo de Joe Biden e acredita que Donald Trump possa trazer mais benefícios para o mercado.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de criptomoedas do mercado ganhe até 100 USDT em cashback. Cadastre-se

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias

Últimas notícias