Fundador da Uniswap diz que Biden perderá eleições caso continue guerra contra as criptomoedas

Embora também já tenha sido um grande crítico do Bitcoin, Trump mudou seu discurso à medida que o número de investidores cresce no país.

Hayden Adams, criador da Uniswap, acredita que as criptomoedas poderão definir as eleições presidenciais americanas de 2024. Nas redes sociais, o desenvolvedor criticou a postura dos Democratas em suas campanhas, tratando a abordagem hostil ao setor como um erro de estratégia.

Fundador da maior corretora descentralizada de criptomoedas, Adams também foi vítima dessa guerra ao ser processado nos EUA. Apesar de ter vencido o processo, tudo indica que agora a SEC está pronta para processar a Uniswap.

Além dele, outros nomes de peso do setor se posicionaram sobre as eleições americanas nesta semana. O movimento parece planejado e, desta forma, uma tentativa da indústria em pressionar reguladores americanos.

Fundador da Uniswap diz que criptomoedas terão impacto nas eleições dos EUA

Iniciando seu texto, Hayden Adams afirma que Hillary Clinton está errando ao fazer campanhas em estados nos quais a derrota dos Democratas está garantida. Seguindo, aponta que Joe Biden está errado ao pensar que eles não perderão votos enquanto Elizabeth Warren e a SEC continuam pressionando o mercado de criptomoedas.

“Os republicanos estão sentindo o cheiro de sangue na água e estão se voltando firmemente para as criptomoedas.”

Nas últimas semanas, por exemplo, Donald Trump zombou de Joe Biden ao afirmar que o atual presidente dos EUA nem mesmo sabe o que são criptomoedas. Embora também já tenha sido um grande crítico do Bitcoin, Trump mudou seu discurso à medida que o número de investidores cresce no país.

“Não há muito tempo para Biden salvar a situação”, continuou o criador da Uniswap. “Qualquer pessoa próxima a ele ou à liderança democrata deveria estar expressando o quão sério isso é e pressionando por uma reversão imediata em sua abordagem às criptomoedas (apoio/plano público e contenção da SEC e de [Elizabeth] Warren).”

Warren, citada por Adams, é uma das mais antigas inimigas do setor. Ainda em 2021, a senadora comparou o Bitcoin com óleo de cobra. Nos anos seguintes, propôs diversos projetos de leis abusivos, como a criminalização da autocustódia de criptomoedas.

Já a SEC, embora tenha aprovado os ETFs de Bitcoin, continua processando diversas empresas da indústria enquanto ainda se recusa a deixar claro quais criptomoedas considera ser valores mobiliários.

Eleições americanas podem mudar o futuro do Bitcoin

Outro que comentou sobre a situação foi Mike Novogratz. Segundo o CEO da Galaxy, o Bitcoin só irá subir após as eleições americanas e, até lá, deve continuar seu movimento de lateralização nos gráficos.

Dado a força econômica dos EUA, é possível que o Bitcoin caia caso Biden seja reeleito ou então suba caso Trump consiga voltar à presidência. Embora o Bitcoin não tenha partido político, muitos apontam que o apoio a Trump é apenas uma proteção, ou seja, uma espécie de escolha do menos pior.

Por fim, o Bitcoin teve um salto de 5% nesta quarta-feira (15) e voltou a ser negociado acima dos US$ 65.000. Mesmo assim, a resistência na região dos US$ 70.000 parece estar forte demais para o mercado rompê-la no curto prazo.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de criptomoedas do mercado ganhe até 100 USDT em cashback. Cadastre-se

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias

Últimas notícias