BNY Mellon investe em empresa de criptomoedas

Movimento reforça que interesse institucional no Bitcoin deve continuar nos próximos meses.

Siga no
BNY Mellon Center, Pittsburgh
BNY Mellon Center disponível em Flickr

De acordo com o Wall Street Journal, o Bank of New York Mellon (BNY) – o banco mais antigo dos EUA – investiu em uma empresa de criptomoedas. O movimento é importante para demonstrar o interesse institucional no Bitcoin.

A empresa de criptomoedas Fireblocks foi a escolhida pelo banco. Ao fornecer a infraestrutura para custódia de criptomoedas, inclusive o Bitcoin, a Fireblocks captou US$ 133 milhões.

Outra empresa que participou da rodada de investimentos foi a Silicon Valley BancVentures, também conhecida no mercado de capital de risco.

Ao todo, cinco empresas aportaram na empresa de criptomoedas, que ganha um reforço estratégico em suas operações.

BNY Mellon

De acordo com o WSJ, o BNY Mellon finalmente revelou suas intenções quanto ao mercado de criptomoedas.

Tudo começou em fevereiro de 2021, quando o banco mais antigo dos EUA anunciou que iria comprar e custodiar Bitcoin para seus clientes.

O banco agora está investindo em uma empresa que atua no ramo das moedas digitais, mostrando que se preocupa com a infraestrutura do mercado. A Fireblocks, que começou em 2018, afirmou que com o novo aporte se torna a empresa mais bem financiada do setor.

“Temos a honra de dizer que, com a conclusão desta rodada de financiamento, a Fireblocks é agora o provedor de infraestrutura de criptomoedas mais bem financiado do setor – com um total acumulado de $ 179 milhões arrecadados até o momento.”, afirmou a empresa, que captou milhões desde 2018.

A empresa ainda afirmou que já criou milhões de carteiras de criptomoedas para aproximadamente seus clientes. Além disso, já teria movimentado a quantia de US $ 400 bilhões em criptomoedas desde seu lançamento.

“Fintechs e bancos exigem não apenas uma custódia especializada e infraestrutura de liquidação para garantir que os fundos dos clientes sejam administrados com segurança, mas uma plataforma que permita novas linhas de ofertas digitais”, disse Michael Shaulov, CEO da Fireblocks.

Ação mostra interesse de Wall Street na infraestrutura das criptomoedas

O diretor executivo do BNY Mellon, Roman Regelman, afirmou que não foi fácil escolher uma empresa de criptomoedas para investir. Mesmo assim, ele acredita que a Fireblocks foi a melhor opção, após vários estudos.

“O desenvolvimento de produtos para unir ativos digitais e tradicionais é fundamental para o futuro da custódia. A

pós a devida diligência e pesquisa de mercado significativas, reconhecemos a Fireblocks como líder de mercado no fornecimento de tecnologia segura para oferecer suporte a serviços de ativos digitais.”

Em nota, a Fireblocks afirmou que ter parceiros como o BNY Mellon é uma grande responsabilidade. Dessa forma, a empresa acredita que poderá crescer e melhorar as pontes entre ativos tradicionais e às criptomoedas, atraindo uma nova leva de investidores institucionais para o mercado de criptomoedas.

“Na Fireblocks, não poderíamos estar mais animados com o que vem a seguir, pois o sistema financeiro global continua a mudar e evoluir. Queremos parabenizar e agradecer a todos os nossos clientes, parceiros e investidores. Juntamente com nossos primeiros usuários, construímos uma plataforma segura que permitirá a uma nova classe de instituições entrar no espaço de ativos digitais – é por isso que estamos nisso a longo prazo.”, afirmou a Fireblocks.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Imóveis nos EUA são vendidos acima do preço ofertado

A Redfin, agente imobiliário listado na bolsa Nasdaq, informou que o mês de março foi recorde nas 400 regiões metropolitanas em que atua. Na...
Gráfico do Bitcoin com preço em crescimento alta

Bitcoin renova máxima história e supera US $ 63 mil

Na manhã desta terça-feira (13), o preço do Bitcoin ultrapassou a marca de 63 mil dólares pela primeira vez na história . A criptomoeda...

Revista TIME terá Bitcoin em seu balanço patrimonial

A revista TIME, uma das mais importantes do mundo, com quase 100 anos de história, decidiu seguir outras empresas como a Tesla e vai...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias