Em parceria com a USP, Bradesco quer explorar mercado de criptomoedas

Banco apoiará pesquisas em várias tecnologias emergentes em uma das maiores universidades da América Latina.

O Bradesco fechou uma importante parceria com a Universidade de São Paulo (USP), para estudar melhor o mercado de blockchain e de criptomoedas, mostrando que tem interesse em conhecer aplicações com novas tecnologias emergentes.

Além disso, o banco quer pesquisas ligadas a inteligência artificial, machine learning, computação quântica e internet das coisas.

A assinatura do memorando de entendimento entre o banco e a universidade ocorreu no dia 16 de fevereiro de 2023, com uma cerimônia realizada no Gabinete do Reitor, no prédio da Reitoria, em São Paulo.

Bradesco e USP querem explorar mais sobre o mercado de criptomoedas

Durante a cerimônia de colaboração entre as instituições, o reitor da USP, Carlos Gilberto Carlotti Junior, destacou que a inovação é um dos pilares de sua gestão.

Assim, ele entende que existem dois focos atuais, sendo um no desenvolvimento de políticas públicas, e outro em inovações.

“A inovação tem de ser gerada em coparticipação com as empresas, com o mercado e com o setor público, por isso temos que trazer esse tipo de parceria cada vez mais para dentro da USP.”

De acordo com o Jornal da USP, o reitor da USP lembrou que várias iniciativas na universidade já visam incentivar a inovação e empreendedorismo.

Também presente no evento, o presidente do conselho de administração do Banco Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, se mostrou contente em participar com o Centro de Inovação da USP (InovaUSP) nas novas pesquisas.

“A cooperação é capaz de dar ao processo inovativo a agilidade que ele requer. Somos um banco que acredita na inovação e precisamos de talentos externos, e isso passa pela parceria com o InovaUSP.”

Banco já patrocinou pesquisas na universidade em outras ocasiões

Durante a pandemia da Covid-19, o Bradesco ajudou uma pesquisa da USP a desenvolver um ventilador pulmonar emergencial de baixo custo, para o enfrentamento a crise sanitária imposta pela doença.

Para o pró-reitor de Pesquisa e Inovação da USP, Paulo Alberto Nussenzveig, o Bradesco assume uma postura assertiva ao apoiar a pesquisa no Brasil.

“É muito bom constatar essa postura assertiva do Bradesco. Nós sabemos que um ecossistema de inovação saudável só decola se tiver a parceria muito próxima entre os três setores: academia, empresas e governo. É cada vez mais evidente que, numa era da ciência, a inovação é sim uma das missões da Universidade.”

Vale lembrar que no mês de janeiro de 2023, o Bradesco já havia deixado aberta a possibilidade de abrir sua própria corretora de criptomoedas. Ou seja, ao que tudo indica, os planos do banco, um dos maiores do Brasil, envolve também o apoio a pesquisa no mercado.

💰 $100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias