Brasil é segundo país mais interessado em Bitcoin. Riscos em alta

O país do 171?

Siga no
Brasileiros interessados em Bitcoin ou em ciladas?

Citando dados do Google Trends, que mede o interesse por uma determinada pesquisa, o Brasil é o segundo país mais interessado em Bitcoin nos últimos dias, mas com enormes riscos. O primeiro país que mais possui interesse no assunto é a Nigéria.

De fato o continente africano está dominando as buscas por Bitcoin no Google. Isso porque, dentre os cinco países com maior interesse, três seriam deste continente.

Brasil interessado em Bitcoin
Fonte: Google Trends

Dentre as principais pesquisas conduzidas pelos nigerianos, que ocuparam a primeira posição do ranking estão dúvidas como: quanto custa um bitcoin em relação à naira, “como conseguir bitcoins de graça”, “significado do bitcoin”. Isso mostra que a população deste país estaria em busca de conhecimento sobre a criptomoeda.

Além disso, os demais países do continente também tiveram um perfil de buscas similar ao dos nigerianos. Cabe o destaque que a população desses países tem sido assolada pela alta inflação. Outro ponto tem sido os governantes da região, que teriam começado a desenvolver moedas digitais locais.

Perfil de buscas por Bitcoin no Brasil é preocupante

O mundo todo tem buscado conhecer os princípios e história do Bitcoin. Além disso, iniciantes do criptomercado querem informações de cotação, carteiras de Bitcoin e corretoras.

Já os brasileiros estariam mais interessados em cair em possíveis golpes com criptomoedas. A justificativa seria devido à procura por empresas desconhecidas, como Unick, investimentosbitcoin.com, Indeal, entre outras opções duvidosas. Sem julgar o caráter das empresas mencionadas, o Bitcoin é uma moeda descentralizada criada para não haver intermediários. Logo associar sua imagem a empresas não é o caminho ideal para adoção deste moeda.

Interesse dos brasileiros pelo Google
Fonte: Google Trends

O Bitcoin é uma moeda digital que foi criada para ser utilizada sem empresas e governos por trás. O perfil de buscas conduzidas por brasileiros, entretanto, tem sido perigoso, mostrando que podem cair em golpes relacionados com Bitcoin e não conhecer a verdadeira criptomoeda.

Logo, apesar de ser o segundo país que mais conduz buscas pelo assunto no mundo, de acordo com dados do Google, os brasileiros estão certamente correndo riscos.

O cuidado com golpes envolvendo criptomoedas é um assunto frequentemente divulgado pela mídia. Entretanto, um golpe só ocorre quando há duas partes: um golpista e uma possível vítima. Pesquisar sobre Bitcoin pela web é um assunto que envolve golpes, não por culpa da moeda, mas muito pela ganância das pessoas.

Finalmente, rendimentos fixos mensais, porcentagens exorbitantes, facilidades e indicações, tem sido alguns dos riscos que se corre no Brasil ao realizar uma busca por Bitcoin na web. Portanto, segue aqui o alerta do Livecoins para quando for conduzir sua próxima pesquisa pela web.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Hacker e Bitcoin

Hacker rouba R$ 64 milhões em bitcoin da DeFi pNetwork

Enquanto o setor DeFi luta para continuar crescendo e provando seu valor, ele continua enfrentando diferentes problemas em suas plataformas. Desta vez um ataque...
Punhos de grupo de manifestantes erguidos no ar

Clientes da empresa do “Faraó dos bitcoins” protestam contra autoridades

Os clientes da GAS Consultoria intensificaram os protestos contra as autoridades brasileiras nesta segunda-feira (20), desta vez em frente ao TRF2 no Rio de...
Fundador Mercado Livre

Fundador do Mercado Livre investe em corretora de criptomoedas

O fundador e CEO do Mercado Livre, Marcos Galperin, participou de uma rodada Série B de investimentos na fintech Ripio, que captou cerca de...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias