Candidata a vice-presidente dos EUA pode levar visão pró Bitcoin à Casa Branca

Pode ser que a candidata também traga uma posição mais favorável ao Bitcoin à chapa de Biden.

Siga no

As eleições dos EUA são um acontecimento político muito importante para todo o mundo e, claro, também são importantes para o mercado de criptomoedas. A mais recente atualização sobre os candidatos foi a escolha da Kamala Harris como vice-presidente na chapa de Joe Biden, do partido Democratas, que pode levar uma posição favorável ao Bitcoin até a Casa Branca.

Kamala Harris, de 55 anos, é uma grande aposta dos democratas para concorrer contra a chapa de Donald Trump, o atual presidente do país norte-americano.

Kamala chama a atenção por diferentes motivos, principalmente por ser a primeira mulher afro-americana a ser escolhida como candidata a vice-presidente do país.

Chamada por Biden de “uma lutadora destemida”, Harris defende muitas causas, como a igualdade às minorias e acessibilidade a um sistema de saúde. Pode ser que a candidata também traga uma posição mais favorável ao Bitcoin à chapa de Biden.

Harris não é exatamente pró Bitcoin, pelo menos não abertamente ou falou sobre a moeda em qualquer declaração pública. No entanto, o trabalho de um político não é individual e depende de diferentes assessores e conselheiros e um dos membros do staff de Kamala já demonstrou ser aberto às criptomoedas.

Membro da equipe de Kamala é pró Bitcoin

kamala harris bitcoin
Ryan Montoya é membro da equipe de Harris e um apoiador do Bitcoin.

De acordo com o Decrypt, o mercado tem um importante elo com a atual chapa de Joe Biden. A política é um esforço coletivo, e um dos assessores de Kamala Harris é Ryan Montoya, ex CTO do Sacramento Kings, um dos mais populares times da NBA.

Não só isso, mas o Sacramento Kings foi o primeiro time da liga nacional de basquete a aceitar Bitcoin e criptomoedas. E isso não aconteceu durante os anos de glória da criptomoeda, o pagamento através do ativo digital passou a ser aceito ainda em 2014, quando a moeda digital era relativamente nova.

O time, através de uma iniciativa de Montoya, também criou um programa para a mineração de criptomoedas e um sistema de recompensas com base em blockchain. Além disso, no começo desse ano o time também lançou uma plataforma de vendas de artigos esportivos, também na blockchain.

Claro, é impossível saber como apenas 1 membro do staff de Harris pode afetar a candidata e talvez a administração caso a chapa vença. É uma influência importante para o criptomercado dentro de uma equipe que pode assumir a administração dos Estados Unidos.

Curiosamente, o Bitcoin e as criptomoedas foram um dos focos de outros candidatos à presidência, mesmo entre aqueles que acabaram desistindo da candidatura. Até mesmo alguns menores, que ainda concorrem, possuem grande influência dentro do setor.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Matheus Henrique
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.
Criptomoeda Ethereum ao lado do Bitcoin

Mineradores de Ethereum estão lucrando mais que os de Bitcoin

Os mineradores de Ethereum estão lucrando mais que os de Bitcoin, de acordo com dados divulgados por um estudo do The Block. A mineração de...
Criptomoeda Bitcoin sobre notas de Dólar dos Estados Unidos

46 milhões de americanos investiram em criptomoedas, aponta pesquisa

O número de pessoas que já compraram criptomoedas nos Estados Unidos tem aumentado nos últimos anos. De acordo com um novo levantamento, 46 milhões...
Globo Hashdesh coinbase

Globo e Coinbase investem em empresa brasileira de criptomoedas

A Rede Globo - sim, a maior emissora do Brasil e a segunda maior do mundo - por meio do seu braço de investimentos Globo...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias