Chineses são presos por ajudarem hackers da Coreia do Norte em esquema milionário com criptomoedas

250 milhões de dólares desviados

Siga no

Dois cidadãos chineses foram acusados de um crime envolvendo uma conspiração de lavagem de dinheiro realizada na Coreia do Norte em 2018. A dupla foi responsável por ajudar hackers do país a desviar milhões de dólares em criptomoedas por diversos meios.

No total, estima-se que os norte-coreanos desviaram um total de 250 milhões de dólares em ativos digitais, sendo Tian Yinyin e Li Jiadong da China diretamente responsáveis por 100 milhões deste montante.

Os valores desviados vieram de meios como venda de cartões presente em corretora de Bitcoin e de uma bolsa de valores. Apesar do fato ter ocorrido há cerca de dois anos, as autoridades da China estão tomando as providências legais contra os dois cidadãos agora.

Há um grande problema com relação ao uso de criptomoedas na Coreia do Norte, ligado sobretudo a sua característica de descentralização.

O que acontece é que diversas pessoas do país, incluindo o governo, foram acusadas de usar criptomoedas em transações como forma de escapar de sanções, tanto por parte das Nações Unidas quanto dos Estados Unidos. Autoridades denunciaram, inclusive, um possível uso dos ativos digitais para pesquisar tecnologias que permitam o desenvolvimento de armamentos nucleares dentro do território norte-coreano.

Uma questão de segurança internacional

Este acontecimento reforça uma suspeita de oficiais dos EUA. Para o país, há tempos cidadãos chineses tem ajudado Piongyang a realizar a pirataria de ativos digitais. No entanto, esta é a primeira vez que alguém do país vizinho da Coreia do Norte apresenta indícios suficientemente fortes de ajudar com este crime. Entretanto, esta não é a primeira vez que acusações desta natureza surgem contra o governo local.

Em dezembro de 2019 Virgil Griffith, ex-pesquisador da criptomoeda Ethereum acabou sendo preso e indiciado por uma palestra sobre blockchain que realizou na Coreia do Norte.

Conforme as autoridades norte-americanas e mundiais, sua atitude foi de ajudar o país asiático a entender melhor a lógica por trás dos ativos digitais. Consequentemente, ele foi acusado de ajuda-los a evitar sanções internacionais por meio da descentralização de moedas digitais.

Além dos problemas envolvendo a Coreia do Norte, a China também tem sido alvo de atenções do mundo todo devido ao Coronavírus. A doença tem adquirido um caráter de epidemia, uma vez que se espalhou por vários países ao redor do mundo. Além disto, os temores com relação ao vírus estão causando impactos diretos na economia global, tanto com relação as moedas mais tradicionais quanto com os ativos do criptomercado.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Jeferson Scholz
Jornalista. Escrevi dois artigos acadêmicos publicados no congresso de comunicação INTERCOM, e fui diretor do documentário universitário "Planeta dos Desmortos - O Mito Zumbi".
Amazon e mão segurando Bitcoin

Amazon nega rumores de que vai aceitar Bitcoin como pagamento

A Amazon, terceira maior empresa em valor de mercado do mundo, negou nesta segunda-feira (26) que irá aceitar Bitcoin como pagamento este ano. Nos...
Preço do Bitcoin acima de US$ 40 mil

Após seis dias em alta, Bitcoin supera US$ 40 mil

O preço do Bitcoin rompeu os 40 mil dólares em um movimento forte do lado comprador e após seis dias de fechamento diário em...
Hacker segurando Bitcoin

Trader de Bitcoin tem e-mail hackeado e perde R$ 350 mil

Um trader de Bitcoin alega ter sido hackeado após um vazamento de dados e como resultado perdeu tudo que tinha na corretora Binance. Seu...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias