Corona Coin: Criptomoeda surge com proposta de lucrar em cima do coronavírus

Criptomoeda baseada no vírus dividiu opiniões, sobretudo pelo caráter moralmente questionável

Siga no

Na medida em que o coronavírus se espalha ao redor do mundo e adquire ares de epidemia, a economia global começa a sentir diretamente seus impactos. Isso não é diferentes dentro do mercado de criptomoedas, na medida em que ativos digitais têm, hora se beneficiado, hora sido prejudicados pela doença.

Entretanto, um token surgido recentemente tem uma proposta que pode ser considerada, no mínimo polêmica: levantar lucros a partir do aumento da infecção.

Batizado de Coronacoin (NCOV), trata-se de token ERC20, baseado na Blockchain do Ethereum (ETH). A ideia por trás de seu conceito é a seguinte:

Para cada pessoa viva no mundo, existe uma criptomoeda. A cada 48 horas será queimado um determinado montante de ativos, dependendo do número de vítimas infectadas pelo coronavírus.

Assim, devido a lei de oferta e procura, aqueles que tiverem investido no recurso “podem se beneficiar na medida em que ele diminui.”

Pela lógica, muitos especialistas acham difícil que a ideia tenha grande sucesso. Isso porque seria preciso esperar para haver um aumento de pessoas infectadas, o que faria o preço do token subir. E para contornar o lado politicamente incorreto da ideia, o site oficial da Coronacoin diz que parte de seus lucros será dada para a Cruz Vermelha, para ajudar a combater a doença.

Coronacoin vendido em corretoras

A Coronacoin já está disponível para a venda em corretoras descentralizadas. O token figura atualmente é listado no CoinGecko, que classifica diferentes tipos de tokens e criptomoedas. Algumas exchanges permitem, inclusive, a troca do ativo por Ethereum. Outra informação importante é que a MetaMask poderá ser usada como sua carteira.

Entre os milhares de casos do coronavírus registrados atualmente destacam-se 355 novos no Japão, além de 2.009 novas confirmações advindas da China.

O país também conta com um total aproximado de 68 mil pessoas infectadas, e um total de 1.665 mortes causadas pelo vírus. Mas apesar destes números, pela terceira semana seguida há uma queda com relação a doença no local que pode ser considerado o seu epicentro.

Logicamente a ideia de criar uma criptomoeda baseando-se no vírus dividiu opiniões, sobretudo pelo caráter moralmente questionável da atitude. No entanto, há uma expectativa interessante com relação a evolução do ativo.

Enquanto o coronavírus tem assustado o mundo todo na medida em que novos casos são registrados em diferentes países, sabe-se que essa epidemia é controlável. Por isto pode ser interessante contar com os fundos que o ativo pode levantar para combate-la.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Jeferson Scholz
Jeferson Scholz
Jornalista. Escrevi dois artigos acadêmicos publicados no congresso de comunicação INTERCOM, e fui diretor do documentário universitário "Planeta dos Desmortos - O Mito Zumbi".
Meme dogecoin que circula nas redes.

Mercado cripto sofre uma das maiores quedas já vistas, Dogecoin sobe

As últimas 24 horas foram um pesadelo para alguns investidores em criptomoedas. A primeira moeda a sentir a queda foi o Bitcoin, que perdeu mais...
Mina carvao

Taxa de hash do Bitcoin cai após acidente em mina de carvão na China

O hashrate do Bitcoin caiu cerca de 40% nas últimas 24 horas, de mais de 180 petahashes por segundo para cerca de 105 Ph/s....

Bitcoin desaba com desligamento de mineradoras chinesas e preocupações regulatórias

O Bitcoin despencou mais de 15% neste domingo (18), para cerca de US $ 51 mil, depois de ter alcançado um marco de US...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias