Coinbase contrata ex-diretor da SEC

Maior Exchange de criptomoedas dos EUA contrata Brett Redfearn, ex-diretor da SEC, para ser o seu novo líder de mercados de capitais.

Siga no

O ex-diretor da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) está assumindo o papel de vice-presidente de mercados de capitais da Coinbase, a corretora de criptomoedas mais popular dos EUA.

Brett Redfearn deixou a SEC em dezembro e, anteriormente, foi o chefe global de estrutura de mercado da JPMorgan, líder mundial em serviços financeiros.

Como diretor, ele supervisionou corretoras, firmas de comércio e outras empresas. Também se posicionou contra as bolsas de ações dos Estados Unidos, em questões como o aumento de custos de dados do mercado.

Próxima a ser listada na Nasdaq, um dos três índices de mercado de ações mais seguidos dos EUA, a Coinbase deve se tornar uma empresa de capital aberto no mês que vem.

Juntamente com o mercado mais amplo de criptomoedas, a plataforma viu seus gastos ativos ultrapassarem os 90 bilhões de dólares.

Coinbase na Nasdaq

Em fevereiro a Coinbase anunciou que sua declaração de registro para a listagem na bolsa de valores havia sido efetivada pela SEC. O formulário S1, que é o primeiro passo para as empresas conquistarem seu espaço no mercado, já havia sido oficializado na reguladora.

Com isso, a Coinbase deve ter suas finanças aberta para o público e fica mais perto da desejada IPO (oferta pública inicial). A empresa também está sendo auxiliada por grandes nomes do mercado financeiro americano, como a JPMorgan, Citigroup e Goldman Sachs, curiosamente, empresas que já firmaram seu apreço referente ao mercado de criptomoedas.

Dessa forma, algumas informações que circularam durante o processo de entrada da Coinbase na Nasdaq, mostravam que a empresa poderia estar valendo cerca de 77 bilhões de dólares, isso porque algumas ações da empresa no mercado secundário da Nasdaq estavam sendo negociadas acima de 300 dólares.

O valor corresponde ao cálculo caso a companhia, de fato, ofereça ao público e instituições as 254 milhões de ações que pretende.

Conforme havia sido detalhado pela Coinbase, um lote inicial de 75 mil ações foi vendido em janeiro por 200 dólares cada, gerando um valor de mercado em torno de 50 bilhões de dólares. Depois, 300 dólares por ação, gerando um valor de 80 bilhões de dólares.

Com a IPO à vista, um nome importante da empresa ganha destaque, Brian Armstrong. Cofundador e CEO da empresa, pode faturar mais de 3 milhões de dólares. De acordo com documentos registrados pela Coinbase na SEC, o empresário recebeu no ano passado quase 10 milhões de opções de ações da empresa, válidas por dez anos.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Eduarda Lobato
Eduarda Lobatohttps://medium.com/@eduardalobato
Libertária e entusiasta de Bitcoin, Blockchain e outras tecnologias relacionadas ao mundo cripto.

Próxima queda do mercado cripto será brutal, alerta “Cobra”, dono do bitcoin.org

O mercado de criptomoedas é cheio de altos e baixos, ao longo de 12 anos os investidores viram períodos de altas constantes, chamados de...

O ouro físico está perdendo espaço para o ouro digital

Nos últimos dias, Neel Kashkari, presidente do banco central americano, disse que não ficaria surpreso se a taxa de inflação nos Estados Unidos subissem...

Repressão global às criptomoedas pode estar chegando, alerta CEO da Kraken

Recentemente o Bitcoin e várias outras criptomoedas tiveram uma alta surpreendente, com muitas alcançando novas máximas históricas (como é o caso do Bitcoin e...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias