Coinbase tem saques de US$ 1 bilhão, quem poderia ser?

A Coinbase já afirmou ter mais 5 empresas do índice S&P500 como clientes. Resta saber quem será o próximo a anunciar sua aquisição.

Siga no

No sábado, 20 de fevereiro, um total de 4.501 bitcoins foram transferidos para fora da exchange Coinbase. O valor, equivalente a US$ 256 milhões, chamou atenção por ocorrer em um final de semana.

De fato, não é possível afirmar se este foi um único cliente, ou até mesmo a exchange movendo moedas para sua mesa de OTC. No entanto, no domingo (21), outros 13.204 bitcoins saíram da exchange.

Dessa vez o autor foi mais cauteloso, dividindo a fortuna de US$ 752 milhões, cerca de três vezes maior que o dia anterior. Ou seja, foram realizadas 36 transações de cerca de 366 BTC cada.

Quem poderia ter comprado?

Especular em cima de nomes é complicado, porém a MicroStrategy, de Michael Saylor, é um alvo potencial. A empresa, que já havia comprado mais de 71 mil bitcoins, levantou recentemente US$ 1 bilhão em dívida para aumentar sua posição.

No entanto, no início do mês, a mesma MicroStrategy realizou um evento para mais de 1.400 participantes de diversas empresas onde explicava o racional do investimento. Além disso, dava detalhes da operação via Coinbase, feita para minimizar o impacto na cotação.

Existe uma especulação de que poderia ser a Oracle, gigante de tecnologia com capitalização de mercado de US$ 180 bilhões. Isso porque Larry Ellison, co-fundador da empresa, faz parte do Conselho de Administração da Tesla.

Cabe lembrar que a Tesla recentemente comprou US$ 1,5 bilhão em Bitcoin, ajudando a impulsionar a criptomoeda acima dos US$ 50 mil.

Como estas baleias compram?

Comprar US$ 1 bilhão em Bitcoin envolve um pouco mais do que enviar o dinheiro para a exchange, abrir o terminal, e executar a ordem no livro de ofertas. Além do óbvio problema da liquidez, ou seja, volume de ofertas de venda insuficiente, o impacto no preço seria muito alto.

Tão logo o mercado perceba que um cliente na Coinbase está pagando US$ 200 acima das demais exchanges, as empresas de arbitragem e market maker vão acelerar suas compras para jogar o preço para cima. Isto é feito de forma automática, através de robôs, executando em diversos mercados.

Para evitar este problema, estas baleias costumam executar ordens TWAP, ou seja, ponderadas pelo tempo. Digamos que o comprador deseja US$ 600 milhões em 3 dias, e pretende operar 12 horas por dia. Isso dá um total de US$ 278 mil de compra a cada minuto, cerca de 4,83 BTC.

Nesse sentido, a ordem costuma ser repassada à mesa de OTC (balcão) da Coinbase. Além do robô executando a cada minuto, ordens de venda maiores são compradas automaticamente. A ideia é reduzir o impacto da execução, dividindo em pequenas ordens.

Em suma, a Coinbase já afirmou ter mais 5 empresas do índice S&P500 como clientes. Resta saber quem será o próximo a anunciar sua aquisição.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Marcel Pechman
Marcel Pechman
Atuou como trader por 18 anos nos bancos UBS, Deutsche e Safra. Desde Mai/2017 faz arbitragem e trading de criptos, além de ser co-fundador do site de análise de criptos RadarBTC. Palestrante do Bitcoin Summit Florianópolis 2019
Imagem: Adobe Stock

Bilionário Mark Cuban elogia Cardano, mas diz que ainda não viu utilidade na moeda

Mark Cuban, investidor bilionário e fã declarado do Ethereum, fez declarações sobre a criptomoeda Cardano (ADA) em uma postagem no Twitter. Ele afirmou que...
Elon Musk e Shiba Inu, cachorro símbolo da Dogecoin

Elon Musk diz que Dogecoin vai destronar o Bitcoin

Elon Musk continua bombardeando o Bitcoin e promovendo sua criptomoeda preferida, Dogecoin. O bilionário e CEO da Tesla disse na manhã deste domingo que...
CEO do Twitter, Jack Dorsey em conferência com o congresso dos EUA. Imagem: Youtube.

CEO do Twitter diz que Bitcoin muda tudo para melhor

O CEO do Twitter, Jack Dorsey, expressou mais uma vez seu apoio ao Bitcoin, dizendo em um tuite que a moeda digital "muda tudo...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias