Coinbase, Tinder e Facebook fazem parceria para combater golpes com criptomoedas

A Tech Against Scams quer que as empresas compartilhem informações e ferramentas para identificar e combater criminosos em qualquer plataforma que operem.

O aumento de golpes românticos e “abate de porcos” em todo mundo fez algumas das principais empresas de tecnologia e criptomoedas se unirem para lançar a Tech Against Scams, iniciativa para combater golpistas.

A coalizão, liderada pela Match Group, que gerencia aplicativos de namoro populares como o Tinder, e composta por empresas como Meta (controladora do Facebook e WhatsApp), Coinbase, Kraken, Ripple e Gemini, tem objetivo de compartilhar informações para interromper golpes românticos e financeiros.

“Esperamos que esta coalizão sirva como um multiplicador de forças para as equipes de segurança em empresas de tecnologia compartilharem percepções e tendências sobre ameaças para permitir interrupções mais impactantes de redes fraudulentas em todo o mundo”, disse Guy Rosen, diretor de segurança da informação da Meta.

Abate de porcos

Golpistas que exploram pessoas em busca de amor existem desde que o mundo se tornou mundo, no entanto, a chegada de três tecnologias — redes sociais, plataformas de encontros online e criptomoedas — proporcionou a esses predadores novas ferramentas para enganar mais vítimas.

O resultado tem sido uma epidemia de golpes românticos online e de “abate de porcos”, golpe que conquista gradualmente a confiança de alguém antes de jogá-lo em um esquema de investimento fraudulento.

De acordo com Yoel Roth, vice-presidente de segurança da Match, a atual onda de golpes é dirigida principalmente por gangues criminosas no Sudeste Asiático. Esses grupos recorrem a vítimas de tráfico humano para alcançar potenciais alvos em outros países, visando persuadi-los a enviar criptomoedas para a gangue criminosa, sob o disfarce de interesse romântico ou conselhos de investimento.

Roth disse haver necessidade de uma abordagem colaborativa para combater esses golpes, afirmando que as gangues de golpistas são ágeis em migrar para outras plataformas online assim que são detectadas e expulsas de um site.

A Tech Against Scams quer romper essa dinâmica, permitindo que as empresas compartilhem informações e ferramentas para identificar e combater os criminosos em qualquer plataforma que operem.

O diretor de segurança da Coinbase afirmou que a Tech Against Scams foi inspirada por iniciativas anteriores, como a colaboração entre Facebook e Google para detectar golpistas em seus sites.

Ele também afirmou que embora a coalizão inclua concorrentes da Coinbase na indústria de criptomoedas, o objetivo principal é compartilhar informações para identificar e prevenir golpes, independentemente de preocupações competitivas.

Apesar de nomes notáveis, como Binance e Tether, ainda não fazerem parte da coalizão, Martin e Roth afirmaram que o grupo está aberto a qualquer empresa que compartilhe seus objetivos de combater fraudes online.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de criptomoedas do mercado ganhe até 100 USDT em cashback. Cadastre-se

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Vinicius Golveia
Vinicius Golveia
Formado em sistema da informação pela PUC-RJ e Pós-graduado em Jornalismo Digital. Conhece o Bitcoin desde 2014, atuando como desenvolvedor de blockchain em diversas empresas. Atualmente escreve para o Livecoins sobre assuntos de criptomoedas. Gosta de cultura POP / Geek. Se não estiver escrevendo notícias relevantes, provavelmente está assistindo alguma série.

Últimas notícias

Últimas notícias