Conflito em Israel faz aumentar doações de Bitcoin ao Hamas

Vale ressaltar que o uso do Bitcoin para essas doações ao grupo terrorista não quer dizer que a moeda é uma "moeda de crime", como muitos proclamam.

Siga no
Terrorista não usam cripto

O confronto entre Israel e Palestina tem sido um dos principais assuntos do mundo, com as tensões aumentando com ataques de misseis e bombardeios. Em meio ao temor, o grupo militante Hamas está vendo um aumento nas doações em Bitcoin.

De acordo com o Wall Street Journal, com a volta do confronto entre o grupo extremista e Israel, a atenção de várias pessoas voltaram ao conflito, incluindo daqueles que concordam com um lado ou outro. Com isso, a braço armado do Hamas, Izz ad-Din al-Qassam viu um aumento nas doações para suas operações militares.

Ainda de acordo com o WSJ, que citou um oficial do Hamas, o grupo está explorando diferentes formas de doação online para conseguir driblar as sanções e conseguir dinheiro.

Quando falamos em doações desse tipo, claro que o Bitcoin pode estar envolvido, com a criptomoeda sendo uma das formas mais efetivas de transação de valores no mundo.

“Sem dúvida houve um aumento nas doações de Bitcoin. Boa parte do dinheiro vai ser usado para as funções do exército para defender os direitos fundamentais do palestino.”, disse o oficial do Hamas ao wsj.

Vale lembrar que o Hamas é designado pelos EUA, pela União Europeia e por diferentes países ocidentais como uma organização terrorista.

Por isso essas sanções foram estabelecidas para enfraquecer o financiamento do grupo armado. Com o crescimento do criptomercado e a popularidade do Bitcoin, o Hamas começou a capitalizar o potencial desse ativo.

Desde que o Bitcoin ganhou força depois de 2017 essas campanhas de doação ao Hamas ficaram mais comuns. 

O oficial do Hamas que concordou em conversar com o WSJ desde que não fosse identificado, afirmou que a proporção geral de doações estava aumentando, mas se recusou a informar o número de criptomoedas recebidas.

E de novo, isso não é novidade, com o FBI até mesmo realizando apreensões de doações que iriam para o Hamas e Al Qaeda. 

Doações são feitas através de sites

Ainda segundo as informações do WSJ, os sites de doação do Hamas podem ser encontrados em diferentes países e traduzidos para diferentes línguas (principalmente o inglês).

Em alguns há até mesmo tutoriais de como conseguir driblar os bloqueios estabelecidos por diferentes países.

Imagens do Hamas mostrando como acessar o Site, mesmo com bloqueios.

Vale ressaltar que o uso do Bitcoin para essas doações ao grupo terrorista não quer dizer que a moeda é uma “moeda de crime”, como muitos proclamam.

Na verdade, isso quer dizer que ela é uma forma eficiente de transacionar quantidades de valores e a relação entre o Bitcoin e atividades terroristas é algo que já foi desmentido por diferentes autoridades.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.
Gráfico de preço da Cardano em alta

Cardano líder em número de desenvolvedores? Não caia nessa!

Um estudo de atividades no GitHub, principal repositório do código-fonte das criptomoedas, mostrou a Cardano na liderança nos últimos 12 meses. Os dados foram...

DeFi: três setores de grande potencial

De acordo com dados da Messari, o volume trimestral das Corretoras Descentralizadas (DEXs) no final do segundo trimestre de 2021 foi de R$ 2...
Criptomoeda Tether com sinais vermelhos

Michael Burry faz alerta sobre criptomoeda Tether

O lendário trader Michael Burry compartilhou em seu Twitter que a criptomoeda Tether pode estar no meio da confusão da Evergrande na China. Vale notar...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias