Cruz Vermelha aceitando doações em Bitcoin na Europa

Vamos acabar com o Coronavírus?

-

Siga no
Barraca de apoio médico da Cruz Vermelha
Barraca de apoio médico da Cruz Vermelha
Anúncio

Se o preço do Bitcoin caiu e mostrou que sua função reserva de valor poderia estar comprometida, um novo caso de uso se mostra interessante. Isso porque, a Cruz Vermelha está aceitando doações em Bitcoin na Europa.

O continente europeu tem sido afetado duramente pelo coronavírus, sendo o maior território com casos além da China. A Organização Mundial de Saúde, a OMS, declarou a Europa como o epicentro do coronavírus e não mais a China.

Dessa forma, instituições correm para salvar e ajudar as pessoas que são afetadas pela terrível doença. A Cruz Vermelha foi fundada em 1859, como uma organização sem fins lucrativos, para ajudar vítimas de guerra.

Anúncio

Atualmente, a instituição possui milhões de apoiadores, com operações em vários países. A Cruz Vermelha Itália e Holanda são as novas unidades a olhar para o Bitcoin como uma moeda.

Bitcoin é uma moeda importante para doações à Cruz Vermelha

O Bitcoin apresentou uma nova possibilidade de uso para salvar a população global do coronavírus. Isso porque, a Cruz Vermelha, instituição global de ajuda a pessoas vulneráveis, passou a aceitar a moeda digital.

A inovação é extremamente importante e positiva para o Bitcoin, que é uma moeda global e sem fronteiras. Com isso, pessoas de todos os países poderão doar em minutos qualquer quantia para a Cruz Vermelha.

As unidades que passaram a aceitar doações em Bitcoin (BTC) são dos países: Itália e Holanda. Como a Cruz Vermelha é uma instituição sem fins lucrativos, a nova possibilidade de receber doação mostra que o Bitcoin é realmente uma moeda eficiente para combater dificuldades de acesso.

Caso as doações fossem aceitas apenas em espécie, ou ainda, via bancária, as pessoas teriam muito mais dificuldades de enviar dinheiro para a Cruz Vermelha. Em espécie, a dificuldade seria de acesso, sendo a via bancária inviável pelo quesito que os processamentos são realizados apenas em horários específicos.

Com criptomoedas, as doações estão sendo processadas todos os dias da semana. Dessa forma, o Bitcoin se destaca como uma moeda que consegue ajudar pessoas em qualquer lugar do mundo, a qualquer momento.

Cruz Vermelha na Holanda aceitando Bitcoin como meio de pagamento
Cruz Vermelha na Holanda aceitando Bitcoin como meio de pagamento – Reprodução/Rode Kruis

Itália é país mais afetado da Europa

A Itália é o país que certamente mais sofre com a infecção do coronavírus. Reuniões públicas estão proibidas, o transporte público noturno não está mais funcionando.

Além disso, a taxa de infecção do coronavírus cresce no país, mesmo com o número de mortes registrando queda. A Cruz Vermelha Itália ao ver a situação piorar, abriu espaço para as criptomoedas.

De fato, a unidade foi a primeira na Europa a ver o potencial do Bitcoin em meio a situação caótica. O anúncio do aceite da moeda foi feito em conjunto a empresa que está processando os pagamentos, a Helperbit. De acordo com o Cryptonomist, o CEO da Helperbit afirmou que essa é uma ótima oportunidade para a comunidade Bitcoin se mostrar presente.

A situação do Sistema Nacional de Saúde é dramática e as previsões para as próximas semanas veem uma sobrecarga de instalações hospitalares. O projeto do Comitê Colli Albani do CRI vai no sentido de aliviar, em pequena escala, a sobrecarga a que os pronto-socorros estão e serão submetidos. Portanto, estamos satisfeitos por poder contribuir com esta campanha, dando a oportunidade também à comunidade de criptomoedas italiana e internacional de fazer sua presença ser sentida.

A Cruz Vermelha Holanda foi a segunda unidade a aceitas as criptomoedas como doação. Com ambas as unidades de olho nas moedas digitais, em breve o Bitcoin poderá mostrar sua bandeira para mais pessoas.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Leia mais sobre:
Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Cristo Redentor, símbolo no Brasil (Rio de Janeiro), e Bitcoin (BTC Blockchain)

Brasil desenvolve com blockchain uma identidade descentralizada

O Brasil caminha rumo às novas tecnologias e já desenvolve com uso da blockchain um novo projeto. Chamada de identidade descentralizada, a solução promete...
Sequestro envolvendo Bitcoin e criptomoedas

Polícia desarticula sequestro que pedia Bitcoin pelo resgate de mulher

Um sequestro de uma mulher no Ceará, que pedia R$ 1 milhão em Bitcoin como resgate, foi desarticulado pela polícia civil em 12 horas....
Estátua da Justiça

Justiça bloqueia do Grupo SAF mais de R$ 400 mil após suspeitas de pirâmide

Um novo negócio suspeito de operar um esquema de pirâmide financeira recebeu atenção da justiça nos últimos dias. Isso porque, a justiça do Distrito...

Últimas notícias

Polícia desarticula sequestro que pedia Bitcoin pelo resgate de mulher

Um sequestro de uma mulher no Ceará, que pedia R$ 1 milhão em Bitcoin como resgate, foi desarticulado pela polícia civil em 12 horas....

Justiça bloqueia do Grupo SAF mais de R$ 400 mil após suspeitas de pirâmide

Um novo negócio suspeito de operar um esquema de pirâmide financeira recebeu atenção da justiça nos últimos dias. Isso porque, a justiça do Distrito...

Uniswap dispara 270% com distribuição de 400 tokens por usuários

O valor total bloqueado (TVL – de Total Value Locked a inglês) na corretora descentralizada Uniswap disparou mais de 270%, de R$ 2.7 bilhões...