Desenvolvedor de criptomoedas ameaça startup, exige R$ 15 milhões e acaba preso

Acusado, que ajudou a desenvolver a Ethereum e a Lisk, foi solto após pagar fiança de R$ 2 milhões.

Siga no
Desenvolvedor da Ethereum comete extorsão contra startup

Steven Nerayoff foi preso após ser acusado de extorsão contra uma startup norte-americana. O desenvolvedor teria cobrado 17 mil unidades de Ether (ETH) da startup, ameaçando destruir os negócios da empresa. A tentativa de extorsão teria acontecido após a contratação da Maple Ventures.

O negócio de propriedade de Steven e seu sócio foi contratado em busca de oferecer aconselhamento a startup. Porém, uma tentativa de chantagem financeira terminou com a prisão dos diretores da empresa de consultoria.

Além de Steven Nerayoff, o sócio Michal Hlady também foi preso após a denúncia da startup. Segundo investigação, a dupla movimentava o negócio de extorsão no mercado de criptomoedas há algum tempo. Outras empresas podem estar na lista de extorsão dos empresários, além da startup que denunciou os sócios da Maple Ventures.

Faturamento transformou-se em extorsão

A startup envolvida no golpe milionário esperava conselhos sobre negócios envolvendo a tecnologia blockchain e criptomoedas. Em troca, a Maple Ventures receberia parte do faturamento do negócio. De acordo com a investigação, foi oferecido uma porcentagem nos lucros que poderia chegar em 13 mil unidades de Ether (ETH).

Inicialmente a startup propôs a pagar mais de R$ 11 milhões como acordo pela consultoria prestada. Contudo, esse valor aumentou drasticamente um dia antes do lançamento oficial da empresa. Desse modo, a Maple Ventures passou a exigir a quantia de 17 mil (ETH). Ou seja, um valor superior a R$ 15 milhões.

A exigência feita pelos sócios da Maple Ventures correspondia a um valor quase 50% maior do que o acordado entre as partes. Steven e Michal teriam ameaçado os negócios da startup para que o valor exigido fosse pago.

Steven ajudou a desenvolver a Ethereum (reprodução)

Negócio de extorsão envolvendo criptomoedas

As ameaças contra a startup envolvida no caso começaram em 2017. A empresa sofreu ameaças pelos sócios da Maple Ventures. Steven e Michal alegaram que poderiam derrubar a empresa. Essa seria a forma de extorsão encontrada pela dupla para conseguir receber mais de R$ 15 milhões em (ETH).

Após o pedido da dupla que foi presa, a startup decidiu pagar a quantia exigida. Porém, ficou decidido que as relações entre as empresas seriam encerradas após o pagamento. Mas, em 2018 a dupla voltou a atacar. A startup recebeu mensagens ameaçadoras após decidir acionar a justiça norte-americana.

Como resultado das queixas da startup, Steven e Michal foram presos. Os sócios somente foram soltos da cadeia após o pagamento de uma fiança de cerca de R$ 2 milhões, para cada. Mesmo após o pagamento da fiança, os sócios da Maple Ventures deverão comparecer em breve ao tribunal. Os envolvidos no caso poderão pegar uma pena que deve chegar em quase 20 anos de prisão.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Paulo Carvalho
Jornalista em trânsito, escritor por acidente e apaixonado por criptomoedas. Entusiasta do mercado, ouviu falar em Bitcoin em 2013, mas era que nem caviar, "nunca vi, nem comi, só ouço falar".
Idoso segurando Bitcoins aposentadoria

Empresa passa a oferecer aposentadoria com Bitcoin

Uma parceria entre três empresas do mercado de criptomoedas possibilitou a criação de um produto de aposentadoria com Bitcoin. Os planos de aposentadoria, normalmente chamados...

Líder de pirâmide com Bitcoin é solto e volta a aplicar golpes prometendo lucros

Mesmo depois de ter sido preso e indiciado pela Polícia Civil, o dono da pirâmide financeira "Medina Bank", Izaltino Medina Filho, de 60 anos,...

Modelo do Instagram vende seu “amor” em forma de criptomoeda

O mercado dos tokens não-fungíveis (NFTS) realmente se tornou uma grande moda nos últimos meses, sendo uma forma que muitos escolheram para vender peças...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias