Dificuldade de mineração do Bitcoin atinge alta histórica

Nesta quinta-feira (13), a dificuldade de mineração do Bitcoin atingiu o maior percentual histórico.

Siga no

Embora o preço tenha caído nas últimas 24 horas devido ao tweet de Elon Musk, a dificuldade de mineração do Bitcoin nunca foi tão alta, se ajustando a uma nova máxima desde 2014.

Diversas fontes, como BTC.com, mostram que a dificuldade de mineração do Bitcoin foi ajustada para mais de 25 trilhões na altura do bloco 683.424, com um salto de 21,53% desde o último registro.

É o maior aumento percentual desde julho de 2014.

Dificuldade de mineração do Bitcoin atinge alta histórica
Dificuldade de mineração do Bitcoin atinge alta histórica

Mineração do Bitcoin

A dificuldade de mineração do Bitcoin foi projetada para se ajustar a cada 2.016 blocos, no que chamamos de “eras” da mineração. Normalmente esse período de uma era para outra dura, em média, 14 dias.

Um bloco é minerado a cada 10 minutos, em média. Se o intervalo médio for menor que 10 minutos, significando mais taxa de hash durante o período, a rede aumenta a dificuldade de competição. Do mesmo modo, se o intervalo médio for maior que 10 minutos, a dificuldade diminuirá.

A última vez que um ajuste da dificuldade de mineração do Bitcoin ocorreu foi em 2017, com um aumento de 21,39%. Hoje foi o maior salto de dificuldade da rede em 7 anos, depois que se recuperou do incidente da província chinesa, que impactou na taxa de hash do Bitcoin.

Acidente na China

Acidentes de segurança em várias minas de carvão na região nordeste da China ocorreram em meados de abril, fazendo com que as usinas de Xinjiang fechassem o fornecimento de eletricidade para centros de dados na região.

Como resultado, a maioria das instalações de mineração de Bitcoin na área foi fechada por cerca de uma semana antes de retornar gradualmente à normalidade em 22 de abril.

Esse também foi o principal fator por trás do declínio de 12% da dificuldade de mineração de bitcoin registrado em 2 de maio.

Sinalização do Taproot

O ajuste da dificuldade dá às pools de mineração um novo começo para sinalizar o Taproot, a atualização do Bitcoin.

O upgrade Taproot equipará o Bitcoin com novos esquemas de assinatura e scripts, que permitem transações multisig mais baratas e flexíveis, entre outras.

O Taproot abrirá caminho para melhorias na Lightning Network, carteiras multisig e smart contracts baseados em Bitcoin, como os contratos de log discreto (DLC).

De acordo com as regras para coordenar a atualização, pelo menos 90% dos pools de mineração devem sinalizar seu suporte para a atualização usando um identificador especial nos blocos que mineraram.

Os mineradores agora têm 5 “eras” restantes para sinalizar se desejam que o Taproot seja ativado em novembro.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Eduarda Lobatohttp://eduarda.substack.com
Libertária e entusiasta de Bitcoin, Blockchain e outras tecnologias relacionadas ao mundo cripto.
Robert Kiyosaki Imagem: Instagram

“Compre Bitcoin e Ethereum antes do maior crash da história”, alerta autor de “Pai...

Robert Kiyosaki, o autor do livro de finanças pessoais "Pai rico, Pai Pobre", insiste que as pessoas se protejam da maior crise do mundo,...
Elon Musk alerta sobre criptomoedas. Imagem: TMZ

Elon Musk pede agilidade para que Dogecoin faça melhorias

Após passar um tempo afastado das criptomoedas, esta semana Elon Musk voltou a se mostrar mais ativo no Twitter. Após a AMC divulgar estar...
Itajaí Moeda digital de recompensa

Itajaí vai dar moeda digital para quem contribuir com meio ambiente

O município de Itajaí, no estado de Santa Catarina, vai dar uma moeda digital para a população que contribuir com o meio ambiente. A novidade...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias