Dogecoin está “doente” e corretoras estão reclamando de travamentos, alerta desenvolvedor

A doença da DOGE é a mesma que afeta o Bitcoin, as chamadas “inscrições” ou “inscriptions”, em inglês. No entanto, o problema do Bitcoin são apenas taxas de transação altas, já a Dogecoin está enfrentando travamentos em sua rede.

Timothy Stebbing, desenvolvedor da Dogecoin (DOGE), reconheceu que sua criptomoeda inspirada em cachorro está em apuros. Em tuíte publicado nesta terça-feira (6), destacou que a “Dogecoin está doente” e que várias corretoras já entraram em contato com eles.

A doença da DOGE é a mesma que afeta o Bitcoin, as chamadas “inscrições” ou inscriptions”, em inglês. No entanto, o problema do Bitcoin são apenas taxas de transação altas, já a Dogecoin está enfrentando travamentos em sua rede.

No caso do Bitcoin, o uso da rede para outros fins além de transações de BTC já gerou diversas discussões até mesmo entre desenvolvedores. Enquanto alguns afirmam que isso é bom para o projeto, já que mineradores ganham mais dinheiro e deixam a rede mais segura, outros alegam que a experiência dos usuários está comprometida.

“Dogecoin está doente”

Falando sobre o assunto das inscrições (inscriptions) que podem envolver a gravação de imagens e outros dados aleatórios na blockchain, Timothy Stebbing, desenvolvedor da Dogecoin, afirmou que não é um “porteiro” para barrá-las, já que se trata de um projeto descentralizado.

De qualquer forma, notou que algo deve ser feito. “Não sou contra [as inscrições]”, disse, mas afirmou que “se isso estiver atrapalhando a Doge como uma moeda, então temos um problema” e que a Dogecoin deveria ser usada para validação, não armazenamento.

“A Dogecoin está doente no momento.”

“Estamos sendo contatados por uma série de exchanges dizendo que a Dogecoin está travado/não responde, etc”, comentou o desenvolvedor Timothy Stebbing. “Sabemos que o problema são as inscrições (inscriptions), que estão obstruindo a rede.”

Na sequência, Stebbing destaca que desenvolvedores da Dogecoin estão apresentando “várias ideias para proteger a rede da Dogecoin”, dando prioridade ao seu uso como moeda.

Apesar de ser uma memecoin, ou seja, uma brincadeira, hoje a DOGE é considerada uma concorrente do Bitcoin quando falamos em transações. Afinal, Ethereum, BNB, Solana, XRP, Cardano, Avalanche e as stablecoins USDT e USDC, possuem narrativas diferentes do Bitcoin.

Dogecoin pode ser removida de corretoras?

Conforme notado por Stebbing, as corretoras estão pressionando os desenvolvedores a tomarem alguma atitude para melhorar a rede. Sendo assim, podemos imaginar que há um risco de remoção da DOGE caso isso não aconteça, o que poderia causar uma grande queda como aconteceu com a Monero (XMR) nesta semana.

No entanto, vale lembrar que muitas corretoras incentivam essas inscrições de dados, permitindo a negociação desses NFTs em suas plataformas. Portanto, é difícil acreditar em uma remoção.

Ao que parece, nenhuma solução desse problema agradará a todos. Pior ainda, talvez o problema não tenha uma solução. Por enquanto, resta esperar que a febre passe e a Doge, e outras moedas, se curem de tal “doença”.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias