Elon Musk e Jack Dorsey pedem que usuários saquem bitcoins das corretoras

No Brasil, uma corretora de Bitcoin chegou a admitir que não tem bitcoins, deixando uma série de usuários preocupados.

Jack Dorsey, fundador e ex-CEO do Twitter, pediu que os investidores tirem seus bitcoins das corretoras. A mensagem foi publicada no X na tarde desta quinta-feira (7) após sua nova empresa Block anunciar o lançamento de uma carteira de Bitcoin, a Bitkey.

Em resposta a postagem de Dorsey, Elon Musk, CEO da Tesla e da SpaceX, reforçou o alerta para os investidores, tuítando: “Not your keys, not your wallet”, enfatizando a ideia de que, sem controle das chaves privadas, os usuários não possuem realmente os bitcoins.

“Tire seus bitcoins das exchanges”, disse Dorsey. “Se as chaves não são suas, os bitcoins não são seus”, respondeu Musk.

Jack Dorsey lança carteira de Bitcoin

Hoje a Block, de Jack Dorsey, anunciou o lançamento da pré-venda de sua nova carteira de auto-custódia, Bitkey. Segundo o site do projeto, a carteira representa “um avanço significativo na democratização do acesso à auto-custódia de Bitcoin”, oferecendo uma solução para aqueles preocupados com a segurança de seus ativos em exchanges.

O site também afirma que a Bitkey é projetada para ser uma solução multifacetada para auto-custódia, livre das complexidades associadas a carteiras de hardware tradicionais.

A carteira inclui um aplicativo de celular, um dispositivo de hardware e ferramentas de backup, acessíveis tanto para entusiastas experientes quanto para novatos em Bitcoin.

Thomas Templeton, líder da equipe na Block, destacou a importância da auto-custódia: “A rede descentralizada de pagamentos do Bitcoin pode criar um sistema financeiro mais inclusivo, especialmente para aqueles historicamente marginalizados. Com a Bitkey, estamos construindo uma forma segura e fácil para pessoas em todo o mundo, independentemente do seu nível de experiência com Bitcoin, assumirem o controle de suas finanças.”

Carteira Bitkey
Carteira Bitkey

A principal característica da Bitkey é seu design de multi-assinatura 2-de-3, que elimina a necessidade de senhas longas ou frases de recuperação.

Ela distribui duas chaves aos usuários — uma no aplicativo de celular para transações e gerenciamento de segurança, e outra armazenada offline em um dispositivo de hardware, que também serve como ferramenta de recuperação.

A Bitkey também incorpora uma terceira chave no servidor da empresa, facilitando transações móveis e oferecendo recuperação da carteira em caso de perda do dispositivo.

Com parcerias estabelecidas com plataformas como Coinbase e Cash App, a Bitkey facilita a transferência de Bitcoin de exchanges para a carteira de auto-custódia do usuário.

Disponível para pré-venda, com envios previstos para começar no início de 2024, a Bitkey promete ser uma ferramenta que oferece facilidade, segurança e controle.

Por que tirar bitcoin de corretoras

Manter qualquer criptomoeda em corretoras, embora prático para transações e negociações, envolve vários riscos, principalmente devido à natureza dessas plataformas.

As corretoras, sendo entidades centralizadas, estão suscetíveis a uma série de vulnerabilidades que podem afetar a segurança dos ativos digitais.

Em primeiro lugar, as corretoras são alvos frequentes de ataques cibernéticos. Dado o valor substancial dos ativos que gerenciam, hackers costumam direcionar esforços consideráveis para tentar violar suas defesas.

Em casos de invasões bem-sucedidas, os usuários podem perder o acesso aos seus fundos, ou pior, ter suas criptomoedas roubadas.

Além disso, ao armazenar Bitcoin em uma corretora, os usuários estão confiando nessa entidade com suas chaves privadas. Isso significa que a posse efetiva do Bitcoin não está com o usuário, mas sim com a corretora.

Em termos práticos, isso pode limitar o controle que os usuários têm sobre seus próprios ativos, especialmente em situações onde a corretora enfrenta problemas legais, financeiros ou técnicos.

No Brasil, por exemplo, uma corretora de Bitcoin chegou a admitir que não tem bitcoins, deixando uma série de usuários preocupados.

Outro ponto a considerar é a possibilidade de regulamentações afetarem as corretoras. Mudanças na legislação ou medidas regulatórias podem impactar como as corretoras operam ou como os usuários podem acessar seus ativos, o que pode resultar em restrições inesperadas para os investidores.

Por fim, as corretoras podem também enfrentar problemas internos, como má gestão ou questões financeiras, que podem levar à insolvência ou a problemas operacionais, como aconteceu com a FTX.

Essas preocupações destacam a importância da auto-custódia, onde os usuários mantêm o controle direto sobre suas chaves privadas e, consequentemente, sobre seus ativos.

A auto-custódia, portanto, oferece uma maior segurança e autonomia, embora venha com a responsabilidade de gerenciar a segurança dessas chaves de forma adequada.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Vinicius Golveia
Vinicius Golveia
Formado em sistema da informação pela PUC-RJ e Pós-graduado em Jornalismo Digital. Conhece o Bitcoin desde 2014, atuando como desenvolvedor de blockchain em diversas empresas. Atualmente escreve para o Livecoins sobre assuntos de criptomoedas. Gosta de cultura POP / Geek. Se não estiver escrevendo notícias relevantes, provavelmente está assistindo alguma série.

Últimas notícias