Especialista de Bolsonaro que auditou urnas do TSE é preso em operação sobre pirâmide financeira

Siga no
Polícia investiga negócio de criptomoedas no ES
Polícia investiga negócio de criptomoedas

A Polícia Federal prendeu, no último dia 21, o engenheiro Paulo Fagundes, especialista indicado pelo PSL de Jair Bolsonaro para acompanhar a auditoria das urnas eletrônicas do Paraná nas últimas eleições. A prisão ocorreu no âmbito da Operação Egypto, devido ao envolvimento dele com a Indeal, empresa acusada de prática de pirâmide financeira.

Paulo Fagundes é um nome conhecido na comunidade de criptomoedas, principalmente no sul do país. Engenheiro especializado em blockchain, ele é CEO na Datawiz, empresa de consultoria, e realiza palestras sobre criptomoedas, blockchain e investimentos em diversos fóruns e universidades.

A informação sobre a prisão de Fagundes foi divulgada na última sexta, 24 de maio, pelo jornal Diário de Canoas. No mesmo dia que Fagundes, foram presos outros colaboradores da Indeal: Flávio Gomes de Figueiredo, que seria responsável pelo marketing de rede da empresa, Neide Bernadete da Silva, Fernanda de Cássia Ribeiro e Karin Denise Homem, esposas de sócios da investigada.

Paulo Fagundes preso
Presos na Operação Egypto. Imagem: diariodecanoas.com.br

O jornal traz ainda os nomes dos cinco sócios da empresa, totalizando 10 prisões: Tássia Fernanda da Paz, Francisco Daniel Lima de Freitas, Ângelo Ventura da Silva, Regis Lippert Fernandes e Marcos Antônio Fagundes.

Críticas à auditoria

Segundo informações divulgadas pelo Portal do Bitcoin, Paulo Fagundes acompanhou a auditoria das urnas eletrônicas no Paraná em outubro do ano passado, mas considerou “frágil” a auditoria realizada. Paulo, no caso, era o perito indicado pelo partido de Bolsonaro, o PSL, a acompanhar o trabalho.

O relatório final da auditoria, que foi fiscalizada por peritos dos partidos, OAB, Polícia Federal e outros observadores, foi que “não havia indícios de fraude”. Fagundes, entretanto, contestou a auditoria, afirmando de que faltou acesso ao código fonte da urna. “Faltou transparência, porque eu não sei o que é gerado dentro da urna”, afirmou Fagundes ao jornal.

Operação Egypto

A chamada Operação Egypto, cujos mandados de busca e apreensão resultaram na prisão de Fagundes, está investigando a Indeal desde o começo de 2018.

Na ocasião, uma denúncia mostrou que a empresa vinha oferecendo opções de investimentos com ganhos de 15% ao mês, que seriam resultantes de operações com Bitcoin.

Durante as investigações, como apurou nossa reportagem, a Polícia Federal descobriu que a empresa recebia o dinheiro dos investidores – em valores que podem ter chegado a R$ 1 bilhão –, porém, ao invés de aplicar em criptomoedas, investia a maior parte do dinheiro em renda fixa, que gera ganhos muito menores.

Ou seja, no entender dos investigadores, era questão de tempo para a empresa deixar de pagar seus investidores, constituindo assim um golpe bilionário.

A empresa foi autuada ainda porque não era liberada pelo Banco Central para oferecer investimentos, sendo enquadrada como uma “instituição financeira não autorizada”.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Sui Teixeira
Sui Teixeira é jornalista desde 2001, formada pela USP. Trabalha ainda como produtora de jingles, é programadora amadora e entusiasta de ciência e tecnologia.
Máquina de minerar Bitcoin

CEO do Twitter compartilha artigo que ensina minerar Bitcoin em casa

O CEO do Twitter, Jack Dorsey, compartilhou com seus seguidores uma iniciativa que afirma que a mineração de Bitcoin caseira é rentável no mercado. A...
Jogador de Axie Infinity

Família venezuelana sobrevive nos últimos dias jogando Axie Infinity

Uma família da Venezuela sobreviveu nos últimos 15 dias graças ao Axie Infinity, um jogo popular em Ethereum que tem atraído atenção de gamers...
Preço do Bitcoin em alta

Com alta acumulada de 30% no ano, Bitcoin volta a ser o melhor investimento...

Carteira de investimentos com ativos financeiros volta a destacar o Bitcoin como melhor ativo do mês de julho e até do ano após nova...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias