Estados Unidos coloca criador da criptomoeda da Venezuela na lista de mais procurados

Siga no

No começo de 2020, os EUA emitiram uma Ordem de Prisão a Nicolás Maduro, na época, a ordem não tinha nada a ver com criptomoedas. Agora, parece que a Petro entrou na mira do país norte-americano, já que os EUA estão oferecendo US$ 5 milhões (Cerca de R$ 25 milhões) de recompensa pelo criador da Petro.

O serviço de Imigração e Alfândega dos Estados Unidos, parte da Agência de Segurança Doméstica, está procurando por Joselit Ramírez, o chefe da equipe responsável pela criação a criptomoeda nacional Petro.

“Cartaz” de Mais Procurado de Joselit Ramírez, um dos responsáveis pela criação do Petro.

Claro, Ramírez, está longe da jurisdição dos EUA, caso ele esteja na Venezuela, não há como ser preso e forma simples. Por isso, o país está oferecendo a recompensa milionária para quem tiver informações que possam levar à prisão do membro do governo de Maduro.

De acordo com a agência de Imigração, Joselit possui conexões sociais e políticas profundas com vários traficantes, incluindo o ex-vice presidente da Venezuela, Tareck El Aissami, que também está na lista de mais procurados por operações de tráfico e lavagem de dinheiro.

As acusações alegam que as conexões de Ramírez com os suspeitos de tráfico permitiram que ele lavasse dinheiro, além de quebrar as sanções dos EUA, justificando assim a ordem de prisão.

A Petro contra os EUA

Petro Venezuela Maduro
Nicolás Maduro sempre demonstra muita esperança na criptomoeda Petro, que ainda não demonstrou nenhuma solidez.

A Petro tem sido uma das esperanças da Venezuela para lutar contra as imposições dos EUA em seu território. Os Estados Unidos aplicaram várias sanções contra o país da América do Sul por causa de conflitos entre as posições governamentais.

Essas sanções, somada a terrível crise financeira causada pela administração de Maduro, acabou levando o país para uma das piores crises financeiras da história. Claro, isso obrigou o governo a procurar soluções para enfrentar essas sanções.

Com isso foi criado a Petro, uma criptomoeda estatal com lastro no petróleo produzido pela Venezuela. A ideia é que a moeda seria usada para eliminar a necessidade do dólar na negociação internacional, principalmente do petróleo.

Apesar de algumas negociações bem sucedidas com o Irã (outro inimigo dos EUA) e até mesmo com a Rússia, o Petro ainda não conseguiu emplacar o status de moeda de troca.

O governo até usou a moeda como incentivo para seus cidadãos, no entanto, até mesmo os consumidores varejistas não possuem muito interesse em usar a moeda digital estatal.

Joselit provavelmente estará seguro na Venezuela, onde Maduro continua como presidente e possui controle das forças polícias e militares. No entanto, existem vários opositores do atual governo e que são alinhados aos Estados Unidos.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Matheus Henrique
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.
Dorian Nakamoto arte em 3D. ( Imagem: José Hernandez @Zbite_3dart)

Primeira estátua do criador do Bitcoin será construída na Europa

A cidade de Budapeste, capital da Hungria, será a primeira a receber uma estátua do criador do Bitcoin, Satoshi Nakamoto. A arte será feita...
Plataforma de tokenização brasileira Liqi

Startup Liqi promove evento sobre tokenização de ativos

Nesta segunda-feira (17) foi lançado pela Liqi Digital Assets o evento "Semana da Tokenização". Como uma nova opção de investimento e vendo a importância...
Yuan da China e Bitcoin

China emite alerta sobre Bitcoin: “Não é moeda real”

A China surge novamente contra o Bitcoin, reforçando a proibição de empresas de pagamentos e instituições financeiras de oferecer a seus clientes qualquer serviço...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias