Estudante é torturado e morto em roubo de criptomoedas

A vítima de 19 anos chamou a atenção dos criminosos devido a uma quantia equivalente a 1,3 milhão de reais em várias criptomoedas que foi gerada por um software de negociação de criptos que o próprio jovem criou.

Um estudante de ciência da computação foi encontrado morto em um lago na França, segundo a mídia local seu corpo foi apunhalo cerca de 20 vezes antes da morte e a motivação foi o montante de 200 mil euros, equivalente a 1,3 milhão de reais, em criptomoedas.

O caso ocorreu em agosto deste ano na França e envolveu ao menos cinco pessoas. Duas delas foram detidas nesta última sexta-feira enquanto as outras três já haviam sido presas dias após o assassinato.

Ao que tudo indica, o crime foi premeditado visto que os criminosos já haviam criado uma conta em uma exchange, poucos dias antes do crime, pretendendo usá-la para converter as criptomoedas em Euro e repartir o montante entre os cinco.

Quadrilha

A vítima de 19 anos chamou a atenção dos criminosos devido a uma quantia equivalente a 1,3 milhão de reais em várias criptomoedas que foi gerada por um software de negociação de criptos que o próprio jovem criou.

Entre os acusados de homicídio estão três homens de idades de 18, 23 e 33 anos e já foram presos. O mais velho dos três era amante da vítima e tentou encobrir seu crime alegando que os dois teriam sido vítimas de um ataque homofóbio, todavia ele abandonou esta defesa. Embora tenham admitido envolvimento nenhum deles assumiu ter esfaqueado o jovem.

Segundo o promotor responsável pelo caso que ocorreu em Alto Sona na França, o jovem ainda estava vivo quando foi arremessado no lago e a causa da morte foi afogamento.

“Os numerosos golpes observados entre o esterno e a parte inferior da face podem atestar uma sessão de tortura ou um gesto de paixão”

Outras duas pessoas também foram detidas mais tarde por terem envolvimento no crime, o irmão gêmeo do mais velho dos três e a sua esposa. Segundo procurador do caso, embora o envolvimento tenha sido negado no começo, os dois admitiram que tinham ciência do plano e não o denunciaram as autoridades.

Carreira no crime

Segundo autoridades, os cinco envolvidos já tinham registros por crimes menores e a distribuição da quantia de 1,3 milhão de reais em criptomoedas já havia sido planejada antes mesmo da execução do plano. Além disso, a única mulher do grupo já havia criado uma conta em uma exchange para usá-la para sacar o montante.

Os três primeiros foram presos por assassinato em agosto, poucos dias após o incidente. E o casal, que foi cúmplice, foi detido nesta última sexta-feira, dia 22 de outubro.

Embora usuários de criptomoedas tomem várias ações preventivas contra hacks online, o mundo real é que oferece os maiores perigos, deixando não apenas o seu dinheiro ameaçado como também a sua vida. Por conta disso, é importante manter seus investimentos em segredo.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Henrique Kalashnikov
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias