“ETF da BlackRock pode destruir completamente o Bitcoin”, diz Arthur Hayes

Arthur Hayes, co-fundador da BitMex e figura influente no mercado de criptomoedas, fez uma previsão sombria: o sucesso do ETF da BlackRock pode "destruir completamente o Bitcoin".

A recente movimentação da gigante de Wall Street, BlackRock, no mercado de criptomoedas, sugere um marco histórico no setor, com a empresa se preparando para lançar seu fundo negociado em bolsa (ETF) de Bitcoin, o que vem gerando otimismo entre os investidores.

No entanto, Arthur Hayes, co-fundador da BitMex e figura influente no mercado de criptomoedas, fez uma previsão sombria: o sucesso deste ETF poderia “destruir completamente o Bitcoin”.

Hayes argumenta que a BlackRock, focada na acumulação de ativos, poderia acumular uma quantidade significativa de bitcoin, levando a uma situação em que as transações se tornariam praticamente inexistentes.

De acordo com o bilionário, isso prejudicaria os mineradores, que dependem de taxas de transação para manter suas operações. A falta de incentivos financeiros poderia levá-los a desligar suas máquinas, ameaçando a própria existência da rede Bitcoin.

“Imagine um futuro onde os maiores gestores de ativos ocidentais e chineses detenham todos os Bitcoins em circulação. Isso acontece organicamente à medida que as pessoas confundem um ativo financeiro com uma reserva de valor. Devido à sua confusão e preguiça, as pessoas compram derivados de ETF Bitcoin em vez de comprar e guardar Bitcoin em carteiras auto-custódias. Agora que um punhado de empresas detém todo o Bitcoin e não tem uso real para o blockchain do Bitcoin, as moedas nunca mais se movem. O resultado final é que os mineiros desligam as suas máquinas porque já não podem pagar pela energia necessária para operá-las. Adeus, Bitcoin!” — argumentou Hayes.

“Bitcoin pode ser completamente destruído”

Seguindo seu texto, Hayes especula sobre o futuro das criptomoedas na eventualidade de uma crise no Bitcoin. Ele sugere que a ‘morte’ do Bitcoin poderia dar espaço para o surgimento de uma nova rede cripto-monetária, seja uma versão reiniciada do Bitcoin ou uma inovação completamente diferente.

O entusiasmo em torno do ETF de Bitcoin da BlackRock é palpável, especialmente com a expectativa de que a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) dê sinal verde para o projeto no início de 2024.

Um vazamento recente revelou que a SEC estabeleceu o prazo de 29 de dezembro para “atualizações finais” nas aplicações dos ETFs de Bitcoin, indicando uma possível aprovação em massa no início do novo que vem.

“A Blackrock está no jogo da acumulação de ativos. Eles aspiram ativos, armazená-los num cofre metafórico, emitir títulos negociáveis ​​e cobrar taxas de gestão pelo seu trabalho “árduo”. Eles não usam as coisas que possuem em nome de seus clientes, o que representa um problema para o Bitcoin se tivermos uma visão extrema de um futuro possível.” disse Hayes.

Com 2024 se aproximando, o mercado cripto está à beira de uma transformação potencialmente radical, alimentada pela entrada de grandes players de Wall Street e pelas políticas econômicas em evolução.

Para Hayes, no entanto, isso será o início do fim da maior criptomoeda do mundo.

“Se o Bitcoin se tornar apenas mais um ativo financeiro controlado pelo Estado, ele morrerá porque não será usado. A morte do Bitcoin cria então espaço para que outra rede cripto-monetária cresça em seu lugar. Esta rede pode ser apenas uma reinicialização do Bitcoin ou algo diferente que seja uma adaptação melhorada do Bitcoin original. De qualquer forma, o povo voltará a ter um ativo monetário e um sistema financeiro não controlados pelo Estado. Esperançosamente, na segunda vez, aprenderemos a não entregar nossas chaves privadas aos carecas.”

A melhor hora para comprar Bitcoin é agora

Por fim, Hayes enfatiza que o momento ideal para investir em Bitcoin foi no passado, mas a segunda melhor oportunidade é agora. A declaração ressalta o reconhecimento crescente da comunidade de investidores sobre o potencial das criptomoedas em contrapor a degradação das moedas fiduciárias.

Ele também criticou abertamente figuras como Nouriel Roubini, conhecido por suas visões céticas sobre criptomoedas, chamando-o de “palhaço vigarista sem talento”. Hayes refere-se ao artigo de Roubini no Financial Times sobre “flatcoins”, sugerindo que essas novas propostas são mais uma tentativa de desviar a atenção das verdadeiras criptomoedas.

Além disso, Hayes alerta contra a aceitação acrítica das propostas apresentadas pelo estado e seus aliados no que diz respeito às criptomoedas.

Ele compara tais propostas a “doces deliciosos” que podem parecer atraentes, mas são potencialmente enganosos e perigosos. Hayes aconselha cautela, lembrando o velho ensinamento dos pais de não aceitar comida de estranhos, metaforicamente aplicando-o ao mundo das finanças digitais.

“A melhor hora para comprar Bitcoin e começar sua jornada no mundo das criptomoedas foi ontem, a próxima melhor hora é agora. Obviamente, a comunidade investidora reconhece a promessa das criptomoedas para combater a degradação fiduciária .O estado e seus comparsas apresentarão doces deliciosos ao cérebro do seu filho. Mas faça como seus pais lhe ensinaram e não aceite comida de estranhos.”

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Vinicius Golveia
Vinicius Golveia
Formado em sistema da informação pela PUC-RJ e Pós-graduado em Jornalismo Digital. Conhece o Bitcoin desde 2014, atuando como desenvolvedor de blockchain em diversas empresas. Atualmente escreve para o Livecoins sobre assuntos de criptomoedas. Gosta de cultura POP / Geek. Se não estiver escrevendo notícias relevantes, provavelmente está assistindo alguma série.

Últimas notícias