ETF de Bitcoin negociado na B3 volta subir após uma semana em queda

A última semana havia sido ruim para índice, que reage com mercado nesta segunda-feira (24).

Siga no
Primeiro ETF de criptomoedas da B3, HASH11
Primeiro ETF de criptomoedas da B3, HASH11/Divulgação

O primeiro ETF de criptomoedas negociado na Bolsa de Valores brasileira, B3, o HASH11, voltou a subir no mercado. O movimento aconteceu após uma semana de queda.

Atrelado ao Nasdaq Crypto Index, o ETF replica os movimentos de mercado do Bitcoin, Ethereum, Litecoin, Bitcoin Cash, Chainlink e Stellar Lumens. Como todas essas criptomoedas passaram a última semana em queda, o índice acabou absorvendo o impacto.

As quedas mais expressivas no HASH11 na última semana acabaram sendo na segunda (17) e sexta-feira (21), quando a cotação caiu -11,60% e -11,41%, respectivamente. O dia de menor queda acabou sendo na quinta-feira (20), com uma desvalorização de apenas -0,85%.

Como o fundo é novo, com início ainda em 26 de abril de 2021, o mercado tradicional ainda procura entender os conceitos por trás das criptomoedas. Mesmo assim, no início de maio, o ETF cripto da Hashdex levantou R$ 1 bilhão em uma semana e se tornou o 3.º maior da B3.

Com a alta nos preços do Bitcoin nesta segunda-feira (24), o ETF cripto da B3 acabou respirando um pouco dos maus momentos. Nesta tarde, a cotação da principal moeda valoriza 14% nos mercados, cotado novamente a US$ 37.900,00.

As outras criptomoedas que compõem o índice do HASH11 também voltaram a subir no mercado. Os principais destaques de valorização foram a Chainlink e Stellar, com alta de 39% e 33% respectivamente.

O HASH11 acabou valorizando 5,9% hoje, uma alta importante para o ativo, sendo a segunda maior intradiária de sua, até então, curta história.

Este ativo se apresenta como uma opção para que investidores tradicionais comprem criptomoedas indiretamente, sendo também uma alternativa regulamentada pela CVM no Brasil.

De fato, como o índice atrelado ao ETF replica a volatilidade das criptomoedas, o índice da bolsa tende a oscilar. Investidores interessados em comprar cotas desse ETF, a partir de R$ 50,00, devem ter cadastro em alguma corretora brasileira que negocia o ativo.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

NFT pode “matar” o Bitcoin? Qual a relação entre ambos?

É provável que muita gente conheça os NFTs, regularmente confundidos com “arte digital”. A ação ganhou força após Stephen Curry, astro da NBA, e...
Plataformas NFT e Ethereum empresas

Empresas listadas na bolsa apostam no mercado de NFT

O crescimento do mercado de NFTs tem quebrado barreiras mais rápido do que outros recursos relacionados a blockchain. Hoje até mesmo grandes empresas, listadas...
Dúvida sobre o Bitcoin ser caçado pela China

Mineradores brasileiros comentam banimento de Bitcoin pela China

A proibição de Bitcoin pela China nos últimos dias abalou o mercado, com muitas pessoas ficando preocupadas com isso, menos dois mineradores brasileiros que...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias