EUA começam rastrear preço da dúzia de ovos em bitcoin, entenda

Apesar disso, o estudo do FRED, base de dados mantida pelo Banco Central dos EUA, mostra que a volatilidade do Bitcoin não é um absurdo.

Moeda de Bitcoin sobre dúzia de ovos.
Moeda de Bitcoin sobre dúzia de ovos.

A divisão de pesquisa do Banco Central dos EUA começou a rastrear o preço da dúzia de ovos em Bitcoin nesta segunda-feira (6). Chamado comprando ovos com bitcoins, o estudo tem o objetivo de analisar a volatilidade da maior criptomoeda do mercado.

Sendo franco, provavelmente o principal foco do estudo seria ridicularizar o Bitcoin que, segundo alguns críticos, é instável para ser usado como moeda. Entretanto, os resultados são impressionantes e mostram tanto o potencial quanto a necessidade do BTC.

Devido ao aumento de valor do Bitcoin nos últimos anos, devido à demanda maior que oferta, a primeira impressão está relacionada ao declínio do preço da dúzia de ovos por satoshi, a menor unidade de um bitcoin.

Preço da dúzia de ovos por Bitcoin desde janeiro de 2015. Fonte: FRED
Preço da dúzia de ovos por Bitcoin desde janeiro de 2015. Fonte: FRED

Enquanto uma caixa de ovos custava 925 mil satoshis (0,00925 BTC) em janeiro de 2015, dado mais antigo disponível, este número caiu para 6.000 satoshis (0,00006 BTC) em abril deste ano, 154 vezes mais barato. Em uma única palavra, podemos chamar isso de deflação.

Volatilidade do Bitcoin não assusta tanto assim

Sinônimo de volatilidade devido a correções abismais e altas mais surpreendentes ainda, o Bitcoin é frequentemente menosprezado como moeda por não ser utilizado como unidade de conta.

Apesar disso, o estudo do FRED, base de dados mantida pelo Banco Central dos EUA, mostra que a volatilidade do Bitcoin não é um absurdo.

Por exemplo, no curto prazo, uma dúzia de ovos ficou 71% mais cara desde janeiro de 2021, quando comprada com dólar. Já no Bitcoin, em forte queda nos últimos meses, este número chega ao pico de 114%, quando comparado aos preços de novembro.

Em relação a janeiro de 2021, este número cai para 44%, menor do que a alteração do dólar. O que não é um absurdo para uma moeda sem emissor central e tão jovem, pelo contrário, é surpreendente.

“Olhar para das barras nos mostra que o preço flutua ao longo do tempo, com um mínimo de US$ 1,47 e um máximo de US$ 2,52 em abril.”

Preço da dúzia de ovos em Dólar (USD) desde janeiro de 2021. Fonte: FRED
Preço da dúzia de ovos em Dólar (USD) desde janeiro de 2021. Fonte: FRED

“O preço flutua um pouco, entre 2.829 e 6.086 [satoshis], o que é muito mais do que o preço do dólar americano.”

Preço da dúzia de ovos em Bitcoin (BTC) desde janeiro de 2021. Fonte: FRED
Preço da dúzia de ovos em Bitcoin (BTC) desde janeiro de 2021. Fonte: FRED

Bitcoin, deflacionário

Deixando a volatilidade de lado, motivada pelas incertezas e otimismo dos investidores, o Bitcoin facilmente ganha esta disputa no longo prazo. Nas duas imagens abaixo é possível conduzir uma comparação, enquanto a primeira mostra o preço da dúzia de ovos em dólar, a segunda está em Bitcoin, desde janeiro de 2015.

Preço da dúzia de ovos por dólar desde janeiro de 2015. Fonte: FRED
Preço da dúzia de ovos por dólar desde janeiro de 2015. Fonte: FRED
Preço da dúzia de ovos por Bitcoin desde janeiro de 2015. Fonte: FRED
Preço da dúzia de ovos por Bitcoin desde janeiro de 2015. Fonte: FRED

Claro que o Bitcoin é um ativo relativamente novo e o crescimento da sua adoção tornou isso possível. Contudo, apenas o fato de possuir uma oferta limitada, controlada pela matemática e não por políticos, já fariam com que o Bitcoin fosse uma reserva de valor melhor que o dólar, com uma demanda estática.

Portanto, comparando as imagens acima, fica difícil não escolher o Bitcoin como moeda. Além disso, estamos comparando-o a melhor moeda fiduciária do mercado, ou seja, a escolha fica ainda mais fácil quando comparamos o BTC ao real, lira turca, rublo e outras.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Henrique Kalashnikov
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias