“Nossos sócios sabiam dos riscos”, diz G44 Brasil

Em nota enviada ao Livecoins, a G44 Brasil falou sobre problemas com clientes e se defende: "nossos sócios sabiam dos riscos do negócios"

-

Siga no
G44 Brasil fim
G44 Brasil
Anúncio

A empresa de mineração de esmeraldas, negociações de criptomoedas, entre outros, G44 Brasil, teve mais uma derrota em processo na justiça envolvendo acusações contra a empresa, que tem atrasado saques de clientes. Em nota exclusiva ao Livecoins, a empresa comentou os problemas.

A G44 Brasil, com sede em Brasília – DF, certamente oferece aos seus clientes uma grande quantidade de serviços. Os saques do negócio, contudo, estão em atraso desde o fim de 2019, com alguns clientes entrando na justiça para reaver seus investimentos.

Na última quinta (30), a justiça do Distrito Federal julgou mais um pedido de um investidor contra a G44 procedente. A G44 Brasil considera seus investidores como sócios, que sabiam dos riscos ao entrar no negócio.

Anúncio

G44 Brasil Inoex
G44 Brasil Inoex

G44 Brasil sofreu mais uma derrota na Justiça do Distrito Federal e terá que devolver mais que R$ 120 mil para investidor

A G44 Brasil afirma ter uma holding de vários negócios, com sede em Brasília (DF). Dentre os negócios que a empresa possui, estariam a mineração de pedras preciosas, trade de criptomoedas, fabricação de joias, entre outros.

Fundada por Saleem Ahmed Zaheer, a G44 Brasil acumula polêmicas na justiça brasileira, com algumas acusações que a empresa opera um esquema de pirâmide financeira. Isso porque, de acordo com alguns processos, eram oferecidos rendimentos diários para os clientes.

Na última quinta (30), por exemplo, mais um caso chegou no Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF). No caso, dois investidores da G44 Brasil acusaram a empresa de reter seu investimento na plataforma e pediu ao judiciário tutela de urgência.

Alegam os autores que fizeram investimentos em criptomoedas junto à empresa requerida com a promessa de retorno significativo. Sustentam que, entre 01/06/2018 e 22/10/2019, efetuaram diversos depósitos para a conta da requerida G44 para esse fim, com lucros diários de 0,65%, que eram depositados no cartão ZenCard, de onde o primeiro autor fazia a transferência para sua conta corrente.

Os rendimentos que pingavam diariamente pararam em outubro de 2019. Além disso, em novembro, a empresa havia pedido prazo de noventa dias para pagar os investidores. Ao fim deste prazo, houve uma mudança contratual, restando aos autores o recurso judicial.

Processo na Justiça
Processo na Justiça

Autores alegam que G44 afirmou problemas com pandemia do COVID-19

Os autores alegaram ainda que a empresa não tem cumprido com os pagamentos, sob alegações de problemas com a pandemia do novo coronavírus. Para o juiz que cuidou do caso, não há relação uma vez que os pagamentos foram paralisados em outubro de 2019.

Por outro lado, os diversos comunicados emitidos pela requerida denotam a recalcitrância do requerido em cumprir com a obrigação de pagar os autores. Destaque-se que os pagamentos não estão sendo realizados desde outubro de 2019, afastando-se, em tese, eventual alegação de problema econômico gerado pela pandemia do COVID-19.

Reforçando a visão judicial que os autores estão com a razão, porque verificou a existência de outros processos relacionados. Neste ponto, deferiu o pedido de bloqueio nas contas da G44 Brasil de R$ 122 mil, valor investido pelos autores na empresa.

O juiz afirmou que a empresa é investigada por suposta prática de pirâmide financeira. Neste ponto, a G44 Brasil sofreu mais uma derrota na justiça brasileira na última semana.

Imperioso ressaltar que é fato notório que a requerida vem sendo investigada pelo esquema de pirâmide financeira, sendo grande a probabilidade dos autores terem sido vítimas de fraudes perpetradas pelos requeridos em conjunto. Soma-se a isso o fato de que, em consulta aos sistemas deste Tribunal, se constata a existência de dezenas de processos ajuizados em desfavor da requerida pelo não pagamento dos valores investidos. Diante de todo o relatado, constata-se, em análise perfunctória, risco ao resultado útil do processo em caso de não deferimento da medida.

Em nota exclusiva, G44 Brasil falou sobre problemas com clientes e se defende: “nossos sócios sabiam dos riscos do negócios”

O Livecoins entrou em contato com a G44 Brasil para comentar sobre os problemas vividos pela empresa. Em nota exclusiva, a G44 explicou sua visão, que segue abaixo na íntegra:

“Primeiramente, agradecemos a oportunidade de mostrar (de forma clara e verdadeira) a versão dos fatos ao Grupo imputados, contribuindo assim para a propagação da verdade real e coibindo a disseminação de Fake News. Nos últimos meses o Grupo G44 vem sofrendo e sendo vítima de fortes ataques oriundos de Fake News que tem causado grande alvoroço entre os seus sócios, e nessa oportunidade concedida por esse reconhecido veículo de comunicação vem a público trazer clareza aos fatos.

O Grupo G44 em 2017 disponibilizou a oportunidade para que pessoas pudessem, por meio de uma Sociedade em Conta de Participação – SCP, se tornarem sócias do Grupo participando assim dos seus lucros e dividendos.

O contrato que regula e estabelece as regras para a sociedade deixa de forma clara e precisa que os negócios, pela sua natureza jurídica e sujeição ao mercado, oferecem grandes riscos aos sócios, sendo que quando a assinatura do termo de adesão o Sócio Participante declara estar ciente desses riscos e da disposição em assumi-los, conforme poderemos ver no recorte abaixo:

Parte do contrato celebrado entre a G44 Brasil e seus clientes, material foi enviado ao Livecoins para explicar as acusações
Parte do contrato celebrado entre a G44 Brasil e seus clientes, material foi enviado ao Livecoins para explicar as acusações – Reprodução

Desta forma, sem querer se eximir de suas responsabilidades, resta claro que todos os Sócios Participantes estavam cientes dos riscos inerentes a esse tipo de operação e escolheram por aceitar tais riscos.

Empresa afirma que 90% dos sócios não estão com prejuízo

Por outro lado, cumpre esclarecer que cerca de 90% dos seus Sócios na forma de participação nos lucros e dividendos já obtiveram o retorno do capital investido, portanto não se encontram em prejuízo.

No entanto, o Grupo G44 tem se comprometido em realizar a devolução do capital investido de todos os seus sócios, para isso tem mantido constante contato com o intuito de buscar a melhor forma de negociação viabilizando assim a realização dos pagamentos.

Ocorre que, o momento pelo qual o mundo está passando com o COVID 19 onde os principais mercados do mundo se encontram fechados, tem dificultado as nossas operações, onde não tem sido possível encontrar liquidez de seus ativos para o início dos pagamentos.

Alta de casos do Coronavírus
Alta de casos do Coronavírus

Pandemia tem afetado G44 Brasil, afirmou nota da empresa compartilhada com Livecoins

Com relação à pandemia do coronavírus (covid-19), o Grupo G44, como muitas outras empresas pelo mundo afora, entraram em colapso. Porém, num esforço sem igual, têm procurado manter o emprego dos seus mais de 400 (quatrocentos) funcionários, assim como o funcionamento de todas as suas empresas.

No entanto, quanto ao distrato coletivo ocorrido em (25/11/2019) com todos os seus Sócios Participantes, a G44 quer esclarecer que, mesmo possuindo patrimônio suficiente para saldar todos os seus compromissos, nesse momento está sem liquidez, encontrando dificuldades inclusive na comercialização de seus ativos.

É importante salientar que, nas proximidades do dia (10/03/2020), marco inicial dos pagamentos do acordo extrajudicial firmado com cerca de 85% dos sócios, o mundo e os mercados entraram em colapso trazendo diversas dificuldades ao mercado.

O Grupo G44, seguindo as recomendações e restrições impostas pelos Estados, se encontra em funcionamento mantendo e realizando o pagamento de salários dos seus mais de 400 funcionários, todos com carteira assinada, torcendo para que esse momento passe e assim voltar a sua plena capacidade produtiva ajudando assim a viabilizar o início da devolução dos pagamentos.

Por fim, o Grupo G44 está realizando todos os esforços necessários para cumprir com o seu compromisso de devolver a cada um de seus sócios os valores por eles aportados na sociedade.”

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Leia mais sobre:
Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Compra de Bitcoin

Governo da Noruega compra Bitcoin

Uma empresa que fez a compra de R$ 1,3 bi em Bitcoin como reserva de valor em agosto continua a repercutir na comunidade cripto....
Bitcoin em corretoras de criptomoedas

CEO da MicroStrategy: “podemos despejar R$ 1.3 bi em Bitcoin no mercado a qualquer...

Após comprar de R$ 1.3 bilhão em bitcoin como reserva de valor, a MicroStrategy se tornou um nome importante para os defensores da moeda...
Prédio da PGR - Ministério Público Federal do Brasil (MPF) investigando

MPF está investigando ataque hacker em seus servidores

O Ministério Público Federal (MPF) está investigando um suposto ataque hacker em seus servidores. De acordo com um portal de notícias, dados do órgão...

Últimas notícias

CEO da MicroStrategy: “podemos despejar R$ 1.3 bi em Bitcoin no mercado a qualquer hora”

Após comprar de R$ 1.3 bilhão em bitcoin como reserva de valor, a MicroStrategy se tornou um nome importante para os defensores da moeda...

MPF está investigando ataque hacker em seus servidores

O Ministério Público Federal (MPF) está investigando um suposto ataque hacker em seus servidores. De acordo com um portal de notícias, dados do órgão...

Finanças Descentralizadas (DeFi) caem 40%, será o fim?

Nos últimos dias assistimos um massacre das moedas de finanças descentralizadas (DeFi), com quedas entre 30% e 58%. Talvez você não tenha acompanhado a...