G7 pressiona Rússia por causa de ransomwares e lavagem de dinheiro com criptomoedas

Segundo autoridades, país favorece que bandidos virtuais lavem dinheiro com criptomoedas no território.

Siga no
G7. Imagem: ShutterStock
G7. Imagem: ShutterStock

O G7 se reuniu no último final de semana e pressionou a Rússia por causa dos ransomwares que estão sendo criados por criminoso do país. Além disso, a cúpula dos países mais desenvolvidos do mundo exige que a lavagem de dinheiro com moedas digitais seja combatida pelo governo russo.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, era um dos maiores interessados em discutir o tema, dado que o país é um dos alvos preferidos desses ataques cibernéticos. Um caso recente, que chamou muita atenção, foi contra a empresa Colonial Pipeline.

Após parar a distribuição de combustível no maior gasoduto dos EUA, os hackers exigiram pagamento em criptomoedas. O FBI acabou envolvido nas investigações do caso, recuperando parte do valor.

G7 pressiona Rússia contra ransomwares criados no país, lavagem de dinheiro com criptomoedas também é prática que recebeu alerta

A Rússia deve responsabilizar os bandidos virtuais que atacam outros países com crimes cibernéticos, foi o tom do alerta emitido pelo G7.

Um dos casos mais sérios foi de fato contra a Colonial Pipeline, mas a JBS foi outra afetada no último mês. Com mais ataques hackers contra grandes empresas, o G7 acusa a Rússia de permitir que os crimes de ransomwares continuem sendo praticados no país.

Além disso, ao receber valores em criptomoedas, os bandidos estariam operando um sofisticado esquema de lavagem de dinheiro na Rússia. Esses crimes, e outros mais, receberam a atenção do G7, que pediu que o governo russo atue contra essas quadrilhas para parar suas atividades, identificando e responsabilizando os culpados.

A reunião, que ocorreu no Reino Unido em 2021, contou com a participação de políticos de vários países, que são Canadá, França, Itália, Alemanha, Japão, Estados Unidos e Reino Unido.

Os casos de ransomwares chamam atenção nos últimos anos, sendo um malware criado para sequestrar o computador de sua vítima até que um pagamento seja feito.

O crime é considerado como estelionato virtual, sendo passível de prisão no Brasil. Como o presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei n.º 14.155, de 27 de maio de 2021, a pena no país foi ampliada, com vários agravantes e multa prevista para quem cometer crimes com dispositivos informáticos.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Debate Descentralizado: stablecoins podem impactar outras criptomoedas

As stablecoins são possivelmente um dos pilares do mercado de criptomoedas atualmente. O USDT, por exemplo, é usado como medidor de demanda por investidores....
Trade na Uniswap baleia

Criador da Uniswap quer melhorar negociações de baleias Ethereum

Hayden Adams, o criador da Uniswap quer implementar uma melhoria para as negociações de baleias de Ethereum. Um estudo está sendo feito em conjunto...
US Marshals na vigilância do telhado bitcoin

Polícia americana contrata empresa para armazenar bitcoins apreendidos

A polícia dos Estados Unidos quer guardar os bitcoins apreendidos em operações e para isso, contratou uma empresa especializada, a Anchorage Digital. De acordo com...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias