Com iPhone custando 1 milhão de pesos, governador argentino quer criar moeda digital

Governador quer que população só utilize dólar pela moeda digital, que seria lastreada em depósitos bancários obrigatórios.

Governador de Chaco, Jorge Capitanich
Governador de Chaco, Jorge Capitanich. Reprodução: YouTube/El Método Rebord

Um governador do Estado de Chaco, na Argentina, acredita que uma moeda digital única no país poderia resolver o problema da população com o câmbio. Com a derrocada do Peso argentino frente ao Dólar, a economia do país segue sob pressão.

A crise na economia argentina é afetada duramente pela desvalorização cambial da moeda, contando ainda com uma inflação histórica que assola a população.

Dessa forma, muitos aprenderam que a maneira de proteger seu poder de compra é não confiar na moeda local, mas sim contar com reservas internacionais. Neste contexto, por exemplo, as stablecoins lastreadas em Dólar ganharam reconhecimento das pessoas, como uma forma fácil de transacionar valores e guardar seu patrimônio.

Tentando conter a fuga de capitais do país, o governo tem tomado medidas duras, como a restrição de compras de Dólar, entre outras mais. Em 2021, o Mercado Livre comprou Bitcoin justificando que entende o valor dessa moeda digital, visto que sofre com as políticas locais no seu país sede.

Governador argentino faz proposta de moeda digital única do país para conter fuga de capitais

O fenômeno de fuga de capital é temido por governantes, visto que significa que a população local perdeu a confiança no sistema financeiro local. As moedas fiduciárias atuais, seja o Dólar, Real brasileiro ou Peso argentino, dependem da confiança das pessoas para continuar a existir.

O Governador da Província argentina de Chaco, Jorge Capitanich falou que uma moeda digital única no país poderia resolver o problema para o governo de Alberto Fernandes.

Em conversa com o El Método Rebord, um popular podcast no YouTube, ele disse que a moeda digital seria a única forma que a população teria de acessar o câmbio. Considerando essa uma “política de choque”, Jorge declarou que o uso dessa nova divisa seria obrigatório.

Assim, qualquer argentino que tivesse Dólares e quisesse enviar valores nessa moeda, primeiramente deveria depositar o valor em um banco, para obter a moeda digital única e somente assim ter acesso ao câmbio. Essa política obrigaria a própria população a lastrear a moeda digital nova, ao passo que daria mais controle ao banco central local sobre essas trocas internacionais.

Em sua opinião, o foco do atual governo federal argentino deveria ser em combater a crise na energia, a restrição externa e logística. Isso porque, todos estão interligados e se retroalimentando, gerando uma crise crônica no país, que está longe de ver o fim dos problemas.

Inflação faz iPhone custar mais de 1 milhão de pesos

Com descontrole no câmbio, a inflação na Argentina segue sem controle e qualquer compra de produtos pela população custa caro.

De acordo com o Yahoo Finanças, a alta inflação do país já faz com que um iPhone custe mais de 1 milhão de pesos argentinos.

Dessa forma, a busca por Dólar, ouro e criptomoedas segue em alta pela população do país, que procura de todas as formas escapar dessa dura realidade imposta pelo governo.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias