Grupo Bitcoin Banco nega suspensão de Recuperação Judicial e diz movimentar 1000 bitcoins por dia

GGB afirma liderar mercado brasileiro de bitcoin

Siga no
Claudio Oliveira, Dono do Grupo Bitcoin Banco
Cláudio Oliveira Imagem: Reprodução/YouTube

Em comunicado enviado ao Livecoins pelo Grupo Bitcoin Banco, a empresa nega que seu processo de recuperação tenha sido suspenso, e afirma movimentar 1000 bitcoins por dia.

A empresa afirma que desde o dia 13 de abril se formou, em suas palavras, “um boato” sobre a suspensão do Processo Judicial do Grupo. O ponto de origem desta informação, se deu pelo fato da mudança de direcionamento da justiça para a realização de nova perícia prévia contábil determinada pelo Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), para verificar a capacidade de operação do Grupo que sustenta a ferramenta jurídica de Recuperação Judicial.

Segundo o representante jurídico do GBB, “o pedido de realização da nova perícia, que foi realizada na última quarta-feira (15) pela empresa EXM Partners, nomeada pela juíza para conduzir novamente este procedimento sem geração de ônus no processo”, declara.

“Neste contexto, o Grupo Bitcoin Banco não entrou com recurso para a medida por entender como um protocolo sadio para reforçar a transparência da Recuperação Judicial, e que reforça seu posicionamento perante todos os seus stakeholders, com ênfase no poder judiciário, credores e clientes atuais.”

O setor jurídico do GBB afirma ainda que, o procedimento é apenas uma tecnicidade legal dentro do protocolo do Processo Judicial e em nada, define sua suspensão provisória, como relatado por notícias, segundo a empresa, “falsas” veiculadas na internet.

“Não podemos permitir que o mercado seja impactado com fake news, que geram percepções erradas para os clientes das plataformas”. Diz o comunicado.

GGB afirma liderar mercado Brasileiro com volume de 1000 bitcoins por dia

De acordo ainda com o comunicado enviado ao Livecoins, as plataformas do Grupo Bitcoin Banco, Negocie Coins e Tem BTC “lideram o mercado brasileiro em volume de transações, girando mais de 1000 BTC por dia.”

A empresa afirma também que os dados são recentes, e diz que “as lições do passado serviram para ajustar a retomada e o novo momento do grupo no mercado.”

A empresa afirma também que as informações são realidade depois de aproximadamente 8 meses da interrupção das atividades das plataformas devido a fraude identificada e prontamente informada pela polícia.

A história que se desenrolou nesse período turbulento para o GGB, que afirm ser o maior player do mercado de criptomoedas, corroboraram, segundo o comunicado, “a necessidade de uma ferramenta jurídica efetiva e transparente como a Recuperação Judicial.”

“Trabalhamos intensamente em 2019 na busca de uma solução efetiva e hoje estamos com duas linhas de atuação, uma delas atendendo todos os protocolos do Plano de Recuperação Judicial, com supervisão direta do próprio Poder Judiciário, na pessoa do Administrador Judicial. E com a operação de novas plataformas de negociação de criptomoedas”, diz Claudio Oliveira, conhecido como Rei do Bitcoin.

O GBB diz também que tem ao seu lado a supervisão direta do próprio Poder Judiciário, que na pessoa do Administrador Judicial participa ativamente frente a um procedimento transparente e, principalmente, “que elimina o excessivo movimento que se formou contrário à retomada dos negócios.”, disse.

Por fim, o comunicado diz também que as plataformas [Negocie Coins e a Tem BTC] em operação hoje foram totalmente reformuladas e operam com novos parâmetros de segurança, e atuam em paralelo a mais uma exchange, a Zater.

“A Zater é a plataforma onde o cliente abre sua conta e faz um depósito em Reais para, a partir daí, iniciar o ‘trading’ nas duas plataformas do Grupo”, finaliza o texto.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Livecoins
Livecoins é um portal de blockchain e criptoeconomia focado em notícias, artigos, análises, dicas e tutoriais.
Glaidson dos Santos em pronunciamento feito pela Gas Consultoria antes de Operação da PF Faraó dos Bitcoins

Justiça bloqueia mais de meio milhão do “Faraó dos Bitcoins” em apenas quatro horas

A justiça brasileira determinou o bloqueio de mais de meio milhão de reais das contas do Faraó dos Bitcoins em menos de quatro horas. Essa...
Homem com algemas segurando Bitcoin criptomoedas sequestro prisão

Polícia desarticula quadrilha que iria sequestrar investidor de criptomoedas em Campinas

A polícia militar de São Paulo, por meio de seu Batalhão de Ações Especiais (BAEP), ajudou o Gaeco a desarticular uma quadrilha que planejava...
Imagem de enterro do Bitcoin após morte

Quantas vezes o Bitcoin morreu? 37 só este ano

Segundo estatísticas do site 99Bitcoins, o Bitcoin já foi declarado "morto" 37 vezes apenas em 2021, quase três vezes mais do que todo o...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias