Hacker exige pagamento em bitcoin do Palmeiras para não vazar dados

A gestão do time alertou os conselheiros sobre a tentativa de extorsão e pediu para que o e-mail não fosse aberto.

Siga no

Conselheiros do Palmeiras receberam um e-mail de extorsão na última quarta-feira (23), a mensagem contem um pedido de pagamento em bitcoins para que informações do clube não sejam expostas.

“Vamos negociar para eu não expor dados sigilosos do clube? sim sim ou não não. Quero respostas ainda hoje” diz o e-mail.

De acordo o site Esporte Interativo, 285 conselheiros do clube receberam o e-mail que exige R$ 1.050 de cada um para que informações sigilosas do time não sejam vazadas. O e-mail pede que o pagamento seja feito em Bitcoin, o suposto hacker identificado como Edward Lorenz até ensina os destinatários a comprarem a moeda digital.

Chantagem Palmeiras
Chantagem Palmeiras

Na mensagem havia uma relação de todos conselheiros do clube e um título de “Balanços e documentos do Palmeiras”. A gestão do time alertou os conselheiros sobre a tentativa de extorsão e pediu para que o e-mail não fosse aberto. Além disso, o time pediu que ninguém fizesse o pagamento.

A diretoria do clube também acionou a polícia para investigar o caso.

Palmeiras não pagou resgate, já outras vítimas…

Analisando dados da blockchain é possível ver que de fato o endereço não recebeu nenhum valor nos últimos dias, contudo, o mesmo endereço está relacionado a outros golpes na internet, tendo recebido já R$ 96.481 em toda sua existência.

Portanto, o proprietário do endereço já está acostumado a exigir pagamentos em Bitcoin.

O curioso aqui é que o endereço é identificado em fóruns hackers como “Scammer”, ou seja, “golpista”, ele é citado como “falsos serviços hackers”. Isso é, quem está por trás do endereço pode ser apenas um golpistas que finge ser hacker e vive de vender falsos serviços hackers e tentar extorquir vítimas dizendo que tem dados pessoais delas.

O tal do Edward.Lorenz, remetente do email, tem um site de venda de serviços hackers na Dark Web. Em seu site ele se apresenta como um “especialista em informática com 20 anos de profissão”, com conhecimento de invadir e-mails, Whatsapp, Instagram, Facebook e outras redes sociais.

O hacker até mesmo vende um serviço chamado “destruir a vida de alguém”, o qual ele promete que com um pagamento de US$ 899 ele irá transformar a vida da vítima em um caos.

É importante lembrar, contudo, que muitos golpistas dizem vender serviço de invasão de redes sociais mas tudo não passa de um golpe.

O Palmeiras, portanto, pode ter sido vítima de uma invasão de e-mail, e agora o hacker tem acesso a várias mensagens e documentos trocados pelo clube. Ou, o mais provável é que o clube não tenha sido vítima de vazamento de dados, e apenas está sendo testado por um golpista aleatório qualquer.

Em 2019 o mesmo hacker exigiu pagamento de R$ 1 milhão para não vazar dados do time São Paulo, no entanto, mesmo sem o pagamento nenhum dado foi vazado.

Se todos os 285 conselheiros do Palmeiras resolvessem pagar as exigências do suposto hacker, a soma total seria R$ 299.250.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Livecoins
Livecoins
Livecoins é um portal de blockchain e criptoeconomia focado em notícias, artigos, análises, dicas e tutoriais.
Meme dogecoin que circula nas redes.

Mercado cripto sofre uma das maiores quedas já vistas, Dogecoin sobe

As últimas 24 horas foram um pesadelo para alguns investidores em criptomoedas. A primeira moeda a sentir a queda foi o Bitcoin, que perdeu mais...
Mina carvao

Taxa de hash do Bitcoin cai após acidente em mina de carvão na China

O hashrate do Bitcoin caiu cerca de 40% nas últimas 24 horas, de mais de 180 petahashes por segundo para cerca de 105 Ph/s....

Bitcoin desaba com desligamento de mineradoras chinesas e preocupações regulatórias

O Bitcoin despencou mais de 15% neste domingo (18), para cerca de US $ 51 mil, depois de ter alcançado um marco de US...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias