Início Altcoins Hacker invade corretora de criptomoedas e rouba mais de R$ 120 milhões

Hacker invade corretora de criptomoedas e rouba mais de R$ 120 milhões

Empresa suspendeu atividades após perceber invasão de criminoso na plataforma.

-

Hacker invade exchange Bitpoint

Na última quinta-feira (11) a Bitpoint sofreu um duro ataque hacker em sua plataforma. A corretora de criptomoedas perdeu mais de R$ 120 milhões após uma invasão no sistema da exchange japonesa. O ataque fez com que a empresa encerrasse suas atividades, deixando milhares de clientes sem acesso a corretora de criptomoedas.

Ataques hackers contra corretoras de criptomoedas podem resultar em duras perdas. Somente em 2019, mais de cinco exchanges sofreram ataques similares ao do Bitpoint. Até mesmo a maior corretora de criptomoedas do mundo foi alvo de um ataque hacker. Em maio de 2019 a Binance perdeu cerca de R$ 150 milhões.

Exchange japonesa encerrou atividades

O ataque hacker fez com que o Bitpoint encerrasse suas atividades. A medida foi tomada pela exchange em busca de minimizar as perdas em relação ao ataque ocorrido. Segundo publicação da corretora de criptomoedas, a invasão aconteceu nesta quinta-feira (11). Segundo publicação da exchange, o criminoso acessou a plataforma e roubou cerca de US$ 32 milhões, ou ainda, mais de R$ 120 milhões.

Com a invasão, a Bitpoint congelou as atividades da empresa. Sendo assim, nenhuma nova conta poderá ser aberta na corretora de criptomoedas. Em busca de correr atrás do que foi roubado, transações dentro da plataforma estão completamente interrompidas. 

Essas atividades foram interrompidas na manhã desta sexta-feira (12) após a invasão ser constatada. A corretora de criptomoedas publicou uma nota pedindo desculpas aos clientes por todo o transtorno gerado. Tudo indica que essas atividades voltarão ao normal após a investigação do Bitpoint sobre o ataque hacker.

“Além de interromper completamente os serviços da Bitpoint, incluindo a abertura de novas contas, investigação de causas, identificação de saques, estamos comprometidos com medidas para minimizar os danos”.

Maioria das criptomoedas roubadas pertenciam à clientes

A Bitpoint é uma exchange japonesa que oferece cinco tipos de criptomoedas em seus pares de negociação. Desse modo, o roubo aconteceu através do acesso do hacker ao site da corretora de criptomoedas.

Segundo publicação, o hacker conseguiu roubar cinco tipos diferentes de criptomoedas. Sendo asssim, criminoso teve acesso a todas as criptomoedas oferecidas pela exchange, como o bitcoin, ripple (XRP), litecoin (LTC), bitcoin cash (BCH) ou em ethereum (ETH).

Do total de criptomoedas roubadas, a maior parte pertenciam à clientes da Bitpoint. Segundo investigações preliminares, cerca de R$ 87 milhões do total roubado pertence a contas de investidores na exchange. Enquanto isso mais de R$ 33 milhões em criptomoedas roubadas seriam da própria Bitpoint.

Outras exchanges sofreram ataques de hackers

A Bitpoint não é a única corretora de criptomoedas a ser atacada por hackers recentemente. A Binance é a maior do mundo em volume de negociações e viu sua plataforma ser acessada por criminosos há alguns meses atrás. Além da Binance, outras empresas sofreram perdas significativas nos últimos meses.

Ainda no Japão a Coincheck, uma corretora foi atacada por hackers em janeiro de 2018. O ataque resultou em uma perda de US$ 530 milhões. Os criminosos roubaram essa quantia em criptomoedas NEM.

A Cryptopia é outra exchange que também sofreu com ataques de hackers. Somente em janeiro de 2019 a Cryptopia foi hackeada por duas vezes. Enquanto isso, a GateHub também acumula grandes perdas. A corretora de criptomoedas eslovena perdeu cerca de R$ 37 milhões em (XRP) em um ataque que aconteceu no dia 7 de junho de 2019.

Anúncio

Nexo

Empréstimos na hora por transferência bancária usando sua criptomoeda como garantia sem vendê-la. Ganhe juros de até 8% ao ano em suas Stablecoins.

Comece agora
Curta nossa página no Facebook e também no Twitterpara começar e terminar o dia bem informado. Cadastra-se também na Newsletter para receber em seu e-mail.
Paulo Carvalho
Paulo Carvalho
Jornalista em trânsito, escritor por acidente e apaixonado por criptomoedas. Entusiasta do mercado, ouviu falar em Bitcoin em 2013, mas era que nem caviar, "nunca vi, nem comi, só ouço falar".

Veja também

Diretor jurídico da Unick se entrega e cumpre prisão em casa com tornozeleira eletrônica

Fernando Marques Lusvarghi, diretor jurídico da Unick e dono da SA Capital se entregou para a polícia no último dia 22 (sexta). Ele era...

Mãe e ex-cunhada do “rei do bitcoin” são sequestradas, amarradas e ameaçadas de morte

A mãe e a ex-cunhada do empresário Claudio Oliveira, dono do Grupo Bitcoin Banco – empresa de criptomoedas que deve R$ 616 milhões a...

Prosegur foi atacada por ransomware que pede Bitcoin como resgate

A empresa de segurança Prosegur foi atacada por um ransomware, que pede resgate em Bitcoin. Os softwares da empresa na área de telecomunicações foram...

Justiça de SP determina bloqueio de mais R$ 532,7 mil da Genbit

A Justiça de São Paulo determinou o bloqueio de mais R$ 532,7 mil da Genbit, exchange que promete rendimentos de 5% a 15% mensais,...

Preço do Bitcoin pode ter segundo melhor natal de todos os tempos

O Bitcoin tem visto o natal de 2019 cada vez mais próximo, com seu preço flutuando entre U$ 7,300. Contudo, o que pouca gente...

Receita Federal foi informada de R$ 14 bilhões de operações com criptomoedas no Brasil

De acordo com a Receita Federal do Brasil, segundo informações do G1, mais que R$ 14 bilhões de operações com criptomoedas foram informadas em...

Escreva seu comentário:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Diretor jurídico da Unick se entrega e cumpre prisão em casa com tornozeleira eletrônica

Fernando Marques Lusvarghi, diretor jurídico da Unick e dono da SA Capital se entregou para a polícia no último dia 22 (sexta). Ele era...

Mãe e ex-cunhada do “rei do bitcoin” são sequestradas, amarradas e ameaçadas de morte

A mãe e a ex-cunhada do empresário Claudio Oliveira, dono do Grupo Bitcoin Banco – empresa de criptomoedas que deve R$ 616 milhões a...

Prosegur foi atacada por ransomware que pede Bitcoin como resgate

A empresa de segurança Prosegur foi atacada por um ransomware, que pede resgate em Bitcoin. Os softwares da empresa na área de telecomunicações foram...

Justiça de SP determina bloqueio de mais R$ 532,7 mil da Genbit

A Justiça de São Paulo determinou o bloqueio de mais R$ 532,7 mil da Genbit, exchange que promete rendimentos de 5% a 15% mensais,...