Anúncio
Início Altcoins Hacker invade corretora de criptomoedas e rouba mais de R$ 120 milhões

Hacker invade corretora de criptomoedas e rouba mais de R$ 120 milhões

Empresa suspendeu atividades após perceber invasão de criminoso na plataforma.

-

Hacker invade exchange Bitpoint

Na última quinta-feira (11) a Bitpoint sofreu um duro ataque hacker em sua plataforma. A corretora de criptomoedas perdeu mais de R$ 120 milhões após uma invasão no sistema da exchange japonesa. O ataque fez com que a empresa encerrasse suas atividades, deixando milhares de clientes sem acesso a corretora de criptomoedas.

Ataques hackers contra corretoras de criptomoedas podem resultar em duras perdas. Somente em 2019, mais de cinco exchanges sofreram ataques similares ao do Bitpoint. Até mesmo a maior corretora de criptomoedas do mundo foi alvo de um ataque hacker. Em maio de 2019 a Binance perdeu cerca de R$ 150 milhões.

Exchange japonesa encerrou atividades

O ataque hacker fez com que o Bitpoint encerrasse suas atividades. A medida foi tomada pela exchange em busca de minimizar as perdas em relação ao ataque ocorrido. Segundo publicação da corretora de criptomoedas, a invasão aconteceu nesta quinta-feira (11). Segundo publicação da exchange, o criminoso acessou a plataforma e roubou cerca de US$ 32 milhões, ou ainda, mais de R$ 120 milhões.

Com a invasão, a Bitpoint congelou as atividades da empresa. Sendo assim, nenhuma nova conta poderá ser aberta na corretora de criptomoedas. Em busca de correr atrás do que foi roubado, transações dentro da plataforma estão completamente interrompidas. 

Essas atividades foram interrompidas na manhã desta sexta-feira (12) após a invasão ser constatada. A corretora de criptomoedas publicou uma nota pedindo desculpas aos clientes por todo o transtorno gerado. Tudo indica que essas atividades voltarão ao normal após a investigação do Bitpoint sobre o ataque hacker.

“Além de interromper completamente os serviços da Bitpoint, incluindo a abertura de novas contas, investigação de causas, identificação de saques, estamos comprometidos com medidas para minimizar os danos”.

Maioria das criptomoedas roubadas pertenciam à clientes

A Bitpoint é uma exchange japonesa que oferece cinco tipos de criptomoedas em seus pares de negociação. Desse modo, o roubo aconteceu através do acesso do hacker ao site da corretora de criptomoedas.

Segundo publicação, o hacker conseguiu roubar cinco tipos diferentes de criptomoedas. Sendo asssim, criminoso teve acesso a todas as criptomoedas oferecidas pela exchange, como o bitcoin, ripple (XRP), litecoin (LTC), bitcoin cash (BCH) ou em ethereum (ETH).

Do total de criptomoedas roubadas, a maior parte pertenciam à clientes da Bitpoint. Segundo investigações preliminares, cerca de R$ 87 milhões do total roubado pertence a contas de investidores na exchange. Enquanto isso mais de R$ 33 milhões em criptomoedas roubadas seriam da própria Bitpoint.

Outras exchanges sofreram ataques de hackers

A Bitpoint não é a única corretora de criptomoedas a ser atacada por hackers recentemente. A Binance é a maior do mundo em volume de negociações e viu sua plataforma ser acessada por criminosos há alguns meses atrás. Além da Binance, outras empresas sofreram perdas significativas nos últimos meses.

Ainda no Japão a Coincheck, uma corretora foi atacada por hackers em janeiro de 2018. O ataque resultou em uma perda de US$ 530 milhões. Os criminosos roubaram essa quantia em criptomoedas NEM.

A Cryptopia é outra exchange que também sofreu com ataques de hackers. Somente em janeiro de 2019 a Cryptopia foi hackeada por duas vezes. Enquanto isso, a GateHub também acumula grandes perdas. A corretora de criptomoedas eslovena perdeu cerca de R$ 37 milhões em (XRP) em um ataque que aconteceu no dia 7 de junho de 2019.

Curta nossa página no Facebook e também no Twitterpara começar e terminar o dia bem informado. Cadastra-se também na Newsletter para receber em seu e-mail.
Avatar
Paulo José
Jornalista em trânsito, escritor por acidente e apaixonado por criptomoedas. Entusiasta do mercado, ouviu falar em Bitcoin em 2013, mas era que nem caviar, "nunca vi, nem comi, só ouço falar".

MAIS LIDOS

Unick Forex: empresa pode ser condenada em novo processo judicial

A empresa Unick Forex está com problemas em pagamentos na plataforma. Esse atraso está fazendo com que usuários procurem a justiça em busca de...

2 indicadores de Bitcoin que você deveria prestar atenção

Existem centenas de indicadores que você pode utilizar em suas análises de Bitcoin. RSI, MACD, Médias Móveis, Bandas de Bollinger e por aí vai....

5 motivos mostram que Bitcoin viverá o melhor ano de sua história em 2020

O bitcoin deverá vivenciar um momento histórico em 2020. Para alguns analistas, o próximo ano deverá elevar o preço da criptomoeda para valores jamais...

Samsung adiciona suporte ao Bitcoin

Sediada em um dos principais países de olho no Bitcoin, a Samsung não poderia demorar a se voltar para a moeda digital. De fato,...

Nova Zelândia torna o Bitcoin legal para pagamentos de salários

Uma decisão do Departamento de Impostos da Nova Zelândia tornou o Bitcoin uma forma legal de pagar o salário de funcionários. De acordo com o departamento fiscal,...

Mais de R$ 70 milhões em bitcoins “somem” da Indeal

Investigações sobre o caso da Indeal revelam que mais de R$ 70 milhões praticamente sumiram das contas da empresa. À justiça, a Indeal alegou...

Escreva seu comentário:

1Xbit

Unick Forex: empresa pode ser condenada em novo processo judicial

A empresa Unick Forex está com problemas em pagamentos na plataforma. Esse atraso está fazendo com que usuários procurem a justiça em busca de...

2 indicadores de Bitcoin que você deveria prestar atenção

Existem centenas de indicadores que você pode utilizar em suas análises de Bitcoin. RSI, MACD, Médias Móveis, Bandas de Bollinger e por aí vai....