Inflação faz Argentina ter a maior taxa de adoção de criptomoedas do ocidente

Corretoras de criptomoedas mais usadas pelos argentinos são Binance, eToro, BingX, HTX e Bitget, aponta estudo.

A Argentina possui uma das maiores inflações do mundo, chegando a 276% ao ano. Devido a isso, a adoção das criptomoedas no país é a maior do ocidente, deixando países como Brasil e EUA para trás.

Segundo dados de 55 corretoras de criptomoedas coletados pela Forbes, hoje argentinos são responsáveis por 2,5 milhões das 130 milhões de visitas a esses sites.

Ao contrário de investidores de outros países, a Forbes destaca que os argentinos não estão buscando a próxima criptomoeda que terá uma grande valorização. Ao invés disso, há uma grande demanda pela stablecoin USDT, que faz paridade com o dólar americano.

Em outras palavras, as criptomoedas estão ajudando os argentinos a salvarem seu capital, algo que era mais difícil em outros tempos, já que dependia do dólar físico ou de contas no exterior.

Adoção de criptomoedas na Argentina é uma das maiores do mundo

Javier Milei, presidente da Argentina, prometeu acabar com a inflação no país. No entanto, a moeda local enfrentou uma forte desvalorização após sua vitória, chegando a registrar uma inflação mensal de 25% em dezembro do ano passado.

Recentemente, por exemplo, Milei defendeu a livre concorrência de moedas na Argentina. Portanto, não há motivos para acreditar no peso argentino quando há tantas outras moedas melhores como o dólar e o Bitcoin.

Inflação na Argentina teve seu pico após vitória de Milei, mas vem caindo. Fonte: Forbes/Reprodução.
Inflação na Argentina teve seu pico após vitória de Milei, mas vem caindo. Fonte: Forbes/Reprodução.

Embora esteja em queda, a inflação de 4,2% registrada em maio está longe de animar os argentinos. Portanto, não é surpresa que muitos estejam recorrendo às criptomoedas para salvar suas economias.

Segundo dados da Forbes, hoje a adoção das criptomoedas na Argentina é 3,2 vezes maior que da média global. Esse é o maior número das Américas, seguido por EUA (3,1x) e Canadá (2,8x).

Adoção das criptomoedas na Argentina é a maior das Américas. Fonte: Forbes/Reprodução.
Adoção das criptomoedas na Argentina é a maior das Américas. Fonte: Forbes/Reprodução.

Curiosamente, o Brasil aparece abaixo da média nesse estudo, ficando atrás de países como Chile, Colômbia e México.

As corretoras mais usadas pelos argentinos

Outro dado interessante do estudo da Forbes são as corretoras escolhidas pelos argentinos. Dentre as mais usadas estão Binance, eToro, BingX, HTX e Bitget, seguindo a lista de mais acessos únicos em maio.

Novamente comparando países, o estudo destaca que a Argentina é o maior público da Binance. Na sequência aparecem EUA, Índia, Turquia e então o Brasil.

Argentina é responsável pelo maior número de visitas à Binance. Fonte: Forbes/Reprodução.
Argentina é responsável pelo maior número de visitas à Binance. Fonte: Forbes/Reprodução.

Por fim, tal comportamento é global. A inflação da Turquia, por exemplo, está em 71,6%, sendo um grande motivo para que turcos apareçam no gráfico acima como um dos maiores investidores de criptomoedas.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias

Últimas notícias