“Legalize as criptomoedas” pede chefe de segurança cibernética da Ucrânia

Siga no

O chefe de cibersegurança da Ucrânia, Oleksandr Grinchak, pediu urgência para que o país legalize o uso de criptomoedas, citando que a grande maioria das atividades criminosas que acontecem na Ucrânia são feitas utilizando os ativos digitais. Sendo assim, a legalização traria mais controle e facilitaria ações contra criminosos.

Em uma recente entrevista, o chefe de cibersegurança da Ucrânia disse que “legalizar e levar as criptomoedas para o setor legal ajudaria a polícia a monitorar transações ilegais com mais eficiência.” Para ele, as criptomoedas são as principais ferramentas utilizadas pelos mercados negros que vêm ganhando cada vez mais adeptos dentro do país europeu.

“Se nós falarmos sobre os crimes que a polícia enfrenta atualmente, indo de assassinato, extorsão a roubos e tráfico – todas essas aberrações podem ser associadas a criptomoedas: Tudo exceto problemas com direitos autorais. E é por isso que é necessário legalizar as criptomoedas.”

Claro que a visão de Grinchak parece bem exagerada (e realmente é), afirmando que todos os crimes tem relação com as criptomoedas é uma grande desinformação. No entanto, não é a primeira vez que ouvimos esse tipo de afirmação, já que desde 2017 os maiores detratores do criptomercado sempre jogam a carta do “dinheiro de crimes” para tentar diminuir a importância desse setor.

Ele chegou a ser questionado sobre a sua afirmação, e então ele mudou de “todos os crimes” para “muitos crimes”. Apesar disso, ele afirmou que o parlamento ucraniano está dando suporte para os seus pedidos de legalização do criptomercado com certa urgência.

Curiosamente, ele também disse que o anonimato da blockchain não é um problema para a polícia local.

O chefe de cibersegurança disse que a policial do país possui especialistas que lidam com a análise de blockchain e a comunicação com as corretoras de criptomoedas. Sendo assim, eles conseguem identificar os criminosos.

O problema é que sem a legalização necessária, muitos dos criminosos só podem ser indiciados por outros crimes ou “crimes parecidos”, o que pode diminuir a gravidade da pena.

Grinchak deu como exemplo os mineradores ilegais, que não podem sofrer nenhum tipo de repressão a não ser serem condenados por “roubo de energia elétrica”.

Recentemente o Bitcoin e outras criptomoedas parecem estar ganhando mais espaço na Ucrânia, sendo até mesmo uma escolha de investimento de muitos funcionários públicos (incluindo de segurança).

Com isso, fica difícil saber se Grinchak não está apenas fazendo parte do FUD contra esse mercado.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.

NFT pode “matar” o Bitcoin? Qual a relação entre ambos?

É provável que muita gente conheça os NFTs, regularmente confundidos com “arte digital”. A ação ganhou força após Stephen Curry, astro da NBA, e...
Plataformas NFT e Ethereum empresas

Empresas listadas na bolsa apostam no mercado de NFT

O crescimento do mercado de NFTs tem quebrado barreiras mais rápido do que outros recursos relacionados a blockchain. Hoje até mesmo grandes empresas, listadas...
Dúvida sobre o Bitcoin ser caçado pela China

Mineradores brasileiros comentam banimento de Bitcoin pela China

A proibição de Bitcoin pela China nos últimos dias abalou o mercado, com muitas pessoas ficando preocupadas com isso, menos dois mineradores brasileiros que...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias