Líder da Braiscompany preso na Argentina será extraditado para o Brasil

Conforme a autoridade argentina, as provas apresentadas no processo de extradição comprovaram que o homem procurado teria atuado como operador financeiro da BraisCompany.

Um dos ex-líderes da BraisCompany vai ser extraditado da Argentina para o Brasil após ser preso na fronteira em junho deste ano. Ele é suspeito de participar do esquema de golpe financeiro investigado na Operação Halving.

A Polícia Federal apontou que ele seria operador financeiro do esquema, mas não divulgou o nome. Vide as três prisões em solo argentino executadas no âmbito do esquema operado pela empresa, deve se tratar de Victor Hugo Learth.

De acordo com informações publicadas no site do Ministério Público Fiscal (MPF) da Argentina, o acordo de extradição foi assinado na segunda-feira (4).

Sentença de extradição foi proferida pelo juiz Miguel Ángel Guerrero, que declarou admissível a extradição do ex-integrante da empresa de Antônio Neto Ais e Fabrícia Farias.

Líder da Braiscompany é preso na Argentina

Conforme a autoridade argentina, as provas apresentadas no processo de extradição comprovaram que o homem procurado teria atuado como operador financeiro da BraisCompany.

“Dessa forma, ele teria cometido fraudes por meio de um esquema de pirâmide financeira – chamado ‘Esquema Ponzi’ – com criptoativos. Para as autoridades brasileiras, o homem atuou como corretor da empresa, o que lhe permitiu capturar mais de 4 milhões de reais e desviá-los. O arguido interveio no marketing e em algumas operações comerciais da empresa, para a qual publicou vídeos no canal YouTube – denominado ‘braisnews’ – e que confirmaram a sua participação na divulgação da manobra”, diz trecho do material divulgado pelos Fiscales.”

“Após a perpetração do golpe, o acusado fugiu para a Argentina por via terrestre junto com outros membros da organização. Em virtude disso, a 4ª Seção Federal – Campina Grande/PB do Tribunal Regional Federal da 5ª Região do Brasil determinou a captura internacional da pessoa procurada. Por via diplomática, o Ministério das Relações Exteriores, Comércio Internacional e Culto da Argentina recebeu o pertinente pedido formal de extradição. O homem foi preso em 23 de junho de 2023 e colocado à disposição da Justiça Federal e do Ministério Público Federal de Eldorado”, continua a relatar a autoridade argentina.

A extradição foi baseada de acordo com o disposto na Lei 24.767, de Cooperação Internacional em Matéria Penal, e no Tratado de Extradição assinado com a República Federativa do Brasil.

Ele foi preso em Puerto Iguazú, na região da fronteira com Foz do Iguaçu, no Paraná, em junho deste ano, junto de Arthur Lima e Sabrina Lima, que atuavam no marketing da BraisCompany e de Antônio Neto Ais.

Os três estavam foragidos da Operação Halving, que investigou a empresa sediada em Campina Grande. As prisões aconteceram graças ao serviço de inteligência da Polícia Federal da Paraíba.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Cógenes Lira
Cógenes Lira
Graduado em Jornalismo, pós-graduado em Conteúdo Digital e mestrando em Jornalismo. Entusiasta do Twitter, e focado em jornalismo investigativo e de dados.

Últimas notícias