Luiz Fux destaca que solução blockchain ajudou judiciário brasileiro

Presidente do STF falou em evento do CNJ, onde também preside os trabalhos.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, destacou que o software que utiliza a tecnologia blockchain ajudou o judiciário a evoluir no último ano. Desde que chegou a posição, ele destacou que a justiça brasileira deveria evoluir em seu processo de digitalização.

Nos últimos anos o processo de digitalização das companhias foi fundamental para conseguirem manter suas atividades. Isso porque, por conta da pandemia muitos serviços físicos tiveram restrições e o digital foi a saída para manter a economia ativa.

Dessa forma, os serviços públicos também estão buscando digitalizar o atendimento ao público para melhorar sua qualidade. No judiciário, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), presidido pelo Ministro Luiz Fux, segue atento as oportunidades de melhorar o setor.

“Justiça 4.0”: Luiz Fux destaca solução que utiliza blockchain para digitalizar judiciário

Na última terça-feira (31/05), o CNJ se reuniu para a 1.ª Reunião Preparatória para o 16.º Encontro Nacional do Poder Judiciário. O objetivo principal é saber se os planos da Estratégia Nacional do Poder Judiciário 2021-2026 estão sendo realizados e cumpridos no prazo.

Na abertura do evento, o Ministro Luiz Fux declarou que após um ano do início da implantação da solução, vários órgãos aderiram aos acordos do sistema Justiça 4.0, o que é um movimento importante.

“Após um ano de implantação, tivemos avanços significativos, como, por exemplo, a adesão de 90% dos órgãos aos Acordos de Cooperação Técnica do Justiça 4.0, incluindo os ajustes relativos à implantação da Plataforma Digital do Poder Judiciário Brasileiro.”

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, também falou que cumprir as metas da Estratégia é um movimento importante, visto que isso acaba “projetando para o futuro com um Judiciário moderno, ágil e preparado para responder às questões da sociedade, resolver litígios e restaurar a paz, dando a Justiça a cada um, com brevidade”.

Secretário-geral do CNJ diz que blockchain é uma tecnologia de ponta a disposição das inovações

Segundo o secretário-geral do CNJ, Valter Shuenquener, o programa Justiça 4.0 torna o acesso aos processos universal. Assim, o judiciário brasileiro se torna mais eficiente, inovador e transparente.

Contamos com o apoio da tecnologia de ponta, voltada para digitalização de processos, o uso de videoconferências – que foi o que nos salvou durante a pandemia e está contribuindo para o período pós-pandêmicos – a adoção de recursos de mobilidade, a interoperabilidade dos sistemas e bases de dados, além da utilização de nuvem, de Business Intelligente (BI), machine learning, blockchain e notadamente inteligência artificial. Tudo com objetivo de facilitar a prestação jurisdicional e conferir eficiência para os recursos humanos e orçamentários.

Para avançar a implantação do sistema em todo Brasil, Valter pede que todos os tribunais do país façam a adesão deste até o próximo dia 30 de junho. Esse sistema poderá além de reduzir custos do judiciário brasileiro, melhorar a qualidade dos serviços prestados.

💰 $100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias