Luiz Fux destaca que solução blockchain ajudou judiciário brasileiro

Presidente do STF falou em evento do CNJ, onde também preside os trabalhos.

Ministro do STF Luiz Fux
Ministro Luiz Fux do STF. Foto: Nelson Jr./SCO/STF

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, destacou que o software que utiliza a tecnologia blockchain ajudou o judiciário a evoluir no último ano. Desde que chegou a posição, ele destacou que a justiça brasileira deveria evoluir em seu processo de digitalização.

Nos últimos anos o processo de digitalização das companhias foi fundamental para conseguirem manter suas atividades. Isso porque, por conta da pandemia muitos serviços físicos tiveram restrições e o digital foi a saída para manter a economia ativa.

Dessa forma, os serviços públicos também estão buscando digitalizar o atendimento ao público para melhorar sua qualidade. No judiciário, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), presidido pelo Ministro Luiz Fux, segue atento as oportunidades de melhorar o setor.

“Justiça 4.0”: Luiz Fux destaca solução que utiliza blockchain para digitalizar judiciário

Na última terça-feira (31/05), o CNJ se reuniu para a 1.ª Reunião Preparatória para o 16.º Encontro Nacional do Poder Judiciário. O objetivo principal é saber se os planos da Estratégia Nacional do Poder Judiciário 2021-2026 estão sendo realizados e cumpridos no prazo.

Na abertura do evento, o Ministro Luiz Fux declarou que após um ano do início da implantação da solução, vários órgãos aderiram aos acordos do sistema Justiça 4.0, o que é um movimento importante.

“Após um ano de implantação, tivemos avanços significativos, como, por exemplo, a adesão de 90% dos órgãos aos Acordos de Cooperação Técnica do Justiça 4.0, incluindo os ajustes relativos à implantação da Plataforma Digital do Poder Judiciário Brasileiro.”

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, também falou que cumprir as metas da Estratégia é um movimento importante, visto que isso acaba “projetando para o futuro com um Judiciário moderno, ágil e preparado para responder às questões da sociedade, resolver litígios e restaurar a paz, dando a Justiça a cada um, com brevidade”.

Secretário-geral do CNJ diz que blockchain é uma tecnologia de ponta a disposição das inovações

Segundo o secretário-geral do CNJ, Valter Shuenquener, o programa Justiça 4.0 torna o acesso aos processos universal. Assim, o judiciário brasileiro se torna mais eficiente, inovador e transparente.

Contamos com o apoio da tecnologia de ponta, voltada para digitalização de processos, o uso de videoconferências – que foi o que nos salvou durante a pandemia e está contribuindo para o período pós-pandêmicos – a adoção de recursos de mobilidade, a interoperabilidade dos sistemas e bases de dados, além da utilização de nuvem, de Business Intelligente (BI), machine learning, blockchain e notadamente inteligência artificial. Tudo com objetivo de facilitar a prestação jurisdicional e conferir eficiência para os recursos humanos e orçamentários.

Para avançar a implantação do sistema em todo Brasil, Valter pede que todos os tribunais do país façam a adesão deste até o próximo dia 30 de junho. Esse sistema poderá além de reduzir custos do judiciário brasileiro, melhorar a qualidade dos serviços prestados.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias