Matheus Grijó e Atlas Quantum podem dilapidar patrimônio da empresa, diz Justiça

Siga no

A Justiça de São Paulo determinou o bloqueio de mais R$ 22,4 mil de Matheus dos Santos Grijó, antigo proprietário da AnubisTrade, e da Atlas Quantum.

A empresa de criptomoedas, que adquiriu a Anubis no final do ano passado, está com dificuldade de honrar com os pagamentos de investidores desde agosto de 2019.

O pedido de tutela foi feito por um cliente que investiu dinheiro no negócio, mas não conseguiu reaver o valor.

Na decisão, publicada no Diário de Justiça do Estado de São Paulo nesta segunda-feira (14), o juiz acatou o requerimento porque acredita na possibilidade de os reús dilapidarem o patrimônio da empresa, o que afetaria o pagamento dos investidores.

“(…) a conduta das rés evidencia a possibilidade de dilapidação do patrimônio, o que traria prejuízos financeiros ao autor (…).Assim (…) DEFIRO A TUTELA DE URGÊNCIA CAUTELAR apenas para DETERMINAR a realização do bloqueio de ativos financeiros das requeridas, ATLAS SERVIÇOS EM ATIVOS DIGITAIS (31.049.719/0001-40), ATLAS PROJ TECNOLOGIA EIRELI (26.768.698/0001-83), ATLAS SERVICES – SERVIÇOS DE SUPORTE ADMINISTRATIVO E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL LTDA (30.608.097/0001-80) e MATHEUS DOS SANTOS GRIJO (374.236.338-79), até o limite de R$ 22.461,94”, disse o juiz na decisão.

A Atlas Quantum informou que não comenta processos judiciais.

Investidor diz que conduta da ré evidencia “evasão de divisas”

O investidor entrou com a ação em novembro de 2019, assim como centenas de outras pessoas, inclusive de fora do país . No processo, ele alega que a Atlas Quantum não libera R$ 22,4 mil investidos por ele, o que corresponde a 0,6575 bitcoin.

O cliente lesado também falou que a conduta da Atlas Quantum “evidencia o intuito de evasão de divisas” da empresa, alegação que foi aceita pelo juiz responsável pelo caso.

A defesa do investidor é feita pelo advogado Artêmio Ferreira Picanço Neto, que atende cerca de 160 pessoas com recursos presos na Atlas Quantum e na AnubisTrade. O valor das ações passa dos R$ 20 milhões.

Em dois dos casos, a Justiça determinou o bloqueio de R$ 550 mil da empresa.

Relembre o caso da Atlas Quantum

A Atlas Quantum está com dificuldade de honrar as dívidas com clientes desde agosto do ano passado, mês em que a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) proibiu a empresa de ofertar investimentos em bitcoins.

Nesse meio tempo, a empresa teve que demitir boa parte dos funcionários, pois não teria recursos para pagá-los, e lançou um novo projeto na área de criptomoedas, chamado Fênix.

Por causa dos atrasos, a Atlas responde a pouco mais de 200 processos judiciais só na Justiça de São Paulo.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Lucas Gabriel Marins
Jornalista desde 2010. Escreve para Livecoins e UOL. Já foi repórter da Gazeta do Povo e da Agência Estadual de Notícias (AEN).
Real-inflação (imagem: SHutterstock)

Inflação batendo as portas, como se proteger?

A inflação é totalmente sem educação, entra em nossas casas sem permissão ou aviso prévio e fica por um bom tempo morando conosco. É...
Mineração de Bitcoin, moeda BTC e GPU

Preço do Bitcoin cai após hashrate atingir mínima anual

A recente queda no preço do Bitcoin coincidiu com a baixa no hashrate da rede, com uma possível capitulação de mineradores do mercado. Vale...

Bilionário Steven Cohen diz que se converteu “totalmente às criptomoedas”

Steven Cohen, chefe da Point72 Asset Management, bilionário estrategista e um dos traders mais bem-sucedidos da atual geração, disse em uma recente entrevista que...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias